Você é do tipo que está sempre “à caça” de uma barganha, sempre tenta negociar o melhor preço de um produto? E não descansa enquanto não sentir que economizou o máximo que pôde? Nesses tempos de crise, você não está sozinho. Assim, reunimos estas seis dicas dos melhores negociadores para você.

1 Fique de olho no jornal de finanças

Perto do fim do ano, preste atenção à seção financeira dos jornais e ao noticiário sobre economia. A indústria do varejo nunca anuncia quando os negócios vão mal – os gerentes das lojas não querem que você obtenha essa informação. Mas a mídia vai informá-lo assim mesmo. Se as previsões afirmam que as vendas do Natal não vão emplacar, pode apostar que as lojas começarão a dar desconto nas mercadorias mais cedo. Vá às ruas e comece a procurar ofertas. E, se um dia depois do Natal você descobrir, pelo noticiário, que a temporada de compras natalinas ficou aquém das expectativas, planeje outra visita às lojas no ano-novo, pois os preços ainda estarão baixos.

2 Preste atenção ao lixo que vem com a correspondência

Seja ela em papel ou eletrônica. Não as jogue no lixo simplesmente – use-as em vantagem própria. Quando uma grande oferta aparecer à sua porta, ligue para o seu provedor atual e explique que está pensando em migrar para um dos concorrentes. Leia a oferta do anunciante pelo telefone e pergunte se seu provedor pode cobri-la. Na maioria das vezes, eles podem e você conseguirá economizar com um simples telefonema. Mas, se seu provedor não colaborar, vá em frente e faça a troca recorrendo a um dos sites de comparação disponíveis, como o Buscapé.

3 Torne-se um profissional na busca do melhor preço

Um velho truque vai impedir que vários reais saiam do seu bolso todos os anos. Veja o que fazer: estabeleça um preço específico – digamos, R$ 20. Sempre que estiver planejando comprar um item que custe mais do que essa quantia, descubra, primeiro, tudo o que puder sobre o produto, explica Alan Zell, especialista em varejo. Há muito tempo, os compradores costumavam pesquisar a diferença entre marcas de qualidade e outras de qualidade inferior. Eles aprenderam a reconhecer preços altos e boas ofertas. Pensavam muito sobre as compras antes de colocar o dinheiro no balcão.

Comprar com cautela se tornou uma arte esquecida e é disso que o comércio gosta. Varejistas adoram que você simplesmente agarre o primeiro item, uma vez que com frequência isso significa que você vai pagar mais do que faria se pensasse duas vezes e fizesse uma compra estudada. Lembre-se: lojas são especialistas em vender coisas. Entre com as mesmas armas do vendedor, tornando-se um profissional das compras. Se o preço passar de R$ 20, preste atenção. Lembre-se de que comprar com consciência é bom para o seu bolso e para o meio ambiente.

4 Use o crédito a seu favor

Se você paga a fatura integral do cartão de crédito e ele não oferece benefícios nem incentivos, pegue a tesoura, corte-o e peça um outro que o faça. As empresas de cartão de crédito cobriram o país de cartões – e ofertas pelo correio. Assim, elas estão desesperadas para ter você como cliente. Use esta informação em seu benefício. Muitas empresas de cartão de crédito oferecem incentivos para que você use seus cartões. Os melhores costumam ser os sistemas de pontos. Eles são vantajosos, desde que as mercadorias que você pode trocar pelos pontos sejam de fato do seu agrado.

Não seja enganado por ofertas de proteção contra fraudes na internet, cobertura para proteção de compras (que tem uma série de exclusões) e garantias estendidas para eletrodomésticos (poucos quebram nos primeiros anos de uso). Lembre-se de que incentivos são iscas – as empresas de cartão de crédito estão tentando persuadi-lo a dar-lhes mais dinheiro, em vez de economizar. Não caia nessas armadilhas.

Compre fora da temporada

Quando está quente, as pessoas querem comprar ventiladores, mobília de jardim e churrasqueiras. Se a temperatura cai, elas querem suéteres e casacos. E os comerciantes cobram alto por esses itens quando a demanda é grande. Em vez de comprar de acordo com a onda, faça compras em tempos de pouca demanda. Os comerciantes vão ficar contentes em lhe dar um desconto só para se livrar dos estoques. Mas isso vai forçá-lo a olhar mais para a frente e saber quando as lojas estarão ansiosas para reduzir os estoques.

Então, se seu aparelho de ar condicionado está precisando ser substituído, compre um novo depois do verão e um ventilador por um bom preço no inverno (nos dias não muito quentes, use o ventilador, que é mais econômico). Observe o lançamento de novos modelos de TV e outros itens. As lojas em geral oferecerão um bom desconto no modelo do ano anterior, só porque querem se livrar dele. Descubra o melhor momento para comprar.

Aprenda a arte da negociação

Em muitos países, a etiqueta de preço de um produto é meramente o ponto de partida – você, a partir daí, negocia um valor razoável com o comerciante. Faça da pechincha algo regular em suas compras. Você ficará surpreso com a frequência com que os comerciantes lhe darão descontos para conseguir fazer a venda. Procure pequenas imperfeições na peça – talvez um buquê de flores não esteja parecendo tão fresco ou exista uma pequena mancha em uma roupa – e peça um desconto. Mas nunca mencione o desconto que você gostaria de ter. Pergunte “Qual o seu melhor preço?” e deixe que o vendedor lhe dê o valor. Quando você dá o preço, ele pode ser maior do que o que o vendedor estava disposto a oferecer.

7 Não caia no canto da sereia

Não acredite em todas as ofertas. Em ocasiões como Dia das Mães, Black Friday e Natal, alguns comerciantes elevarem os preços antes de aplicarem o desconto. Pesquise antes de comprar os preços praticados algumas semanas antes.