Recomendamos histórias engraçadas para um dia de sol, cheio de nuvens ou de chuva. Dia ou noite, não importa, uma dose de riso por dia é essencial.

Como não conseguia me decidir se viajaria para Salt Lake City ou para Denver nas férias, liguei para as companhias aéreas a fim de perguntar os preços.
– A tarifa para Denver é 300 dólares – informou a atendente.
– E para Salt Lake City?
– Temos a tarifa excepcional de 99 dólares para Salt Lake – disse ela –, mas num voo com escala.
– Onde é a escala?
– Em Denver.

— CHRIS LEWIS

Sou eletricista de um hotel de luxo. Um dia, me pediram que consertasse, ou substituísse, o televisor de um dos quartos. Quando cheguei, vi que a imagem ocupava um terço da tela. Sabendo que todos os nossos aparelhos extras estavam em uso, pensei: Por que não? Dei uma pancada na lateral da TV e a imagem voltou ao normal.
– Veja, querido – disse a mulher ao marido.
– Ele fez o mesmo curso que você.

— WILLIAM W. OLLER 

 


Hoje é o Dia da Independência. Você conhece nossas histórias de caserna?


Estava com uma amiga num café quando um alarme barulhento de carro interrompeu nossa conversa.
– De que adiantam os alarmes de carro quando ninguém dá nenhuma atenção a eles? – comentei.
– Alguns são bastante eficazes – argumentou minha amiga. – No verão passado, meu filho adolescente passava muito tempo na casa dos vizinhos. Sempre que eu o queria de volta em casa, ia até o carro dele e o sacudia.

— SHEILA MOORE

Minha mulher estava na movimentada sala de espera da ginecologista quando um celular tocou. Uma paciente o atendeu e por alguns minutos explicou a quem ligara, em detalhes íntimos, seus sintomas e o que imaginava haver de errado com ela. De repente, o assunto mudou e a mulher disse:
– Ele? Nós terminamos.
E então acrescentou:
– Podemos falar sobre isso mais tarde? Esse é um assunto muito íntimo, e eu estou numa sala cheia de gente.

— ALAN ROBERTS

Pouco depois de ter consertado meu carro, o mecânico me pediu que o levasse de volta à oficina. Vi quando ele abriu o capô e retirou uma ferramenta que havia esquecido lá dentro. Com um tom de ironia na voz, eu disse:
– Se você fosse cirurgião, eu o processaria.
– É, mas se eu fosse cirurgião – respondeu ele –, cobraria por ter de operar de novo.

— JEANIE LOVELADY

A vendedora de uma empresa de telefonia ligou para perguntar se eu estava interessado no serviço de identificação de chamadas. Como sou cego, perguntei:
– Vocês têm uma versão em braile?
A vendedora me colocou na espera. Quando voltou, disse:
– Lamento, senhor, mas a caixa do identificador não está disponível nessa cor.

— ED LUCAS

Minha amiga Nancy, de 50 e poucos anos, e eu decidimos apresentar a mãe dela ao mundo mágico da Internet. Nosso primeiro passo foi acessar um site popular de perguntas e respostas dizendo a ela que o site responderia a qualquer pergunta que fizesse. A mãe de Nancy demonstrou ceticismo até que a filha garantiu:
– É verdade, mãe. Pense em alguma pergunta.
Enquanto eu descansava os dedos sobre o teclado, a mãe de Nancy pensou e retrucou:
– Como Tia Helen está passando?

— CATHERINE BURNS

Quando se aposentaram, meus pais se mudaram de uma cidade grande para uma cidadezinha no interior. Não nos demos conta do quanto a cidade era pequena até que minha irmã foi à locadora de vídeos. Ela escolheu um filme e disse ao atendente que ia alugar a fita usando o código de cliente dos pais. O atendente olhou para o título e observou:
– Eles já viram este.

— THERESA COUTCHER SOKOLOWSKI

Vamos continuar rindo?