Faça uma busca
|
Publicado em: 28 de janeiro de 2021

O que é e por que existe o ano bissexto?

Descubra o que de fato é um ano bissexto e por que ele existe.

Imagem: Aleksei Morozov/iStock

O ano bissexto é o ano no qual um dia a mais é adicionado ao mesmo, formando assim um período de 366 dias e não os costumeiros 365. Mas isso talvez você já saiba. Portanto, queremos te contar aquilo que talvez você não saiba sobre ele.

Primeiro, por que o ano bissexto existe?

O ano bissexto existe porque o calendário convencional e o calendário solar estavam em desarmonia e isso precisava ser resolvido. 

O que acontece na prática é que o calendário convencional possui 365 dias enquanto o tempo de translação da Terra em torno do sol dura 365 dias, 5 horas, 48 minutos e 46 segundos. Ou seja, o ano tem mais horas do que o calendário convencional permite. 

Leia também: Okinawa: conheça a história da ilha onde surgiu o Karatê – Seleções Brasil 

Foi para resolver essa questão que o ano bissexto foi criado; ele nada mais é do que as horas excedentes somadas e adicionadas ao calendário na forma inteira de um dia. 

E como o ano bissexto surgiu? 

Bissexto
Imagem: Meilun/iStock

O ano bissexto surgiu quando o ditador Júlio César solicitou a Sosígenes o desenvolvimento de um calendário que respeitasse o movimento de translação da Terra e substituísse o antigo calendário romano, então em vigor. 

Com isso, Sosígenes cria o calendário juliano, batizado em homenagem ao imperador, e que contava com 365 dias ao ano e, a cada quatro anos, 366 dias, com o acréscimo daquelas seis horas excedentes mencionadas acima. 

Entretanto, o calendário juliano ainda tinha alguns problemas, tendo sido substituído mais tarde por César Augusto pelo calendário augustiano, tido por muitos como uma espécie de versão revisada do calendário juliano. 

Em 1582, o Papa Gregório XIII criou o calendário gregoriano a fim de corrigir o acúmulo de atrasos gerados pelos calendários anteriores.

O calendário gregoriano

Com a intenção de corrigir as arestas do calendário augustiano, o Papa Gregório XIII deu origem àquele que ficaria conhecido como calendário gregoriano e que é o mesmo que utilizamos até os dias de hoje. 

A grande diferença do calendário gregoriano para os que lhe precederam é que nesse modelo, passa-se a considerar os anos bissextos como múltiplos de quatro. 

Ou seja: todos os anos múltiplos de quatrocentos (exemplo: 1600, 2000, 2400, 2800 etc) e todos os anos múltiplos de quatro, exceto se for múltiplo de cem mas não de quatrocentos (exemplo: 1996, 2000, 2004, 2008, 2012, 2016, 2020 etc) são anos bissextos. Todos os outros anos não. 

A origem do nome bissexto

A origem do nome bissexto se dá em decorrência da criação do calendário juliano, por Júlio César. 

Como a contagem dos dias era feita de forma regressiva, faltavam seis dias para as calendas (no antigo calendário romano, o primeiro dia de cada mês quando ocorria a Lua nova) de março. 

Portanto, bissexto vem do latim “ante diem bis sextum Kalendas Martias” (“o sexto dia antes das Calendas de Março”). Ou seja, o dia 24 de fevereiro (mais tarde, com as mudanças feitas pelo Papa Gregório XIII, o dia adicional dos anos bissextos seria o 29 de fevereiro, e não mais o 24).

Como descobrir se um ano é bissexto? 

Bissexto
Imagem: nadia_bormotova/iStock

Para saber se um ano é bissexto, é muito simples. Basta dividir um ano por quatro. Se o seu resultado for um número inteiro, ele é um ano bissexto. Exemplos: 

2019/4 = 504,75. Logo, não é bissexto. 

2020/4 = 505. Logo, é bissexto.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados