Faça uma busca
|
Publicado em: 6 de maio de 2020

13 mitos sobre o coronavírus em que você deve parar de acreditar

Testes rápidos de farmácia? Contaminação nas encomendas? Vitamina C para combater o vírus? Confira o que os médicos têm a dizer.

  • grejak/iStock

    Mito: testes feitos em farmácia são efetivos

    Alguns países já estão disponibilizando testes realizados em farmácias para averiguar a presença do coronavírus. Entretanto, essa opção ainda está muito incipiente no Brasil, e a Anvisa informou que os resultados negativos não excluem totalmente a infecção por Sars-Cov-2 e resultados positivos não devem ser utilizados como evidência absoluta de infecção, devendo ser interpretados por um profissional de saúde.

    Por isso, é preciso ter cautela. 

    Veja aqui como os testes funcionam e quanto custam. 


  • BogdanVj/iStock

    Mito: você pode pegar coronavírus por meio de suas encomendas

    Isso é muito improvável.

    “Se você lavar suas mãos antes e depois de pegar sua encomenda, você estará se protegendo”, diz o Dr. Adirim. “O coronavírus sobrevive no papelão por até 24 horas e em superfícies de plástico ou metal por até três dias.”

    Por isso, você não precisa parar de fazer compras pela internet por medo de se contaminar. É só manter a higienização adequada das mãos.


  • Bigpra/iStock

    Mito: as máscara nos protegem completamente do coronavírus

    Essa questão não é tão simples.

    E isso porque as máscaras protegem principalmente os outros das gotículas de sua respiração, e não o contrário. Recentemente, o Ministério da Saúde recomendou o uso de máscaras feitas em casa quando as medidas de distanciamento social forem difíceis de evitar (como ir ao mercado ou à farmácia, por exemplo).

    Embora não seja uma máscara N95, melhor opção para proteger de vírus e bactérias, as máscaras ajudam a reduzir a exposição às gotículas. 

    Aqui você pode conferir como produzir sua máscara de pano em casa.


  • appledesign/iStock

    Mito: Coronavírus é o vírus mais perigoso e letal

    Falso.

    Mais de 80% dos infectados irão se recuperar. Isso é o que afirma a doutora Len Horovitz, de Nova York.

    “Nem todo paciente precisa ir para o hospital também. Muitos se recuperam em casa”, diz.

    Falta de ar ou desidratação severa são as principais razões para procurar ajuda médica.

    App ‘Coronavírus – SUS’ tira dúvidas e ajuda no diagnóstico; saiba como usar


  • Thirawatana Phaisalratana/iStock

    Mito: essa é uma doença de idosos e enfermos

    “Isso não é verdade”, diz Peter Gulick, médico de Michigan.

    Pessoas de todas as idades correm risco com o coronavírus.

    “Idosos maiores de 65 anos têm maior risco de adoecerem severamente, mas todos nós estamos em risco de contrair a doença, independentemente da idade”, diz Gulick.

    Confira aqui as pessoas que fazem parte do grupo de risco do coronavírus. 


  • Rabbitti/iStock

    Mito: coronavírus se originou com o consumo de “sopa de morcego”

    Não há evidência que confirme esse rumor.

    “É verdade que o coronavírus pode ser encontrado em morcegos, contudo, não se transmite de morcegos para pessoas”, diz o Dr. Adirim, da Flórida.

    Esse rumor ganhou forças por conta de um vídeo de 2016, em que uma vlogger aparece tomando “sopa de morcego”. O vídeo, que voltou a circular após o surto de coronavírus, incitou boatos de que teria sido essa a origem do Covid-19. Porém, o vídeo não foi filmado durante o surto atual ou em Wuhan, como muitos reportaram erroneamente, mas na ilha do Pacífico Sul, em Palau.


  • Shaiith/iStock

    Mito: delivery de restaurantes chineses estão espalhando o vírus

    Restaurantes chineses estão vendo seus negócios desmoronarem. Mas especialistas dizem que não há absolutamente nenhuma razão para que se pare de pedir comida de seus restaurantes favoritos.

    Ao contrário: fazendo isso você incentiva a descriminação e prejudica a renda de muitas famílias.

    Saiba quais os cuidados você pode ter para minimizar a contaminação de Covid-19 em alimentos.


  • NatchaS/iStock

    Mito: vitamina C combate a Covid-19

    Vitamina C é um potente antioxidante e pode oferecer muitos benefícios à saúde, mas combater a Covid-19 não é um deles.

    “Não há dados científicos que sugiram que isso funcione e uma alta dose de vitamina C pode causar pedras nos rins”, diz o Dr. Asim Jani, de Orlando.

    Confira as 8 vitaminas e minerais essenciais para o seu corpo.


  • vadimguzhva/iStock

    Mito: quando a febre passa, você está curado

    Isso nem sempre é verdade. 

    “Muitas pessoas com essa doença acham que estão melhorando e, então, a febre retorna. Esse é um padrão que nós temos visto”, diz o Dr. Horovitz.

    Confira aqui os principais sintomas de coronavírus que você deve estar atento.


  • Mito: a vacina para o Covid-19 chegará logo

    Infelizmente, isso não é verdade.

    “Produzir uma nova vacina é um processo muito delicado. Nós precisamos determinar sua segurança, pois uma vacina em potencial poderia tornar as coisas piores, transformando o sistema imunológico e piorando a infecção”, diz o Dr. Adirim.

    O processo envolve laboratórios e testes em animais e humanos.


  • nortonrsx/iStock

    Mito: é preciso evitar ibuprofeno se você tem Covid-19

    Muitas pessoas acreditaram que era preciso evitar ibuprofeno, um anti-inflamatório, se elas estivessem com Covid-19. E isso porque, em teoria, o remédio iria prejudicar o quadro clínico. Porém, isso não é verdade. 

    17 alimentos que atuam como anti-inflamatórios naturais


  • Mito: a vacina da gripe ajuda na prevenção

    Isso não é verdade.

    As vacinas são importantes, principalmente para pessoas que estão no grupo de risco, mas elas não ajudam a prevenir o coronavírus, e sim o vírus que causa a gripe.


  • Mito: não há nada que você possa fazer

    Todo mundo pode fazer algo, mesmo na quarentena. O alfaiate Cláudio Menegatti, de 91 anos de idade, é uma das pessoas empenhadas na luta contra o coronavírus. 

    E como ele ajuda? Produzindo máscaras para distribuição em sua cidade, Mirandópolis.

    Ações solidárias – individuais e coletivas – vêm se espalhando para minimizar as consequências da pandemia da Covid-19.

    E você também pode embarcar nesta ideia!

    Além disso, há uma série de possibilidades para ajudar as pessoas mais idosas e vulneráveis.Confira aqui como!

    Publicado originalmente em Rd.com por Jenn Sinrich e Denise Mann


Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados