O crime não compensa: principalmente quando é mal planejado. Esses criminosos entraram pelo cano e renderam histórias hilariantes, confira!


Cueca ilegal

De manhã cedinho, uma mulher de Bridgend, no País de Gales, descobriu um ladrão vasculhando os armários no andar de baixo da casa. Espantado, o ladrão fugiu – mas não antes que a dona da casa avistasse sua estranha cueca, quando ele se curvou. A esquisitice da roupa seria a ruína do ladrão.

Darren Machon, 39 anos, já era procurado pela polícia e foi preso depois de uma perseguição de carro no centro da cidade, ainda no mesmo dia. O suspeito trocava de roupa na carceragem quando um dos policiais notou a cueca, estampada com desenhos cômicos de hambúrgueres, rosquinhas e batatas fritas – a mesma mistura de fast-food que a vítima do intruso descrevera.

A “cueca moderna” de Machon foi mostrada como prova contra ele no Real Tribunal de Cardiff, em agosto passado. Ele foi condenado a dois anos e dez meses de prisão por tentativa de roubo e direção perigosa.

Muito risco, pouco petisco

Num posto de gasolina de beira de estrada em Stockport, na Inglaterra, dois homens tiraram dinheiro de um caixa automático do jeito mais difícil. Eles bombearam gás explosivo na máquina e a explodiram. O par de ladrões conseguiu amealhar cerca de 25 mil libras esterlinas e fugiu.

Quando chegou ao local, a polícia encontrou o caixa automático parcialmente destruído. Mas, como se deixassem uma gorjeta, os ladrões largaram pelo caminho parte do que roubaram. O rastro de notas levou a polícia diretamente a seu esconderijo debaixo de uma ponte de sinalização da estrada. Pendurados acima da via, os ladrões assustados quase agradeceram ao serem presos antes de cair no meio do tráfego. Eles se declararam culpados de roubo e de “provocar uma explosão que pôs vidas em risco” e foram condenados a um total de 15 anos e meio de prisão.

Sem perna para se apoiar

Ninguém descreveria o ladrão contumaz Paul Bartlett como alguém atento aos detalhes. O bandido de 47 anos, com uma balaclava feita em casa, roubou em três dias três lojas na área de Birmingham, na Inglaterra, saindo com bebidas, cigarros e dinheiro. Num dos ataques ele perdeu tempo tirando os trocados da gaveta do caixa (brincando que estava falido). Em outro lugar, chamou sem querer o cúmplice Adam Breen pelo nome verdadeiro, o que ajudou a polícia a encontrar os dois.

Quando revistaram a casa de Bartlett, os policiais acharam, entre outros itens incriminadores, uma calça com uma perna só. A outra perna Bartlett usou para fazer a balaclava grosseira que usava nos golpes. Bartlett, que tinha 27 condenações anteriores por 78 crimes, foi condenado a 13 anos de prisão. Breen recebeu cinco anos e dois meses.

Nada esperto

A advogada Charlotte Johnson defendia o britânico Bobby Heath, de 26 anos, da cidade de Strood, em Kent, na Inglaterra, acusado de crimes com drogas e infrações ao volante, quando percebeu que seu celular tinha desaparecido. As imagens do sistema de circuito fechado de TV do tribunal mostraram Heath enfiando-o no bolso.

Ele foi julgado, condenado por roubo e passou duas semanas preso. “Esse crime mostra que ele não se importa com quem seja a vítima nem com o sofrimento causado”, disse o policial David Paine.

Preso entre as grades

Em julho passado, a polícia e os bombeiros de Madri tiveram de resgatar um ladrão na entrada da lavanderia que ele tentava assaltar. O homem quebrou o vidro da porta com uma pedra e depois tentou forçar a grade para se enfiar no estabelecimento. Não conseguiu e acabou com a cabeça presa entre duas barras da grade.

Troco miúdo e moral miudinha

Um homem arrombou uma agência galesa dos correios e foi preso quando tentou comprar um carro usado com uma enorme pilha de moedas. As câmeras de segurança da agência dos correios mostraram Daniel Allen Thomas, 29 anos, saindo do local com dinheiro e cigarros. Pouco depois ele ofereceu mil libras em moedinhas que pesavam 9,5 kg a um homem que vendia um Renault Clio. Desconfiado, o vendedor recusou, e assim Thomas voltou com notas.

A polícia o pegou depois de um apelo pelas mídias sociais. A princípio, Thomas negou que fosse ele, mas, diante do vídeo das câmeras de segurança e da história da venda do carro, admitiu a culpa. Foi condenado a dois anos de prisão.

Blefe da justiça

Um homem que fugia a pé da polícia depois de uma perseguição em alta velocidade achou que tinha se safado. Parecia estar deixando para trás o policial que o perseguia – o guarda de trânsito Steve Hutton, 44 anos, de Wiltshire, na Inglaterra. Nisso o jovem ladrão ouviu: “Policial com cão, fique parado!”, seguido por latidos selvagens. O som deteve o jovem apavorado.

O policial, sem fôlego, logo algemou o rapaz antes que a verdade se revelasse: não havia cachorro, foi o próprio policial Hutton que imitou latidos.

O rapaz foi interrogado e depois liberado.