Faça uma busca
|
Publicado em: 16 de julho de 2021

A gigante de tecnologia que não lida bem com home office

Problemas com o trabalho remoto não são uma exclusividade das empresas tradicionais, no final das contas.

Imagem: prachanart/iStock

O trabalho remoto nos foi imposto goela abaixo durante a pandemia, é verdade. Mas alguns de nós permanecerão neste regime depois que as coisas “voltarem ao normal” — e estão felizes com isso. Não é o caso dos funcionários da Apple, de acordo com informações recentes que circulam na mídia especializada internacional.

Leia também: Um robô que faz unhas, outro que dá aulas — e os empregos, para onde vão?

A empresa propôs um modelo de trabalho híbrido, para que os trabalhadores visitassem o escritório pelo menos três vezes por semana a partir de setembro. Entretanto, agora a big tech parece estar reprimindo até mesmo cargos que eram exceção à regra e tinham regimes mais flexíveis. A situação tem gerado polêmica a ponto de um grupo já estar pensando em pedir demissão.

Trabalho remoto não é encorajado pela Apple

Apesar de vermos grandes empresas como o Facebook estimando que cada vez mais sua força de produção atuará de forma remota, a Apple, que é a empresa de tecnologia com o maior valor de mercado do mundo, nunca foi muito favorável a esse esquema.

No início de junho, funcionários chegaram a enviar uma carta a Tim Cook, o CEO da gigante de Cupertino, pedindo para que o modelo híbrido fosse reavaliado. Entretanto, um vídeo-resposta de Deirdre O'Brien, vice-presidente sênior de varejo e pessoal da Apple ressaltou que “a colaboração pessoal é essencial” para a cultura e o futuro da empresa, descartando o pedido dos empregados.

Apple Park (Imagem: hapabapa/iStock)
Apple Park (Imagem: hapabapa/iStock)

Funcionários pensam em pedir demissão

Com o cenário de pandemia, a empresa realizou uma pesquisa com funcionários sobre o tema do trabalho remoto, e 36,7% afirmaram que temiam deixar a Apple devido à falta de flexibilidade. 

Fontes ouvidas pelo The Verge afirmam que um grupo do Slack com mais de 6.000 membros da empresa, cerca de 10 pessoas afirmaram estar se demitindo devido à política rígida do trabalho híbrido ou conhecer alguém que foi forçado a pedir demissão por este motivo.

Um trabalhador em acomodação médica diz que pode perder o emprego

De acordo com um funcionário que estava em uma acomodação proveniente da Lei dos Americanos com Deficiências (ADA), seu emprego será perdido em setembro. O homem diz que a empresa informou que a acomodação seria negada quando a empresa voltasse ao escritório. O problema parece ser um termo que a companhia pede para que seus empregados assinem liberando seus registros médicos para a Apple — o que não é visto com bons olhos por muita gente.

A Apple tem uma política que dá ao funcionário 30 dias para encontrar outra posição na empresa caso a equipe atual negue uma acomodação médica, mas segundo o funcionário, não existem posições remotas disponíveis.

Em meio à polêmica, um grupo de trabalhadores pensa em dar entrada em uma ação legal contra a empresa. A Apple não comentou o assunto.

Ana Marques
Ana Marques
Jornalista formada pela UFRJ, Ana é entusiasta de tecnologia, dos dispositivos móveis e da inteligência artificial, mas também defensora das relações humanas e das conexões feitas por meio de encontros. Sua relação com a cobertura tecnológica teve início em 2016, no TechTudo, ainda como estagiária. Em 2018, passou a integrar a equipe de Conteúdo do comparador Zoom.com.br, onde foi editora de Mobile (Celulares, Tablets e Wearables) & Eletrônicos até agosto de 2020. Atualmente é editora-assistente de Notícias no Tecnoblog, o maior veículo independente de Tecnologia do Brasil.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados


close