Mensalmente, o Banco Central do Brasil – Bacen informa a média da taxa de juros que os bancos cobram de seus clientes que fazem empréstimos, entram no cheque especial e ficam devendo ao cartão de crédito. Esses clientes, ao pagarem um valor abaixo do total da fatura, entram no crédito rotativo – um tipo de empréstimo. Em setembro do ano passado, a taxa de juros do cheque especial ficou em 301,4% a.a. Já a do rotativo do cartão de crédito, em 278,4% a.a. Esses percentuais indicam o quanto uma pessoa paga de juros quando usa esses créditos.

Os juros bancários no Brasil têm as taxas mais altas do mundo. Isso não é só reflexo dos lucros dos bancos. É, também, fruto do endividamento das famílias (90% foi o percentual de famílias endividas em setembro de 2018); da confiança na economia do país (recém saída de uma recessão severa que durou mais de 02 anos) e do desemprego (em setembro de 2018 o número de pessoas sem emprego ultrapassou os 14 milhões).

Além de outros aspectos, como inflação, renda média familiar, etc. Dessa forma, todos esses elementos influenciam a expectativa dos bancos de receberem os valores que emprestam. Por isso, quanto menor a expectativa dos bancos em receber, maior é a taxa de juros cobrada.

Fuja de dívidas

Dessa forma, uma pessoa que usar esses créditos vai pagar o triplo do valor utilizado no final de apenas 01 (um) ano. Ou seja, se você costuma contar com o limite do cheque especial nos gastos mensais ou costuma pagar o mínimo da fatura do cartão de crédito, após 12 meses vai pagar 03 (três) vezes o valor que gastou com as compras. Daria para comprar 03 (três) vezes mais! E não é só isso: os juros incidem sobre juros. Dessa forma, a dívida aumenta em número exponencial. Por isso, além da incidência de impostos e outras taxas, esse é o motivo de se perder o controle sobre as dívidas com cartões de crédito.

Aqui na nossa coluna de Economia da Revista Seleções você encontra diversas dicas e recomendações de como administrar e economizar o seu dinheiro. Seja com as tarefas mais simples de casa e do dia a dia, seja com o planejamento inteligente de sua renda. Por isso, nós pensamos em tudo para trazer conhecimento para você combinar qualidade de vida e saúde financeira, sem endividar-se.

O planejamento é o segredo da prosperidade

Não faz sentido pagar juros tão altos e gastar com dívida por falta de planejamento. Por isso, faça boas escolhas, tome decisões que te ajudem a enriquecer, evite desperdício e não faça empréstimos apenas para adquirir bens de consumo que não sejam necessários no momento. Não vale a pena entrar no cheque especial para comprar uma bolsa ou um celular. Por isso, espere o salário entrar para poder fazer suas compra. Assim, só faça compras parceladas no cartão, mesmo que seja sem juros, se tiver a certeza de que vai ter recurso suficiente para pagar o total da fatura do próximo mês. Cuide da sua saúde financeira e utilize ferramentas como empréstimos e rotativo, a seu favor, quando forem realmente necessárias.

POR SAMASSE LEAL

Descubra qual tipo de investidor você é

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!