Faça uma busca
|
Publicado em: 9 de outubro de 2021

Como os alimentos podem ajudar a prevenir o câncer

Depois das doenças cadiovasculares, é a segunda maior causa de morte no Brasil

Imagem: MarinaLitvinova/iStock

O câncer é a doença maligna mais temida do mundo. O termo é responsável por englobar mais de 100 doenças em diferentes partes do corpo, que possuem em comum o crescimento desordenado de células. Apesar de ser amplamente conhecido e arduamente estudado, o câncer ainda não possui cura e suas causas nem sempre são bem definidas.

Segundo o INCA, mais de 316 mil mulheres foram diagnosticadas com câncer em 2020, superando os homens com 309 mil casos. Além disso, o câncer de mama é o que mais se destaca, sendo responsável por quase 30% dos casos em mulheres. Nesse sentido, devido a sua alta incidência, a campanha Outubro Rosa como forma de conscientização e alerta sobre a importância da prevenção, do diagnóstico e do tratamento.

A seguir, entenda mais sobre o câncer, possíveis causas e maneiras de prevenir através da alimentação.

O que é câncer?

Apesar dos idosos corresponderem ao maior número de casos, pessoas de todas as idades podem ter a doença. (Imagem: Choreograph/iStock)

O câncer se caracteriza pela proliferação anormal das células que se dividem continuamente. Esse crescimento celular desregulado pode se espalhar e invadir o tecido normal, formando uma neoplasia maligna, que pode se disseminar para os tecidos ao redor e outras partes do organismo. Sendo assim, o câncer pode surgir em qualquer idade e se desenvolver em qualquer parte do corpo. Além disso, depois das doenças cadiovasculares, é a segunda maior causa de morte no Brasil. Existem mais de cem variedades de câncer, que se enquadram em quatro tipos principais: sarcomas, carcinomas, linfomas e leucemia.

Mas muitos tipos de câncer podem ser evitados, e em um grande número de casos pode ser tratado com sucesso, se identificados logo no início. Você pode reduzir o risco de desenvolvimento do câncer com uma avaliação médica adequada, cuidado com sintomas e fatores de risco, auto-exame regular e uma alimentação e estilo de vida saudáveis. Uma vida desregulada é um dos fatores determinantes em muitos casos da doença; o Instituto Nacional do Câncer estima que pelo menos 35% de todos os casos de câncer estão relacionados com hábitos alimentares.

O que causa câncer?

O surgimento de células cancerosas podem ter origem ambiental. (Imagem: Pornpak Khunatorn/iStock)

O desenvolvimento e a progressão do câncer são um processo complexo que inclui várias etapas. O câncer geralmente leva anos para se desenvolver, e acredita-se que ele é resultante de uma combinação de fatores, como hereditariedade, dano genético, meio ambiente, estilo de vida e alimentação.

A incapacidade do sistema imunológico de reparar os danos causados por agentes externos como a fumaça do cigarro, substâncias químicas, amianto, radiação (raios X e ultravioleta), poluentes químicos e outros carcinógenos ambientais, assim como o consumo excessivo de álcool, pode fazer com que as células normais se transformem em células pré-cancerosas. Essas, por sua vez, podem ou não se tornar células cancerosas. A exposição constante a radicais livres pode causar danos celulares e também induzir o desenvolvimento do câncer.

Como os alimentos podem ajudar

Uma alimentação balanceada é fundamental para evitar o câncer. (Imagem: Aamulya/iStock)

Ainda que alguns fatores genéticos e ambientais impliquem risco de desenvolvimento de cêncer, você pode ajudar a evitá-lo se passar a consumir alimentos saudáveis (além de parar de fumar e iniciar um programa de exercícios). Primeiramente, é preciso reduzir a gordura de sua alimentação. Estudos confirmam que é menos a incidência de câncer em pessoas que consumem pouca gordura.

Trocar gordura saturada pela monoinsaturada, como o azeite de oliva, também ajuda a prevenir o câncer e outras enfermidades perigosas. Além disso, algumas pesquisas indicam que os ácidos graxos ômega-3 atuam na proteção contra cânceres de mama, cólon e próstata, por impedirem o crescimento das células cancerosas.

Muitos outros compostos encontrados nos alimentos também estão sendo pesquisados por seu potencial em prevenir o surgimento do cêncer ou o crescimento de tumores cancerosos. Acredita-se que uma porção de fruta, por exemplo, contém centenas de fitoquímicos potencialmente benéficos ao organismo. Sem dúvida, a melhor maneira de assegurar a proteção dos nutrientes e fitoquímicos que combatem o câncer é simplesmente consumir uma grande variedade de frutas e vegetais.

A nutricionista Waleska Silveira esclarece alguns alimentos e substâncias naturais que podem ajudar a prevenir o câncer:

Veja também: Descubra como alimentação pode ajudar na azia.

Ácidos fenólicos

São capazes de destruir radicais livres e ativar enzimas de combate ao câncer. Dessa forma, podem bloquear a formação de carcinógenos, como as nitrosaminas da fumaça do cigarro e de carnes defumadas. Assim, os ácidos fenólicos que ajudam na luta contra o câncer são a curcumina e os ácidos caféico, clorogênico, ferúlico e elágico. Você pode consumir esse nutriente através do chá verde, da cúrcuma e das frutas silvestres.

Carotenóides

Acredita-se que os cartenóides interrompam o processo de divisão anormal típico das células cancerígenas. Ou seja, alguns cartenóides podem estimular a atividade das células NK (natural killer, ou exterminadoras naturais) do sistema imunológico. Nesse sentido, elas atacam e neutralizam as células cancerígenas. Além disso, estudos mostram que dois carotenóides podem ter ação eficaz na prevenção do câncer: o betacaroteno e o licopeno.

Compostos sulfurosos

São responsáveis pelo sabor e pelo cheiro forte do alho, da cebola, do alho-poró, da cebolinha e da chalota. Ainda assim, ajudam a reforçar o sistema imunológico, inibir o crescimento das células cancerígenas e prevenir a formação de nitrosaminas, substâncias carcinógenas encontradas na fumaça do cigarro e em carnes defumadas.

Fitoestrógenos

São capazes de bloquear estrógenos, cujas altas concentrações são relacionadas a certos tipos de câncer de origem hormonal. Ademais, existem dois tipos principais de fitoestrógenos - as isoflavonas, como a genisteína (encontrada nos derivados da soja), e a lignanas (encontrados na linhaça, no centeio e nas sementes de gergelim).

Flavonoides

Cada tipo de flavonóide funciona de modo diferente, e muitos deles têm ação antioxidante. Ainda assim, também podem ajudar na absorção de vitamina C, uma importante vitamina antioxidante. As principais categorias dos flavonóides estudados por seu potencial de combate ao câncer incluem antocianinas, flavonóides cítricos, quercetina, isoflavonas (encontrados na soja) e catequinas (encontrados no chá).

Glicosinolatos

Substâncias químicas naturais encontradas nos vegetais crucíferos, como brócolis e repolho, são antecessores potencialmente vigorosos de alguns elementos que combatem o câncer, como indóis e isoticianatos. Além disso, acredita-se que seus derivados aumentem as defesas do organismo contra o câncer.

Vitaminas antioxidantes e oligoelementos

Os radicais livres são produzidos no organismo por reações celulares de oxigêneo e glicose. Mas, também, podem ser gerados por agentes ambientais (fumaça de cigarro, radiação e mistura de neblina e fumaça), podendo desencadear câncer. Nesse sentido, os nutrientes que atuam como antioxidantes neutralizam os radicais livres e ajudam a evitar que as células se tornem cancerígenas. Alguns dos principais nutrientes antioxidantes são: vitamina C, vitamina E e o oligoelemento selênio.

fechar

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados


close