Você sabia que seguro de vida e de acidentes pessoais não são a mesma coisa? Eles possuem coberturas diferentes, ou seja, pagam uma indenização por motivos diferentes e para beneficiários diferentes.

De forma geral, a pessoa que deseja, no caso do seu falecimento, que uma pessoa específica ou seus herdeiros legais recebam um valor determinado, deve fazer um seguro de vida. Já quem deseja receber um valor determinado e o reembolso de despesas gastas com remédios, médicos, e hospitais caso sofra um acidente, deve fazer um seguro de acidentes pessoais.

Esses eventos – morte ou acidente – são as principais coberturas de cada um desses seguros. Mas elas podem ser combinadas, ou seja, contratadas conjuntamente. E, pode haver outras coberturas adicionais a serem incluídas na mesma apólice de seguros, como cobertura de assistência funeral na apólice do seguro de vida e cobertura de invalidez permanente ou temporária no seguro de acidentes pessoais.

Você pode ter a garantia dessas coberturas contratando um seguro diretamente com a sua seguradora (a mesma que faz o seguro do seu carro) ou com o gerente do seu banco. O importante é fazer uma cotação de preços e uma comparação de coberturas e exclusões do seguro antes de contratar.

Assine nosso conteúdo exclusivo

Pontos a observar:

Exclusões

As exclusões são os casos nos quais os eventos cobertos podem acontecer, mas a indenização não será paga. Isso porque são hipóteses nas quais o risco é agravado. Ou seja, existe uma maior chance do evento acontecer sem ser de forma imprevisível ou inevitável.

Prêmio do seguro

O prêmio do seguro de vida ou de acidentes pessoais é o valor que o segurado paga à seguradora, ao contratar a apólice, para ter a cobertura. Esse valor varia de acordo com algumas características principais:

• Valor da indenização

É o valor que o beneficiário irá receber. O valor da cobertura será proporcional ao valor da indenização que será paga.

Quanto você quer do seu seguro?

• Idade

Quanto mais jovem, mais barato é o seguro, pois menor é a chance de se morrer de causas naturais.

• Sexo

Mulheres possuem maior expectativa de vida, assim pagam seguros mais baratos.

• Profissão

Profissões de risco, como piloto de avião e aeromoças, policiais e militares, aumentam o prêmio do seguro.

• Condições gerais de saúde na data da contratação do seguro

Doenças crônicas ou pré-existentes podem encarecer o prêmio.

• Hábitos de vida

Hábitos que possam aumentar ou reduzir o risco do evento acontecer também são levados em conta. Alguns hábitos podem implicar no aumento do prêmio a ser pago, podem ser enquadrados como eventos excludentes de coberturas ou até mesmo ser justificativa para a seguradora recusar vender o seguro para o interessado. Isso acontece, por exemplo, quando o interessado está exposto a condições que possam agravar o risco, por exemplo: ser fumante ou praticar esportes radicais como esqui, corrida automobilística, paraquedismo ou saltos de asa-delta.

Antes de contratar o seguro, o interessado deverá preencher um formulário indicativo de sua condição de saúde ou a Declaração Pessoal de Saúde. Se alguma informação prestada for falsa ou se alguma informação essencial para o cálculo correto do prêmio for omitida, o segurado pode ter seu contrato cancelado ou poderá ter a indenização recusada no caso de ocorrer um evento, por ter fraudado o contrato.

Antes de assinado o contrato, a seguradora pode pedir ao interessado um atestado médico. Ou ainda solicitar que ele passe por uma consulta médica com um profissional indicado por ela.

Por Samasse Leal