Faça uma busca
Já tem cadastro? Faça login aqui.
Cadastre-se para continuar lendo!
Artigo exclusivo para assinantes!
É grátis e você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos
devices
Já sou assinante da Revista Impressa

Entendo que, respondendo a esta promoção, serei ingressado nos sorteios aqui oferecidos e passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, entre em contato com a nossa Central de Atendimento. Conheça também a nossa Política de Privacidade e Uso de Dados

Aproveite e assine o site seleções por apenas R$1,99 no primeiro mês. Clique aqui.
|
Publicado em: 1 de novembro de 2020

7 notícias do mundo da medicina para se manter informado

Imagem: ipopba/iStock

Manter-se bem informado é muito importante para manter a saúde em dia. A informação segura e confiável é também a melhor forma de prevenção contra as notícias falsas. Por isso, nós reunimos algumas pesquisas sobre saúde e bem-estar que vão ajudá-lo a manter-se bem informado.

A tontura pode ser curável

Cerca de 3 em cada 10 pessoas com mais de 70 anos ficam tontas repetidamente, o que aumenta o risco de quedas. A causa básica costuma ser a vertigem posicional paroxística benigna (VPPB), e a pesquisa realizada no Hospital Södra Älvsborg, na Suécia, indica que, se deitar-se ou virar-se na cama forem gatilhos da tontura, é bem provável que seja o que você tem. A VPPB é causada por cristais do ouvido interno chamados otólitos que saem do lugar e vão para outras partes do ouvido. Ainda bem que é fácil remediar: o tratamento é uma série de movimentos (giros da cabeça) projetados para devolver os otólitos ao lugar onde devem ficar. O médico pode ajudar você a realizá-los. Com sorte, a tontura não ameaçará mais seu equilíbrio.

Antibióticos: 14 dias nem sempre são necessários

O hábito de décadas de usar antibiótico em excesso tornou algumas espécies de bactérias resistentes ao medicamento. E, como muitos médicos continuam a receitar antibióticos durante as duas semanas tradicionais, os cientistas vêm buscando maneiras de substituir essa abordagem generalizada por outra mais personalizada. Por exemplo, médicos suíços demonstraram que 7 dias tendem a ser igualmente eficazes na bacteremia gram-negativa sem complicações, infecção comum, mas potencialmente perigosa, da corrente sanguínea.

“O que fazíamos há 20 anos provavelmente não é necessário na maioria das infecções”, diz a pesquisadora Dra. Angela Huttner, dos Hospitais da Universidade de Genebra, que incentiva os pacientes a perguntar aos médicos se estão atualizados com os protocolos de uso de antibióticos.

Exames de Covid-19: os falsos negativos são frequentes

Se fizer o exame de Covid-19, não dê confiança demais ao resultado negativo. Uma análise publicada nos Annals of Internal Medicine concluiu que o momento do exame influencia a exatidão. É quase certo que o resultado seja negativo no mesmo dia em que você contraiu o vírus, mas no quarto dia a chance de falso negativo é de uns 67%. Isso cai para perto de 20% no oitavo dia, e depois volta a subir. Por isso é importante que até quem recebeu resultado negativo se autoisole caso tenha sintomas da doença ou saiba que se expôs recentemente.

Vegetarianos podem ter risco maior de AVC

Num estudo de dezoito anos com 48.188 participantes sem histórico de cardiopatia, veganos e vegetarianos tiveram risco de apresentar doença cardíaca 22% menor do que quem comia carne, mas risco 20% maior de sofrer um AVC (acidente vascular cerebral). Os pesquisadores especulam que isso se deve ao baixo nível de vitamina B12 no sangue, embora possa haver outros fatores. Se você faz uma alimentação vegana ou vegetariana, pense em aumentar a ingestão de B12 com suplementos ou alimentos enriquecidos.

Doença de Lyme nas folhas

Se você já juntou as folhas secas no outono, não se esqueça de remover os montes para bem longe de casa – ou, melhor ainda, se livrar deles completamente. Um estudo recente descobriu que os carrapatos adoram morar nos montes de folhas.

No início da primavera, os pesquisadores contaram, dentro e em torno desses montes, o triplo de carrapatos de patas pretas do que nas áreas sem folhas. Quem diz isso é o Ph.D. Robert Jordan, um dos autores do estudo, cientista pesquisador da Divisão de Controle de Mosquitos de Monmouth County, em Nova Jersey, nos Estados Unidos.

Para reduzir o risco de doença de Lyme e outras doenças transmitidas por carrapatos, deposite as folhas em áreas de pouco uso do quintal ou chame um serviço de coleta para removê-las completamente.

Atenda às necessidades sociais sem socializar

Mesmo antes que as políticas de distanciamento físico impusessem novas barreiras à socialização, Elaine Paravati Harrigan, psicóloga que foi da Universidade de Buffalo, em Nova York, se interessou por maneiras alternativas de encher o “tanque de combustível social”. Atividades como assistir a seriados na TV ou ler romances podem satisfazer ânsias sociais, de acordo com uma pesquisa da qual participou, porque mergulhamos no mundo dos personagens. Outra estratégia potencialmente eficaz é fazer algo que nos leve a pensar nos outros. “Vemos isso em casos como tomar aquela canja que lembra a mãe cuidando da gente quando criança”, diz Harrigan. “Ou escutar uma música que recorda a pessoa que amamos.”

Também é possível se sentir ligado aos outros em laços unilaterais com pessoas públicas. “Isso explica por que acompanhamos nossos atores favoritos ou porque exprimimos lealdade e apoiamos nossos músicos prediletos”, esclarece ela.

A maioria recorre a uma combinação de relacionamento na vida real com outras estratégias. “O importante é que as pessoas façam o que funciona com elas”, diz Harrigan. Não se envergonhe de suas preferências; por exemplo, não há nada insalubre em preferir um livro à balada. “Tudo pode ser útil para achar significado e prazer na vida.”

Covid-19 e gripe

Mais do que nunca precisamos nos prevenir contra a gripe. O Dr. Benjamin Singer, pneumologista de Chicago, afirma, num editorial da revista Science Advances, que as medidas de distanciamento físico adotadas para a Covid-19 também evitam que a gripe se espalhe. Mesmo assim, a vacina contra a gripe, já recomendada porque a pneumonia ligada à gripe é sempre uma causa importante de mortes, é importantíssima este ano. Se alguém tiver as duas infecções ao mesmo tempo, o diagnóstico e o tratamento podem se complicar, ressalta Singer. Tomar a vacina contra a gripe também ajuda a impedir que doenças preveníveis sobrecarreguem o já pressionado sistema de saúde.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados