Faça uma busca
|
Publicado em: 16 de maio de 2020

A Família Coronavírus

Essa narrativa tem vilões, anti-heróis e ingredientes brasileiros. Tudo para lutar combater a Família do mal.

Imagem:

Parece que o velho Coronavírus – não “novo”, como os jornais cismam em citar – tem uma família.

E tem um disfarce.  

Digo “velho” porque já o conhecemos bem, mas não tudo sobre ele.

Ele é o cabeça de um grupo de assaltantes.

Meliantes.

Patifes.

Tratantes.

Assassinos.

É como se ele fosse o Charles Manson dos vírus.

O câncer dos vírus.  

Ele começou aliando poucos.

E, aos poucos, foi aumentando sua gangue.

Corona é o cabeça. Sua Vice é a Febre.

Então, eles aliaram a Dor de Cabeça, a Gripe e a Tosse.

Essa Tríplice Aliança ficou um bom tempo na área.

Depois, veio a Coriza, que deve ter lá seus 60 anos, é a tiazona da Famíglia.

Houve um boato que teriam convidado a Dor de Garganta.

Cada dia, é uma novidade.

No começo, os investigadores descartaram essa hipótese, e depois ela foi confirmada:

Dor de Garganta também fazia parte da temida gangue.

O Hulk da Família – ou melhor, A Hulka – é a Falta de Ar.

Essa aí é o verdadeiro estrago.

Já derrubou milhões.

Depois, tiveram alguns desses meliantes que apareceram, mas não sabemos se fizeram parte oficialmente da equipe.

Conjuntivite? Diarréia? Nada comprovado.

Então, de um lado temos essa Família maldita.

Mas, do outro, temos nossa aposta mais promissora.

A Cloroquina.

Uma anti-heroína.

Ela é irmã daquela moçoila da DC Comics:

A Arlequina.

Ela é heroína, mas também humana, também tem suas falhas.

Às vezes ela acerta, outras, ela erra.

Fatalmente, ela não vai nos salvar.

Então, para isso, temos nossos verdadeiros heróis brasileiros.

Durante essa pandemia, o Cabeça da nossa Família do Bem é o Bom-Humor.

Nós – ainda – não temos vacina contra essa praga.

Mas temos protagonistas muito mais interessantes, como:

O Chá de Boldo.

Canela de Velho.

Minâncora.

Leite de Rosas.

Pedra Pomes.

Unha de Gato.

Corote.

Biotônico Fontoura.

Talco Barla.

Espinheira Santa.

Xarope de Guaco.

Quero ver o Coronavírus bater de frente com esse time.

Bate tudo isso com uma Velho Barreiro ou uma Jurupinga e manda bala.

A mistura já vem benzida pro corpo.

Então, eu quero ver se alguma Família do mal tem peito pra encarar nossos ingredientes brazucas.

Porque é questão de tempo até essa narrativa virar vida real.

Marina Estevão
Marina Estevão
Formada em Jornalismo pela PUC-RJ, sua paixão é escrever sobre o que vive, o que vê e o que sente. Afinal, toda história tem vários lados, o que muda é a forma de contá-la – sempre de bom humor.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados


close