Se você pensa que a cirurgia plástica só as pessoas idosas e as de meia-idade procuram para melhorar seu aspecto, está muito enganado, pois estatísticas recentes revelam que cerca de  40% dessas cirurgias são realizadas por pessoas entre os 35 e os 50 anos, e 27%, por pessoas entre os 19 e os 34 anos.

E querer melhorar o aspecto não é, ao contrário do que se pensa, privilégio das mulheres. Calcula-se que uma em cada quatro intervenções é feita em homens. 

Uma cirurgia plástica também apresenta riscos

Só porque uma cirurgia é classificada como estética, não significa que esteja isenta de riscos. Evidentemente, algumas serão mais seguras que outras, mas a verdade é que qualquer intervenção cirúrgica pode dar origem a complicações. Infecção, desfiguração, paralisia e até a morte são ocorrências possíveis em quase todos os tipos de intervenções. Calcula-se que a probabilidade de ocorrência destas complicações em cirurgias plásticas não é maior do que em qualquer outro tipo de cirurgia. 

Mesmo quando uma operação decorre sem problemas, a pessoa pode não ficar totalmente satisfeita com o resultado. 

As imagens digitais podem nos dar uma ideia lisonjeira de como ficará nosso nariz, face ou abdome; mas a aparência final depois da intervenção depende muito da perícia do cirurgião e de fatores específicos de cada um, como o tipo de pele, a estrutura óssea, a capacidade de cicatrização e o estado geral de saúde.  

Veja também harmonização facial.

  • hedgehog94/iStock

    Se você tem expectativas pouco realistas e excessivamente otimistas sobre os resultados da cirurgia e os benefícios que daí virão, não deixe de falar sobre o assunto com o cirurgião. Um profissional experiente o ajudará a preparar-se para o fato de que o resultado nem sempre corresponde às expectativas.

  • Chainarong Prasertthai/iStock

    E mais os custos 

    A cirurgia plástica não é coberta pelos Planos de Saúde ou pelo Sistema de Seguridade Social. Antes de se decidir a submeter-se a uma intervenção, faça um cálculo das despesas com honorários médicos e pagamento de todos os serviços, incluindo sala de operações, anestesia, medicamentos e consultas antes e depois da cirurgia. Certifique-se igualmente das condições em que poderá ser feita uma nova intervenção, caso o resultado da primeira fique aquém do esperado.

    Por outro lado, tomar decisões baseadas exclusivamente no fator  custo pode não ser a atitude mais sensata e trazer complicações. Assegure-se, ouvindo diversas opiniões, de que uma intervenção que requeira anestesia geral não vai ser realizada apenas sob efeito de anestesia local. E que uma outra que deva ser feita em meio hospitalar não será efetuada numa unidade com aparelhagem  deficiente.

    Assim também é o fato de os custos neste tipo de cirurgia serem muito elevados não é garantia de que tudo corra de acordo com o planejado. Informações corretas sobre os requisitos  da intervenção que você fazer e a perícia e reputação do cirurgião permitem limitar o risco de possíveis problemas e é meio caminho para assegurar o êxito dos resultados.

  • lyosha_nazarenko/iStock

    Avaliar o cirurgião 

    Qualquer médico com residência e especialização em cirurgia pode realizar a intervenção. Um médico pode ter-se especializado em ginecologia ou dermatologia e fazer uma lipoaspiração, por exemplo, sem transgredir a lei.

    Uma das melhores formas de avaliar a capacidade do cirurgião plástico é verificar a sua prática e as suas credenciais. você deve contatar a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica do seu estado para verificar se o médico é membro sem restrições e tem experiência suficiente. Pode também consultar o Conselho Regional de Medicina para obter informações.

    Uma vez verificadas as qualificações acadêmicas e profissionais do cirurgião, tente obter as seguintes informações para ter a certeza de que receberá tratamento qualificado:

    1. O número de vezes que o cirurgião executou a cirurgia em questão e as complicações que os respectivos pacientes sofreram.

    2. A escola médica do cirurgião, onde ele fez o internato, a duração e tipo de estudos em cirurgia plástica.

    3. Exemplos de operações recentes. (Veja o antes e o depois com algum ceticismo.)

    Como o campo da cirurgia plástica cresce muito rápido, todos os dias surgem novos equipamentos e técnicas cirúrgicas mais sofisticadas. Mas novo nem sempre significa melhor, especialmente se o médico tem pouca experiência com essa tecnologia de ponta.

    Peça a seu médico de família que lhe recomende um cirurgião e pergunte a amigos, colegas e parentes se já foram submetidos à operação que você tem intenção de fazer ou se conhecem alguém que o tenha feito. A experiência pessoal é muitas vezes uma fonte segura de informação sobre a competência do cirurgião plástico.

  • Shutter2U/iStock

    A clínica

    Se você tem cirurgia marcada, certifique-se previamente de que esse estabelecimento possui pessoal de enfermagem qualificado, anestesista com experiência, assim como equipamentos de ressuscitação, para o caso de ocorrerem complicações que coloquem sua vida em risco.

  • gorodenkoff/iStock

    Evitar problemas 

    Tenha cuidado com os “truques” de um cirurgião que quer insinuar-se. Se, por exemplo, durante as consultas para o planejamento da operação lhe for sugerido que “valia a pena aproveitar a oportunidade” para corrigir um “defeito” no qual você nunca reparou, o médico pode estar tentando ganhar mais dinheiro. Suponha que você procura uma opinião sobre as bolsas debaixo dos olhos e sai convencido de que precisa também de um novo nariz e de um queixo menor; neste caso, você tem boas razões para se interrogar sobre se o médico estará pensando no interesse do paciente — ou no dele.

    Tenha cuidado igualmente se o cirurgião lhe apresentar apenas o benefícios da intervenção, sem mencionar nem discutir o que poderá correr mal. Todas as cirurgias envolvem riscos. Caso você não receba uma explicação completa e clara sobre, além das vantagens, os possíveis problemas associados à operação, ou se os fatores de risco forem desvalorizados, você não está sendo tratado com seriedade nem com correção.

    Leia também nosso artigo Cirurgia plástica: 13 coisas que você precisa saber antes de fazer a sua

  • ivandan/iStock

    Intervenções da cirurgia plástica

    Eis algumas das intervenções mais frequentemente realizadas pelos cirurgiões plásticos. Todas elas comportam riscos, desde as cicatrizes à paralisia facial e mesmo, no caso da lipoaspiração, a morte. A escolha de um cirurgião de reconhecida competência reduz drasticamente as probabilidades de um acidente.

    Cirurgia das pálpebras (blefaroplastia) 

    Objetivo

    Corrige as bolsas debaixo dos olhos e as pálpebras superiores caídas pela remoção do excesso de gordura, pele e músculo.

    Tempo de recuperação 

    7 a 10 dias em casa, interdição de leitura de dois a três dias e do uso de lentes de contato durante 14 dias ou mais; hematomas e inchação duram várias semanas.

    Riscos 

    Visão turva ou dupla temporária, infecção, hematoma, inchaço, secura dos olhos; dificuldade permanente de fechar os olhos; retração das pálpebras inferiores, exigindo futura cirurgia; cegueira permanente.

    Duração

    Vários anos; às vezes, toda a vida.

  • gorodenkoff/iStock

    Face-lift (ritidectomia)

    Objetivo 

    Melhora a face caída, incluindo bochechas pendentes e pescoço flácido, por meio de remoção de excessos de gordura, do retesamento de músculos e do reajustamento da pele.

    Tempo de recuperação 

    10 a 14 dias em casa; equimoses durante duas a 3 semanas.

    Riscos 

    Paralisia facial, infecção, hematoma, cicatriz hipertrófica, alteração drástica no aspecto do rosto.

    Duração 

    Cerca de 5 a 10 anos.

     

  • Deagreez/iStock

    Levantamento das sobrancelhas

    Objetivo

    Minimiza as rugas da testa, sobrancelhas pendentes, olhos escondidos e linhas de expressão por meio da remoção do excesso de pele da fronte.

    Tempo de recuperação 

    7 a 10 dias em casa (menos se executada com endoscópio, que requer menor número de incisões); equimoses durantes 2 a 3 semanas.

    Riscos 

    Perda de movimentos faciais, fraqueza muscular, infecções, cicartizes, assimetria.

    Duração

    Cerca de 5 a 10 anos.

  • ronstik/iStock

    Lipoaspiração

    Objetivo

    Altera a forma do corpo pela remoção  dos depósitos de gordura. Executada pela aspiração da gordura através de um tubo ligado a um aparelho de vácuo. Na lipoaspiração tumescente, a região é previamente preenchida com uma solução salino-anestésica, a fim de permitir a aspiração da gordura com menos inchaço e hematoma. Na lipoaspiração por ultrassons, utilizam-se ondas de sompara liquefazer a gordura antes de removê-la.

    Tempo de recuperação 

    1 a 2 semanas em casa; inchação e hematoma de 1 a 6 meses ou mais.

    Riscos 

    Enrugamento ou flacidez da pele, hiperpigmentação cutânea, lesões da pele, infecção, queimaduras, perda excessiva de fluidos, originando choque e parada cardíaca, embolia. Complicações derivadas da lipoaspiração têm sido a causa de várias mortes.

    Duração

    Para toda a vida, com alimentação adequada e exercício.

  • Motortion/iStock

    Operação do nariz (rinoplastia) 

    Objetivo 

    Dá nova forma ao nariz e pode corrigir obstruções respiratórias por meio do corte ou reparação da cartilagem ou osso, ou ainda por enxerto de cartilagem ou osso.

    Tempo de recuperação 

    1 a 2 semanas em casa, inicialmente; a cura completa pode levar 1 ano ou mais.

    Riscos 

    Infecção; lesão de vasos capilares, provocando manchas vermelhas no nariz. Pode exigir uma nova cirurgia.

    Duração

    Para toda a vida.

     

  • AndreyPopov/iStock

    Redução da parede abdominal (abdominoplastia)

    Objetivo 

    Aplana o abdome caído, removendo o excesso de gordura e pele retesando os músculos.

    Tempo de recuperação 

    2 a 4 semanas em casa; interdição de atividades que exijam esforço de 4 6 semanas; cicatrizes possivelmente muito visíveis de 3 meses a 2 anos.

    Riscos 

    Tromboembolia, infecção, cicatrizes podem requerer uma segunda operação.

    Duração

    Para toda a vida, com alimentação adequada e exercício.

  • slide anterior próximo slide