A cabeça das crianças é um terreno muito fértil! O que sai de lá é imprevisível, mas na maioria das vezes super engraçado. Com um humor só delas, podem transformar uma simples conversa em um momento inusitado! Com respostas simples, nos desarmam e tornam nossos dias mais incríveis. Confira algumas conclusões inteligentíssimas que elas deram e divirta-se!

O Parque

Minha sobrinha-neta de 4 anos veio passar um dia comigo. Com muita energia, exigia minha participação em todas as atividades! Em dado momento, já exausta, tive a ideia de oferecer papel e lápis, na esperança de conseguir alguns momentos de descanso. Mesmo contrariada, ela se sentou e começou a desenhar.

Feliz com a minha solução, me joguei no sofá. Mas, em poucos segundos, lá estava ela de volta com a folha e alguns rabiscos.

– Nossa, que lindo! O que é?

– Um escorrega – respondeu!

Tentando persuadi-la a retornar à pintura, perguntei:

– Então, onde estão as pessoas?

Ela olhou para o papel e prontamente respondeu:

– O parque está fechado!

Elaine Borges Malta (Rio de Janeiro)

Vaga-lumes

Quando entrávamos na cabana, nas férias, meu neto Billy e eu deixávamos a luz apagada até fechar a porta, para não atrair insetos. Ainda assim, alguns vaga-lumes nos seguiam. Billy os notou antes de mim e cochichou:

– Não adianta, vô. Agora os mosquitos vêm atrás de nós com lanternas.

evelynbrooks.com

Sinceridade infantil

Minha sobrinha de 4 anos, Suzie, estava com a mãe e a avó quando disse:

– Mamãe, você é tão bonita.

Minha irmã apontou para nossa mãe e disse:

– Querida, quando eu tinha a sua idade, eu achava minha mãe muito bonita também.

Suzie então respondeu:

– Quando você percebeu que ela não era?

Judy Newberry

Tá vendo aquela Lua…

Depois de olhar fotos do pouso de uma espaçonave na Lua, um menininho perguntou:

– As pessoas vão à Lua quando ela não está cheia?

thespruce.com

Hamster fujão

Minha sobrinha comprou um hamster para sua filha de 5 anos, Kay. Porém, um dia ele escapou da gaiola. A família virou a casa de cabaça para baixo e, por fim, o encontrou. Várias semanas depois, enquanto Kay estava na escola, ele escapou de novo. Dessa vez a família procurou, mas não achou o bichinho. Na esperança de tornar a perda menos dolorosa para a criança, a mãe tirou a gaiola vazia do quarto dela.

Quando Kay chegou da escola naquela tarde, subiu no colo da mãe com ar de preocupação.

– Temos um problema sério – anunciou – Não só o meu hamster fugiu de novo, como dessa vez ele levou a gaiola.

Patsy Stringer

Curtiu essas histórias? Pois na nossa seção de humor tem muito mais. Clique e confira!