Faça uma busca
|
Publicado em: 25 de outubro de 2021

Dieta da proteína: o que é e como fazer

A dieta das proteínas pode ajudar a perder peso rapidamente se for feita de forma segura e com acompanhamento profissional.

Imagem: a_namenko/iStock

É inegável que a dieta das proteínas ocupa um lugar de destaque entre as dietas que prometem reduzir as medidas. Não é exagero afirmar que seu surgimento causou uma verdadeira revolução nos conceitos de dietas de emagrecimento, até então restritas a regimes hipocalóricos, em que prevaleciam poucas refeições e, o que é pior, com pouca comida.

Leia também: Reeducação alimentar ou dieta: qual caminho seguir?

Criada na década de 1960 pelo americano Robert Atkins e depois desenvolvida pelo francês Pierre Dukan, a dieta das proteínas ganha até hoje uma infinidade de adaptações. O segredo do grande número de seguidores espalhados pelo mundo, além da efetiva e rápida perda de peso, talvez seja o cardápio repleto de carnes, ou, quem sabe, a não existência de um limite para o consumo desses alimentos. Assim, tratando-se de uma dieta de emagrecimento, não é difícil imaginar o motivo de tanto sucesso.

O que é dieta da proteína?

Basicamente, o princípio da dieta das proteínas puras é o consumo exclusivo de alimentos proteicos, como carne, peixe, laticínios e clara de ovos.

A estimativa de perda de peso durante o período desse tipo de dieta, em média, é de 2,5 kg a 3 kg em sete dias. Dependendo da orientação profissional, a dieta da proteína pode apresentar pequenas variações, como o acompanhamento de um aporte de gordura, geralmente animal, ou até mesmo de uma quantidade mínima de carboidratos. Mas o que prevalece é o consumo das carnes, sem limite de quantidade e número de refeições.

Devemos lembrar que, ao longo das últimas décadas, graças à crescente preocupação com a saúde, estudos identificaram os carboidratos como os grandes vilões do ganho de peso e, consequentemente, da dificuldade de perdê-lo, embora essa seja uma premissa discutível.

Leia também: O que são carboidratos simples e por que evitá-los

Carboidratos à parte, não é à toa que a dieta das proteínas é a mais popular entre as pessoas que buscam o emagrecimento rápido. Afinal, não é qualquer regime que, mesmo sendo restritivo, por abolir outras categorias de alimentos, não deixa ninguém contando os minutos que faltam para a próxima refeição. Geralmente, os adeptos dessa dieta se alimentam a cada duas horas.

Dieta Atkins

A Dieta Atkins foi originalmente desenvolvida pelo cardiologista americano Robert Atkins, nos anos 1960. Em um período de 15 dias, a alimentação não pode ultrapassar a ingestão diária de 20 g de carboidratos. A dieta é limitada a proteínas animais, ovos, peixes e frutos do mar. Esse período é recomendado para induzir o metabolismo à cetose e prepará-lo para a fase mais prolongada da dieta.

A cetose foi identificada pelo Dr. Alfred Bauer, em 1962, e ocorre quando o fígado converte gorduras em ácidos graxos e corpos cetônicos, que serão usados pelo corpo e farão seu metabolismo mudar da queima de glicose para a queima de gordura corporal, o que leva à perda de peso. Estar em cetose significa que você está queimando seus depósitos de gordura, consumindo-os e transformando-os em energia. O corpo começa a usar a gordura diretamente, em vez de usar a glicose, como normalmente faz.

Dieta das proteínas puras do Dr. Dukan

Na dieta das proteínas puras, criada pelo médico e nutrólogo francês Pierre Dukan, carboidratos não são liberados na primeira fase, ou seja, de início esqueça pães, massas e todos os derivados de cereais, assim como açúcares, tanto os refinados como os naturais. Depois de algum tempo, nosso corpo entra em cetose, mesmo processo descrito anteriormente.

Cuidados necessários

Por se tratar de uma dieta de emergência, a dieta da proteína deve ser realizada de dois a sete dias, no máximo. A dieta proteica, em virtude do consumo exagerado de carne, a longo prazo pode aumentar o colesterol e causar problemas cardíacos. Mas, como estamos tratando dela de forma emergencial, nenhum problema irá ocorrer desde que você não estabeleça essa dieta como norma alimentar. Não se entusiasme, pois, mesmo que o resultado inicial seja espetacular, os riscos futuros não compensam. 

Podemos encontrar várias versões da dieta das proteínas, com diversas sugestões de cardápio e restrições alimentares, no entanto, elas têm algo em comum: devem ser adotadas por pouco tempo e com acompanhamento médico.

Etapas das dietas proteicas

As dietas de proteínas são comumente vinculadas a etapas, pois, como são dietas restritivas, devem ser seguidas por pouco tempo, voltando-se a introduzir gradativamente outros alimentos e nutrientes para que o metabolismo do corpo se restabeleça. 

Primeira etapa

Nesse tipo de dieta, a perda de peso na primeira etapa é imediata, mas é importante lembrar-se de que ela não é duradoura. Leve em consideração a diferença entre o peso ideal e o peso idealizado, ou seja, o quanto você quer perder e o quanto pode perder nesse momento de emergência. Nada de exageros.

A duração desse período inicial pode variar de dois a sete dias. E o ideal, claro, é adquirir bons hábitos alimentares e fazer exercícios regularmente, para que os esforços dessa perda do início sejam recompensados com uma vida mais saudável.

Segunda etapa

Na segunda etapa das dietas de proteínas, em geral, legumes e verduras são adicionados às proteínas já permitidas, com algumas exceções, como batata e mandioca; na terceira, outros tipos de alimentos, como frutas, carboidratos e lipídeos; e, na última fase, você volta a uma alimentação completa, reservando um dia da semana para a dieta das proteínas puras, que, segundo estudos, tem o poderoso efeito surpresa que faz o corpo reagir e, assim, emagrecer.

O que você precisa saber sobre a dieta da proteína

A alimentação baseada em um único nutriente é difícil de ser seguida e pode trazer efeitos prejudiciais à saúde, uma vez que o corpo buscará calorias de outras fontes. Quando esse nutriente é a proteína, indispensável para a sobrevivência e a manutenção dos órgãos, a sua absorção pelo organismo exige intenso gasto calórico, liberando calor e aumentando a temperatura do corpo.

As proteínas puras podem também reduzir o apetite, e, ao fim de dois ou três dias dessa alimentação restritiva, sua fome pode diminuir, garantem os estudiosos.

Essa dieta faz emagrecer sem perda muscular nem flacidez na pele, pois músculos e tecidos são constituídos basicamente de proteínas. Sendo assim, o emagrecimento rápido e tonificante mantém os músculos firmes e a pele viçosa, permitindo que a pessoa emagreça de bem com o corpo.

Mais um atrativo é que as proteínas puras reduzem a retenção de líquidos. No entanto, é importante que se beba dois litros de água por dia. Procure evitar água com gás, pois, em excesso, ela pode causar irritação estomacal por causa do processo artificial de gaseificação. Café sem açúcar pela manhã, chá (também sem açúcar) à tarde e água ao longo do dia, preferencialmente longe das refeições, permitem que esses dois litros sejam ingeridos sem grandes esforços. Beber muita água de uma única vez não é aconselhado, pois pode interferir no nível de sódio do sangue. 

Algumas pessoas admitem que não sentem sede, mas a ingestão de líquidos faz funcionar os órgãos de excreção, o que é vital. Seguir uma dieta sem beber água não só sabota o emagrecimento como é prejudicial ao organismo, visto que não libera as toxinas. Rins e intestinos não podem ficar preguiçosos durante o processo.

Além disso, água e proteínas puras juntas são aliadas poderosas contra a celulite, garantem os pesquisadores. Os resultados são atribuídos à penetração da água nos tecidos.

Dicas de como fazer a dieta da proteína

1. Evite as gemas de ovo

As proteínas são encontradas na maioria dos alimentos, mas apenas a clara de ovo é considerada a proteína pura por excelência. Com a gema não ocorre o mesmo. Em razão da alta concentração de colesterol, limite a ingestão a quatro gemas por semana.

2. Coma alimentos ricos em proteínas

As proteínas são nutrientes de digestão lenta, o que pode contribuir para prolongar a sensação de saciedade, e não há limite na quantidade de consumo desses alimentos. Mas não se esqueça de que você só pode comer alimentos ricos em proteínas.

3. Evite o excesso de sal

A ingestão de sal deve ser parcimoniosa. Os pesquisadores garantem que não há necessidade de acrescentar sal à comida, pois ele é encontrado na composição dos alimentos. Talvez não na quantidade a que estamos habituados, mas é o suficiente. Além de ser supérfluo, o acréscimo de sal favorece a retenção de água no organismo e, consequentemente, atrasa qualquer plano de perda de peso.

4. Não pule refeições

Não se deve pular refeições, nem ficar sem comer por mais de quatro horas, pois isso acarreta um desgaste para o organismo e prejudica sua dieta. Mas, como já vimos, a dieta das proteínas não tem restrição quanto ao número de vezes que você pode se alimentar durante o dia.

5. Não fuja da dieta

A eficácia dessa dieta está inteiramente ligada à limitação a essa categoria de alimentos: as proteínas puras. Durante o período de dieta, não há qualquer referência à contagem de calorias e nem à sua redução. Consumir pouca ou muita quantidade de alimentos proteicos não é significativo para a dieta. O mais importante é não sair desse conjunto alimentar.

6. Pratique exercícios

São diversas as razões para que ocorra o aumento de peso. Elas podem variar de problemas físicos a psíquicos, e planejar uma dieta não é uma tarefa das mais simples. Estudos indicam que a dieta da proteína pode ser a que mais facilita manter a decisão de emagrecer. O efeito metabólico imprevisto no organismo – deixar de queimar carboidratos e passar a queimar proteínas – leva a uma redução de peso imediata.

Além da alimentação, a atividade física é um auxílio valiosíssimo para que você alcance o sucesso na dieta. Você pode considerar isso uma verdadeira prescrição médica. Até mesmo uma atividade simples, como caminhar, ajuda na queima de gordura e no bem-estar físico e mental.

6. Pratique exercícios

Embora os alimentos de origem animal sejam os protagonistas, por serem os mais próximos dessa condição de valor proteico, os vegetarianos também podem seguir essa dieta. Existem produtos da soja e do trigo que concentram proteínas vegetais. O mais importante é respeitar a lista que veremos a seguir, compreendendo que essa dieta é apenas temporária; depois, todos os alimentos poderão ser consumidos novamente.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados


close