Faça uma busca
|
Publicado em: 24 de março de 2019

Como acabar com os piolhos de forma simples

Conheça as opções disponíveis no mercado para se livrar dos piolhos de uma vez por todas.

Imagem: Jovanmandic/iStock

Piolhos são bastantee contagiosos e verdadeiramente indesejados. Eles se infestam por contato e sentem-se em casa tanto em cabelo limpo quanto em cabelo não lavado. Descubra como acabar com os piolhos!

Há 5 fatos sobre piolhos e lêndeas que você precisa conhecer:

  • Os piolhos são insetos e as lêndeas são seus ovos;
  • É impossível afogar os piolhos;
  • É mais difícil eliminar as lêndeas do que os piolhos. Por isso, não se deve interromper o tratamento;
  • Lêndeas não devem ser confundidas com caspa. Elas ficam agarradas ao fio de cabelo;
  • Os ovos vazios são brancos. Os ovos vivos são da mesma cor do cabelo, por isso é difícil vê-los.

Como acabar com os piolhos

Quase todos os medicamentos contra piolhos são vendidos sem prescrição médica. Em geral, uma única aplicação mata todos, levando cerca de 12 horas para resolver o problema. É necessária uma segunda aplicação dez dias depois para matar as lêndeas que eclodiram.

As soluções pesticidas alcoólicas são as mais eficientes, mas existem opções à base de água para crianças pequenas e para portadores de eczema ou asma. Problemas decorrentes de uso excessivo só acontecem se as instruções do fabricante não são seguidas corretamente.

Leia também: 4 segredos para você manter cabelo e unhas saudáveis

Outras formas de eliminar o piolho

Havendo preocupação com o uso de pesticida em crianças, existem 3 outros métodos para acabar com os piolhos. São tão eficazes quanto os métodos químicos, mas tendem a ser mais demorados.

1 - Óleos de aromaterapia

Muitos óleos matam piolhos, como os de salsa, eucalipto, gerânio, pinho, alecrim e tomilho. Os mais seguros para uso em crianças são os óleos de melaleuca e lavanda.

Em um frasco, misture 1 colher de chá de óleo essencial de melaleuca ou de lavanda puro com 5 colheres de sopa de água morna, 2 colheres de sopa de álcool ou vodca e 1 colher de chá de óleo de rícino. Agite bem. Faça divisões a intervalos de 1 cm nos cabelos e aplique a loção sobre o couro cabeludo, cobrindo cerca de 5 cm do fio a partir da raiz. Deixe por 12 horas ou durante a noite. Lave com xampu e água morna, massageando bem. Enxáque e repita. Use um pente fino para remover os piolhos mortos e as lêndeas. Se possível, deixe o cabelo secar naturalmente, pois o calor evapora os ingredientes ativos. Repita a cada três dias durante duas semanas e examine o cabelo, observando se há reinfestação. O cloro de piscinas, os permanentes e as tinturas reduzem a eficácia do tratamento.

2 - Kit exterminador de inseto

Nas farmácias é possível encontrar um pente-fino, que é usado nos cabelos molhados e com condicionador. A superfície escorregadia torna mais lento o movimento dos piolhos e impede que eles se fixem ao couro cabeludo; assim, o pente consegue retirá-los. Seis sessões de caça aos insetos em um período de duas semanas devem resolver o problema. Ao contrário do que ocorre nos tratamentos químicos, os piolhos não se tornam resistentes.

3 - Pente eletrônico

Este pente alimentado por bateria tem um pequeno sensor na extremidade de cada dente. Praticamente nãos e sente nada, mas, ao tocar um piolho na cabeça, o sensor emite uma corrente elétrica que o mata. Os piolhos mortos ficam presos nos dentes do pente e são removidos com facilidade. Como ele não mata os ovos, é preciso repetir o tratamento a cada dois dias durante duas semanas. O uso do pente eletrônico é difícil em cabelos compridos e, por isso, a eficácia é menor.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados


Cadastre-se GRÁTIS para continuar lendo


Você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos

Já tem cadastro? Faça login aqui.

Já sou assinante da Revista Impressa

close