Existem vários tipos de taxa que podem ser cobradas nos diversos tipos de investimentos. Umas delas é a taxa de administração, que faz parte do custo que uma pessoa tem ao fazer um investimento. Ela corresponde à remuneração da entidade através da qual o investimento é feito. As entidades podem ser: corretoras, banco, gestor ou administrador de fundos, custodiante de ações ou de títulos, etc. Ou seja, ela é o pagamento pelo serviço prestado. Por isso se diz que ela remunera o gestor daquele tipo de investimento.

Ao comprar títulos públicos do Tesouro Direto, por exemplo, o investidor vai pagar uma taxa para a B3. Ela é chamada de taxa de custódia e corresponde a 0,3% por ano do valor investido. Além dessa taxa, pode ser cobrada ainda a taxa de administração da corretora de valores que intermediar a operação. Essa taxa varia de 0% ao ano (a.a.) até 2,00% ao ano. Consulte aqui a lista com as taxas cobradas por todas as corretoras autorizadas a intermediar a negociação dos títulos. O ideal, lógico, é buscar corretoras que possuam taxa de administração de 0%. Ou seja, não cobram essa taxa.

Leia também: Tipos de investimento: descubra como cada perfil investe

Nas aplicações em fundos de investimentos as taxas de administração variam de acordo com a natureza do fundo. Quanto mais complexo o fundo, mais alta será a taxa. Isso faz sentido porque quanto mais complexo é o fundo mais trabalhosa é a gestão do patrimônio que o compõe. Fundos de renda fixa, possuem cerca de 80% do patrimônio composto por títulos públicos. É concentrado em um tipo de ativo. Assim, costumam ter taxas de administração mais baixas. Já fundos multimercado, cujo patrimônio é composto por diversos papéis que precisam ser acompanhados, costumam ter taxas mais altas.

Analisando pelo ponto de vista do risco, a relação é a mesma. Quanto mais alta a classificação de risco do fundo, maior será a taxa de administração. Isso porque o gestor do patrimônio do fundo terá maior trabalho em formar um patrimônio arrojado que garanta maior rentabilidade. Assim, fundos de investimentos em ações costumam ter taxas de administração mais altas do que os demais tipos de fundos.

Além disso, o valor inicial mínimo necessário para aplicação também impacta na fixação da taxa de administração. Em geral, fundos com valores iniciais de investimento mais baixos, possuem taxas de administração mais altas. Da mesma forma, costuma ser mais alta quando exigem montante mínimo de permanência baixo ou permitem resgates no curto prazo.

A taxa de administração impacta na rentabilidade?

Sim. Em geral, quanto mais alta a taxa, menor a rentabilidade. Porém não se engane. Ao pesquisar fundos de investimento, observe as taxas de rentabilidade e não somente as taxas de administração. Saiba que nas informações sobre a rentabilidade a taxa de administração já foi considerada. Por isso, é mais importante pesquisar a rentabilidade, que é o retorno que você espera que o investimento tenha. Ou seja, não é a taxa de administração que vai determinar se um investimento é lucrativo ou não. O que determina é a rentabilidade esperada.

Saiba que: Rentabilidade = Valor do patrimônio do fundo (ativos) – custos (incluem a taxa de administração). Se a Rentabilidade for acima da inflação (exemplo: › IPCA), mesmo com taxa de administração alta, será um bom investimento.

Um erro comum é achar que fundo de investimento com taxa de administração alta é ruim. Essa afirmação somente será verdadeira se a rentabilidade desse fundo for baixa. É preciso pesquisar diversos fundos da mesma natureza e comparar as taxas de administração e as rentabilidades. Se a maioria possui taxa de administração de 1%a.a., aquele que cobrar 2%a.a. terá uma taxa alta.

Oriente-se!

Especialistas em finança comentam que as taxas de administração precisam ter um custo justo. Mas quanto seria isso? Eles costumam indicar os percentuais abaixo para taxas de administração de fundos de investimentos. Acima desses indicativos seriam consideradas altas e desvantajosas reduzindo a capacidade de retorno.

Fundos DI – até 0,5% a.a.

Fundos ETF (índices) – até 0,75% a.a.

Fundos de Renda Fixa – até 0,85% a.a.

Fundos Imobiliários – até 1,00% a.a.

Fundos Multimercado – até 2,00% a.a.

Fundos de Ações – até 3,00% a.a.

Corretoras independentes cobram taxas menores

A observação que você deve fazer é: um Fundo DI com taxa de administração de 2,00% é um fundo que pratica uma taxa alta. Principalmente se a rentabilidade dele está na média da rentabilidade dos demais Fundos DIs disponíveis. Grandes bancos costumam cobrar taxas de administração mais altas. Em geral muito acima da média das taxas praticadas por corretoras independentes e bancos de investimentos pequenos e médios. Os grandes se aproveitam da facilidade de acesso dos correntistas aos seus produtos. Você pode ganhar muito mais dinheiro tendo um pouquinho de trabalho ao se cadastrar em uma corretora independente. Imagine que é comum encontrar Fundos DI em grandes bancos com taxas de administração a partir de 1,5%a.a. Em bancos menores a taxa costuma ser inferior a 0,5%a.a.

Fique atento!

Existem outras taxas que podem ser cobradas e também impactam na rentabilidade dos investimentos. A taxa de performance é cobrada por fundos que buscam rentabilidade acima da média do mercado (benchmark). Ela é comum nos fundos de investimentos imobiliários, cambiais, multimercado e de ações. A taxa de saída é cobrada no caso de resgate de valores antes de um determinado prazo. A taxa de ingresso é cobrada já na aplicação dos recursos e é mais comum em fundos de previdência privada.

Tenha em mente que impostos não são taxas, mas reduzem o valor a receber. Se tiver incidência de Imposto de Renda com tabela regressiva, procure manter a aplicação até a incidência da menor alíquota. O Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) é cobrado nos resgates antes de 30 dias da data do investimento.

Agora você já sabe! Não despreze um fundo de investimento tendo em conta somente a taxa de administração. Observe a rentabilidade. E pague menos taxa se cadastrando em corretoras independentes e banco de investimentos.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!