Faça uma busca
Já tem cadastro? Faça login aqui.
Artigo exclusivo para assinantes!
Cadastre-se para continuar lendo!
É grátis e você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos
devices
Já sou assinante da Revista Impressa

Entendo que, respondendo a esta promoção, serei ingressado nos sorteios aqui oferecidos e passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, entre em contato com a nossa Central de Atendimento. Conheça também a nossa Política de Privacidade e Uso de Dados

Aproveite e assine o site seleções por apenas R$1,99 no primeiro mês. Clique aqui.
|
Publicado em: 27 de dezembro de 2019

As incríveis surpresas que o universo revela

Conheça um pouco mais sobre a teoria das cordas espaciais.

Imagem: dzika_mrowka/iStock

As cordas cósmicas estão entre as mais recentes concepções dos cosmólogos teóricos. Se existem, foram formadas na primeira fração de segundo do Big Bang, a explosão primordial que teria originado o universo.

Quiz: teste seus conhecimentos com estas 10 questões sobre o Universo

Físicos modernos consideram que o “espaço vazio” está longe de ser um mero vácuo. É um turbilhão de energia e partículas que nascem e sobrevivem pouco tempo. Nos primeiros momentos do Big Bang, o cosmo seria um grande cadinho de energias com elevadíssimas temperaturas e pressões. As hipotéticas cordas são amostras do espaço primevo, inicial, conservadas no universo menos frenético de hoje.

Uma corda cósmica seria ou infinita, estendendo-se através do universo observável e das regiões para além deste, ou uma curva fechada de anos-luz dispostos em circunferência. 

Fina, mas pesada

Esta corda seria tão fina que sua largura não passaria de cinco vezes o diâmetro de um átomo. Sua massa seria colossal – em média, um bilhão de toneladas por milímetro. Assim, um segmento de comprimento igual ao diâmetro da Terra teria o dobro da própria massa da Terra. 

Cientistas compararam as cordas cósmicas a fitas elásticas sob enorme tensão, que perdem energia à medida que oscilam e se dobram no espaço. As cordas cósmicas se retorceriam e se entrecruzariam de tempos em tempos.

Fontes de rádio semelhantes a fios têm sido detectadas por radiotelescópios no centro da nossa galáxia. Esta radiação pode provir do gás quente que circundaria as cordas cósmicas e representaria o primeiro sinal de sua existência. Essas estranhas estruturas cosmológicas são só um exemplo das numerosas surpresas que o universo revela aos poucos aos astrônomos. 

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados