Faça uma busca
|
Publicado em: 25 de março de 2021

Alergia à camisinha: o que é, sintomas e como substituir

Entenda como funciona a alergia à camisinhas e aprenda a substituir para não deixar de se prevenir.

Imagem: UruphongK/iStock

A alergia à camisinha é real e pode causar reações graves. Seus sintomas são bem parecidos com outros tipos de alergia, coceira, vermelhidão e inchaço, só que nas partes íntimas.

A alergia pode estar relacionada a componentes do preservativo como o látex, lubrificante, corantes e aromatizantes. No entanto, o uso de preservativos não deve ser suspenso, mas sim substituído. Existem outras opções para manter a prevenção de ISTs (Infecções Sexualmente Transmissíveis) e gravidez. 

Leia também: Pílula do dia seguinte: 11 perguntas comuns esclarecidas

Quais os sintomas e como diagnosticar a alergia à camisinha?

A alergia à camisinha é mais comum entre as mulheres, por conta da membrana da mucosa da vagina que facilita a entrada das proteínas do látex no corpo. Facilitando também o surgimento de sintomas como inchaço e coceira.

Esta alergia pode apresentar sintomas logo após o contato com o látex ou entre 12 e 36 horas após o contato. Sendo assim, é necessário estar atento aos seguintes sintomas:

  • coceira na região íntima;
  • inchaço nas partes íntimas;
  • vermelhidão na pele;
  • descamação na pele da virilha.

Outros sintomas mais simples e que podem facilmente ser confundidos com outra reação alérgica são:

Alergia à camisinha
O corante nas camisinhas pode causar alergia (Imagem: PrimeTime_Productions/iStcock)
  • espirros constantes;
  • olhos lacrimejando;
  • garganta com sensação de estar arranhando.

Em casos mais graves, a pessoa pode ter sintomas mais fortes como tosse, falta de ar e sensação de fechamento da garganta. Nesses casos, é necessário procurar atendimento médico de forma imediata. 

Para confirmar o diagnóstico, procure um ginecologista, urologista ou alergologista. O profissional irá examinar a forma como a alergia está atingindo o indivíduo. Também será necessário realizar alguns testes e exames para identificar qual componente da camisinha está causando a alergia. 

Sendo confirmada a causa da alergia, o médico pode indicar a substituição da camisinha por alguma que não possua os componentes que causam a sua alergia. Em casos mais graves de alergia, antialérgicos, anti-inflamatórios e até mesmo corticoides podem ser indicados para o tratamento. 

Como substituir a camisinha?

Alergia à camisinha
A camisinha feminina pode ser usada como substituta em caso de alergia ao látex da camisinha masculina (Imagem: PrimeTime_Productions/iStock)

Para continuar mantendo relações sexuais de forma prevenida, há outros tipos de camisinha que podem substituir a camisinha de látex. 

Camisinhas femininas: as camisinhas femininas normalmente já são feitas de um material diferente do látex. Elas são pouco faladas, mas existem.

Camisinha de poliuretano: essa camisinha é feita com um plástico bem fino, que não contém látex e pode ser utilizada por quem tem alergia a este material. A proteção é a mesma.

Camisinha de poliisopreno: essa é fabricada com um material parecido com borracha sintética. Por não possuir as proteínas do látex, a camisinha de poliisopreno é segura para quem tem alergia ao látex. Além de ser seguro na prevenção de gravidez, infecções e doenças.

Caso sua alergia seja ao lubrificante da camisinha, faça uso de uma que tenha lubrificante à base d’água. Se são os corantes ou aromatizantes, o ideal é o uso de camisinhas que não possuam cores, sabores ou cheiros. 


Atenção:
Para ter o diagnóstico correto dos seus sintomas e fazer um tratamento eficaz e seguro, procure orientações de um médico ou farmacêutico.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados


close