Faça uma busca


|
Publicado em: 28 de outubro de 2020

Síndrome da fadiga crônica: 14 formas para enfrentar a doença

Confira algumas dicas para você lidar melhor com a síndrome da fadiga crônica.

Imagem: franz12/iStock

Antigamente conhecida como “gripe dos yuppies”, a síndrome da fadiga crônica (SFC) é uma doença que causa sintomas gripais e não há tratamento comprovado.

Quais os sintomas da síndrome da fadiga crônica?

A síndrome da fadiga crônica é caracterizada por fadiga debilitante e persistente, além de outros sintomas misteriosos que incluem os seguintes sintomas:

  • cefaleia;
  • dor e fraqueza musculares;
  • linfonodos dolorosos à palpação;
  • dor de garganta;
  • dor nas articulações;
  • sono não revigorante;
  • dificuldade de concentração;
  • exaustão pós-exercício com duração de 24 horas;
  • problemas de memória de curto prazo;
  • febre baixa crônica ou recorrente.

Qual a causa da síndrome da fadiga crônica?

Em muitos casos, a síndrome surge em consequência de uma doença viral, como mononucleose ou gripe. Outros possíveis fatores de contribuição são estresse prolongado, desequilíbrio hormonal, pressão arterial baixa (hipotensão), alergias, distúrbios do sistema imunológico e problemas psicológicos. A maioria dos pacientes com SFC acaba por se recuperar, mas isso pode levar um ano ou mais.

Como é feito o diagnóstico e qual a cura?

Não há exames laboratoriais para o diagnóstico da síndrome da fadiga crônica, portanto, é preciso que o médico exclua todas as outras causas de sintomas semelhantes.

Embora não haja cura conhecida para a síndrome da fadiga crônica, alguns nutrientes podem ser úteis. Os médicos destacam a importância de uma dieta balanceada e algumas mudanças do estilo de vida. Veja abaixo 14 dicas que podem ajudá-lo a enfrentar a síndrome da fadiga crônica:

1. Elimine as alergias alimentares

Procure a orientação de um nutricionista para ajudá-lo a atender suas necessidades nutricionais e a eliminar possíveis alergias alimentares.

2. Comece com amido em abundância

Frutas e hortaliças ajudam a fornecer os carboidratos que o corpo usa para obter energia. Elas também contêm as vitaminas necessárias para resistir a infecções.

3. Fortaleça o sistema imunológico

Alimentos ricos em zinco – como frutos do mar (sobretudo ostras), carne, aves, ovos, leite, leguminosas, nozes, castanhas e grãos integrais – bem como alimentos ricos em vitamina C – como frutas cítricas, frutos silvestres, melão, kiwi, brócolis e couve-flor – ajudam a manter o bom funcionamento do sistema imunológico. Um sistema imunológico saudável ajuda a evitar alguns vírus, como os da gripe e do resfriado, que podem preceder a síndrome.

Leia também: 6 maneiras surpreendentes de aumentar sua imunidade

4. Consuma mais ácidos graxos essenciais

Alguns sintomas da síndrome da fadiga crônica são aumento dos linfonodos e inflamação articular, que podem ser aliviados temporariamente por alimentos ricos em ácidos graxos essenciais, entre eles peixe, nozes e castanhas, sementes, linhaça e óleo de linhaça, óleo de canola, germe de trigo e verduras de folhas verdes.

5. Aumente a dose de magnésio

O magnésio está associado à contração e ao relaxamento dos músculos. O consumo de alimentos que contêm esse mineral ajuda a aliviar a dor muscular da síndrome da fadiga crônica. Os alimentos ricos em magnésio incluem sementes de girassol, leguminosas, grãos integrais e verduras de folhas verdes.

6. Evite as bebidas alcoólicas

Pesquisas indicam que álcool reduz a imunidade.

7. Limite a cafeína

Café solúvel na xícara
Imagem: NikiLitov/iStock

As bebidas cafeinadas devem ser consumidas com moderação para minimizar problemas de sono.

8. Garanta o sal suficiente

Se a sua pressão arterial for baixa, o aumento da ingestão de sal pode ser benéfico.

9. Mantenha um diário detalhado

Acompanhe o progresso e anote sintomas, alimentos e atividades que afetam o corpo.

10. Evite os cochilos diurnos

Dormir durante o dia pode exacerbar problemas do sono. Em vez disso, durma de sete a nove horas por noite.

11. Busque orientação

A terapia cognitiva comportamental ajuda as pessoas com síndrome da fadiga crônica a ter maior sensação de controle.

12. Reduza o estresse

Evite o esforço excessivo ou o estresse psicológico, que podem agravar os sintomas.

13. Consulte o médico sobre o exercício físico

Jovem praticando exercicio fisico ao ar livre
Imagem: Prostock-Studio/iStock

Estudos mostraram que 75% dos pacientes com síndrome da fadiga crônica que puderam se exercitar relataram diminuição da fadiga, maior eficiência no dia a dia e melhor condição física depois de um ano.

14. Converse com o médico sobre o uso de medicamentos

Embora não haja medicamentos que curem a síndrome da fadiga crônica, alguns ajudam a tratar os sintomas da síndrome. O ácido acetilsalicílico e outros analgésicos podem aliviar a cefaleia e as dores articular e muscular, e os antidepressivos são úteis em alguns pacientes.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados