Faça uma busca
|
Publicado em: 6 de novembro de 2018

A melhor pessoa… após a morte

Revista Seleções
Última atualização: 6 de novembro de 2018
Por: Revista Seleções

É fácil transformar nossos defeitos em qualidades: basta morrer!

A melhor pessoa… após a morte Imagem: colematt/iStock

Quando morremos, somos postos num pedestal. E nos tornamos… a melhor pessoa. Os defeitos terríveis que temos quando vivos se transformam em qualidades maravilhosas assim que partimos.

 

ANTES: Ele tem um péssimo humor. Fica furioso por qualquer coisinha, é insuportável.

DEPOIS: Ele tinha um caráter forte. Nunca deixaria ninguém se aproveitar dele.

 

ANTES: Ele come demais, bebe demais. O colesterol está alto, e o fígado anda péssimo.

DEPOIS: Ele sabia viver, era um gourmet que aproveitava os prazeres simples da vida.

 

ANTES: Nunca vi uma mulher tão faladeira e intrometida; para ela, tudo é escândalo. É a rainha da fofoca.

DEPOIS: Ela sempre se interessava pelos outros e tinha uma necessidade permanente de se comunicar.

 

Leia histórias que vão fazer você gargalhar, clicando aqui!

 

ANTES: Ela não sai do cabeleireiro, a maquiagem mais parece um reboco. Gasta tudo o que ganha com roupas.

DEPOIS: Estava sempre perfeitamente arrumada e elegante, com uma noção de estilo toda própria.

 

ANTES: Nunca vi ninguém tão pão-duro, ele não dá nem as horas.

DEPOIS: Ele tinha um tipo raríssimo de generosidade. Na verdade, era generoso tão raramente que essas ocasiões se tornavam muito preciosas.

 

ANTES: Ele se queixa de solidão, mas brigou com tanta gente que ninguém mais o suporta.

DEPOIS: Ele era muito seletivo nas amizades. Seu padrão altíssimo fez dele um solitário feliz.

 

ANTES: Para ser franca, não vou sentir muita falta dele.

DEPOIS: Você estará sempre presente em nosso coração.

 

Anne Roumanoff, humorista francesa que vive em Paris.

 

Quer ler mais crônicas divertidas da Anne Roumanoff? Clique aqui.