Não foi fácil a semana? Hoje é sábado! Aproveite para rir com essas histórias engraçadas. Conte para todo mundo.

Quando a recepcionista do bufê do cassino me mostrou minha mesa, pedi a ela que ficasse de olho em meu marido, que viria me encontrar num instante. Comecei a descrevê-lo:
– O cabelo é grisalho, ele usa óculos, tem uma barriguinha…
Ela me fez parar.
– Querida – disse ela –, hoje é o dia da terceira idade. Todos eles são assim.

ROSALIE DARIA

O suporte preto laqueado das valiosas espadas de samurai de meu marido estava empoeirado, e ele deixou um bilhete para a faxineira: “Dê uma olhada em minhas espadas.” Naquela noite, o suporte estava tão sujo quanto antes, mas com a seguinte resposta no bilhete: “Muito bonitas.”

ELEONORE BODE-LEMMING

Certa vez, condenei meu marido à pena do silêncio durante uma semana inteira. No final, ele declarou: “Ei, nos demos muito bem nesses últimos dias!”

BONNIE MCFARLANE, de You’re Better Than Me (Ecco)

Um colega polonês, jogando futebol, fez um lindo gol de bicicleta e, ao se levantar, os companheiros o ouviram dizer: “Me abraça, me abraça…” Quando o time todo correu para abraçá-lo, sua expressão de dor fez com que prestassem mais atenção no que ele estava dizendo: “Minha braço, minha braço… quebrou”.

NESTOR CALBO RAMOS, Canoas (RS)

No shopping, meu neto de 5 anos entrou na fila com as outras crianças para se sentar no colo do Coelhinho da Páscoa. Quando chegou sua vez, Jake não se mexeu e ficou parado olhando.
– Não quer se sentar no colo do Coelhinho? – perguntei.
– Não! – gritou ele.
– Ele tem um homem dentro da boca!

C. S.

Alguém conhece um professor particular?

Acha que seu filho é brilhante na escola? Pois veja algumas respostas de prova.

P: A primeira coisa que a rainha Elizabeth II fez quando subiu ao trono foi…
R: Sentar-se.

P: Escreva uma frase com dupla negativa.
R: Mike é feio e fede.

P: Cite o nome de duas peças de Shakespeare.
R: Romeu e Julieta.

Do livro F in Exams: Complete Failure Edition, de Richard Benson (Chronicle Books)

Ante do Google, havia as bibliotecárias

Eis algumas perguntas feitas a essas sofredoras das bibliotecas públicas:

■ Uma mulher queria “material inspirador sobre grama e gramados”.
■ “Quem construiu o Canal da Mancha?”
■ “Toda noite é de lua cheia em Acapulco?”
■ “Música adequada para o casamento de uma boneca de Shirley Temple com um ursinho de pelúcia.”
■ “A Biblioteca Pública de Nova York saberia recomendar um bom falsificador?”

Supervisionei um funcionário que tinha opinião negativa sobre tudo que eu fazia. Quando tirava um dia de folga, eu “vivia sumindo”. Quando elogiava o trabalho de alguém, era sempre “muito pouco e muito tarde”. Ele acabou arranjando outro emprego, mas dali a seis meses foi demitido. Não demorou para entrar em contato comigo, na esperança de voltar ao emprego antigo.
– Aprendeu alguma coisa com essa experiência? – perguntei.
– Aprendi. Eu deveria ter ficado aqui – admitiu ele. – Você é indeciso demais para me demitir.

TERRY O’CONNOR

Um corretor de seguros ligou para nossa clínica. Um de nossos médicos preencheu o formulário de licença médica de um paciente, que, segundo o corretor, o alterou. E como ele descobriu? O dia do retorno ao trabalho foi trocado por 30 de fevereiro.

J. L.

Passei os últimos cinco anos trabalhando em meu doutorado de engenharia, mas meus filhos não consideram que isso seja trabalho. Certo dia, quando passamos de carro por um Walmart, meu filho avistou uma placa de “Há vagas” e sugeriu que eu fosse trabalhar lá. Para mostrar meu ponto de vista, perguntei:
– Acha que eles estão procurando um engenheiro?
– É claro – foi a resposta. – Eles contratam qualquer um.

CHRISTOPHER FIELDS

Quer rir mais um pouquinho? Veja esse post.