A importância do uso de máscaras de proteção a fim de evitar a propagação do coronavírus já é de conhecimento público. No entanto, um estudo da Duke University mostrou quais máscaras têm real eficácia nas ações de combate ao vírus.

O estudo classificou 14 máscaras, alguns modelos foram visto como muito eficazes, enquanto outros se mostraram pouco úteis. A descoberta foi publicada na revista americana Science Advances. 

Leia também: 4 sintomas que podem permanecer depois da Covid-19

Metodologia 

O estudo utilizou um laser, um smartphone e uma caixa onde os participantes do teste foram postos a falar. Todos os experimentos foram filmados por aproximadamente 40 segundos. Na caixa, os participantes repetiam frase como “Fiquem com saúde”.

Durante o teste, os participantes utilizaram máscaras de pano, máscaras alternativas, como bandanas, máscaras cirúrgicas e uma N95, sem válvula de respiração e uma N95 com válvula de respiração.

Todos os procedimentos foram repetidos 10 vezes e com o uso de um programa para computadores os pesquisadores realizaram a contagem das gotículas, chegando então ao resultado. 

Máscaras utilizadas por profissionais da saúde ocupam o topo da lista

Máscaras de proteção
Máscaras de proteção testas em estudo da Duke University – 1 – Máscara cirúrgica, 3 camadas / 2 – Máscara N95 com válvula de respiração / 3 – Máscara de tricô / 4 – Máscara de avental de polipropileno de 2 camadas / 5 – Máscara de algodão-polipropileno-algodão / 6 – Máscara Maxima AT de 1 camada / 7 – Máscara de estilo plissado de algodão de 2 camadas / 8 – Algodão de 2 camadas, máscara estilo Olson / 9 – Máscara de estilo plissado de algodão de 2 camadas / 10 – Máscara de estilo plissado de algodão de 1 camada / 11 – Lã tipo polaina de pescoço/ 12 – Bandana dupla camada / 13 – Máscara de estilo plissado de algodão de 2 camadas / 14 – Máscara N95, sem válvula de respiração (Imagem: Reprodução/Emma Fischer/Duke University)

O estudo chegou a conclusão de que as máscaras utilizada por médicos, enfermeiros e outro profissionais da saúde é a que possui maior eficácia na redução da disseminação do Covid-19. 

A N95, sem válvula de respiração, teve uma retenção de 99,9% das gotículas de saliva emitidas pelos participantes do teste. Já as máscaras de polipropileno ou cirúrgica, obtiveram um resultado inferior, porém ainda muito bom, reduzindo em 90% a propagação das gotículas.  

Nas piores, o estudo mostra que as bandanas, máscaras de tricô e de lã, que são consideradas alternativas à máscara, foram ineficientes. A máscara feita de lã chegou à 110% de emissão de gotículas. 

Confira a lista completa

  1. N95 (sem válvula de respiração).
  2. Cirúrgica (três camadas);
  3. PolyCotton (Máscara de algodão e polipropileno); 
  4. Polipropileno (duas camadas);
  5. Faixa (Faixa de polipropileno, material de máscara); 
  6. Algodão 5 (duas camadas);
  7. Algodão 2 (duas camadas);
  8. N95 com válvula (com válvula para respiração);
  9. Algodão 4 (Máscara estilo Olson de duas camadas);
  10. MaxAT (Máscara de uma camada Maxima AT);
  11. Algodão 1 (uma camada);
  12. Algodão 3 (duas camadas);
  13. Tricô;
  14. Bandana (Duas camadas);
  15. Nenhuma;
  16. Lã (Estilo polaina).