Se tem um povo que sabe vender e oferecer descontos, é o norte-americano! A Black Friday americana acontece na sexta-feira seguinte à comemoração pelo Dia de Ação de Graças. A data abre a temporada das compras de Natal.

A moda chegou ao Brasil e ocorre no mesmo período que acontece nos Estados Unidos: final de novembro. Por aqui ela também já vem se tornando tradição, embora as promoções ainda não costumem ser tão vantajosas como lá.

Mas é preciso ficar atento às promoções e ofertas. Elas nem sempre são vantajosas e podem esconder práticas abusivas, como a simulação de preços mais baixos. Por isso, é preciso ficar esperto para não ser enrolado por propagandas enganosas. Veja as nossas dicas para aproveitar a Black Friday e fazer bons negócios.

8 dicas para aproveitar a Black Friday e se dar bem

Black friday
Imagem: Prostock-Studio/iStock

1. Fique de olho no histórico de preços

Acompanhe os preços do produto que você deseja comprar antes dos anúncios da Black Friday. Só assim você terá certeza se o desconto anunciado é mesmo vantajoso. A simulação de oferta através do aumento do preço para anunciar desconto é uma prática abusiva. Inclusive pode ser denunciada ao Procon.

Uma boa forma de acompanhar a variação de preço de um produto é utilizar sites na internet como o Zoom, por exemplo.

2. Observe as diferenças de preço entre a loja física e a virtual

Nem sempre os descontos nas lojas virtuais são iguais aos descontos nas lojas físicas. Essa diferença obrigatoriamente tem que ser informada claramente na propaganda e na oferta feita pela loja online e física. O Código de Defesa do Consumidor determina que as informações sejam claras, precisas e transparentes para o consumidor.

3. Fique atento ao prazo de desistência e devolução

Se você comprar pela internet, catálogo ou telefone, ou seja, fora da loja física, você tem o direito de desistir e pode devolver o produto para a loja. Mas deve exercer esse direito dentro de 07 dias a contar do recebimento.

As regras das compras da Black Friday são as mesmas de compras normais. As ofertas estão sujeitas às mesmas condições e proteções impostas pelo Código de Defesa do Consumidor. Veja aqui o que fazer caso compre pela internet e não goste do produto!

4. Observe se o produto não apresenta defeito

Black friday
Imagem: Prostock-Studio/iStock

Os prazos para reclamar de defeitos dos produtos também são os mesmos previstos pelo Código de Defesa do Consumidor. O prazo para reclamar de defeitos aparentes (visíveis) de produtos não duráveis é de 30 dias. É o caso de alimentos embalados, produtos de limpeza, remédios, etc. Se o produto for durável (como eletrodomésticos, móveis, aparelhos eletrônicos, etc) o prazo para reclamar é de 90 dias. Guarde sempre a nota fiscal de compra para comprovar a data de compra.

5. Pergunte sobre a política de troca da loja

Já é um costume trocar um produto mesmo sem defeito. Principalmente roupas e sapatos. Nesse caso é o vendedor ou fabricante quem define qual será o prazo para troca. O comércio de roupas, por exemplo, pratica prazos que variam entre 15 e 30 dias. Nesse prazo, estando o produto intacto e com a etiqueta, você pode trocá-lo, conforme a política de troca da loja. Fique atento ao que o fornecedor garante na oferta.

6. Fique atento e fuja de fraldes e golpes

Antes de comprar produtos pela internet verifique se o site possui o símbolo do cadeado ao lado da URL. Procure a informação de endereço físico e pesquise o CNPJ no site da Receita Federal.

7. Pesquise sobre a reputação da loja em sites de reclamações

Antes de realizar a compra é importante saber qual a reputação da loja. Consulte o Reclame aqui e o site de proteção ao consumidor do governo. Também vale a pena dar uma olhada nas opiniões de outros clientes nas redes sociais e internet.

8. Sigas as recomendações de órgãos de proteção ao consumidor

Fique atento às recomendações de órgãos de proteção ao consumidor, como a Fundação Procon de São Paulo, por exemplo. Algumas dicas que eles oferecem são:

  • Evite sites que exibem como forma de contato apenas um telefone celular, sem e-mail corporativo;
  • Prefira fornecedores reconhecidos ou indicados por amigos e familiares;
  • Jamais faça compras online em lan houses, cyber cafés, computadores ou redes públicas. Os computadores podem não estar protegidos adequadamente;
  • Peça que o prazo de entrega seja registrado na nota fiscal ou recibo de compra.
  • Só assine o recibo de entrega do produto após examinar o estado da mercadoria. Se for constatada irregularidade, anote o motivo da recusa no recibo e não receba o produto.

9. Desconfie de ofertas e promoções muito agressivas

Não acredite em preços irrisórios. Dar desconto não é entregar de graça. Se está comprando em plataformas de vendas como Elo7, Shopee ou Mercado Livre, consulte o vendedor sobre as especificações do produto e outras informações. Observe inclusive os prazos de resposta. Lembre-se sempre de fotografar tudo o que foi acordado com o vendedor e de registrar a tela com o preço do produto. Para se resguardar de possíveis golpes, sempre filme o unboxing para ter uma prova do estado que o produto chegou à sua casa.

Não aceite ofertas que exijam:

  1. Compra de outro produto não anunciado que aparece somente na hora de fechar o carrinho (compras em site);
  2. A informação de dados pessoais e preenchimento de cadastros com informações além das necessárias ao pagamento e a entrega;
  3. Nunca informe senhas de bancos ou de serviços em nenhum site ou telefone;

Não se enrole!

Antes de gastar seu dinheiro sempre compare as ofertas de produtos semelhantes em diversas lojas. Não é só porque é a Black Friday que você vai dispensar a pesquisa de preços. Essa é a principal ação para fazer bons negócios. Vale até levar uma boa oferta para outra loja para negociar um desconto ainda melhor.

Leia também: 7 coisas a que você deve ficar atento antes de aproveitar as promoções

E lembre-se, o mais importante é não estourar o orçamento. Não gaste mais do que você pode ou do que planejou para aproveitar os descontos e ofertas. Compras por impulso de produtos que você não precisa nunca são um bom negócio.


Atenção!

Se você precisar sair, use máscara e respeite as medidas de prevenção contra a Covid-19 como o distanciamento e o uso de álcool em gel.

Samasse Leal
Samasse Leal
Apaixonada por Direito, Samasse Leal é especialista em Direito do Consumidor, pós-graduada pela PUC-Rio. Co-autora e revisora técnica da obra Use as Leis a Seu Favor, participou de diversas edições do programa Sem Censura (TVE) e programas de rádio, falando sobre direitos para o público em geral. Nos quase 20 anos de carreira, atuou em grandes escritórios jurídicos, empresas, associação de defesa dos consumidores e atualmente atua na área de relações com investidores de uma multinacional espanhola.