Mais histórias hilariantes de malandros que não foram tão malandros assim e de seus crimes fracassados. Dessa vez somos nós que rimos por último e melhor!

Marujos bêbados

Na cidade pesqueira de La Rochelle, no litoral atlântico da França, quatro rapazes de vinte e poucos anos avistaram um catamarã atracado no píer de um clube de vela e decidiram dar um passeio antes do amanhecer.

Eles soltaram o Hobie Cat, pularam dentro e, com muito brio, seguiram para alto-mar. Mas deixaram de notar algumas coisas: primeiro, o barco era pequeno, para no máximo duas pessoas. Depois, as tampas das válvulas de drenagem não estavam aparafusadas. Antes que os rapazes o levassem muito além das docas, o barco afundou.

O quarteto foi resgatado e jogado numa cela, literalmente, para secar. Eles acabaram pagando 2 mil euros pela recuperação do barco.

Olhe por onde anda

Um ladrão alemão facilitou o trabalho da polícia. Depois de tirar a bolsa de uma mulher de 81 anos em plena luz do dia na cidade de Hildesheim, o ladrão pulou numa bicicleta e fugiu. Para garantir que ninguém o seguisse, fez uma curva rápida; não viu o poste e bateu de cara. Ele abandonou a bicicleta e fugiu a pé.

No entanto, o bandido deixou cair um item importante quando despencou na calçada: uma carta com seu endereço residencial.

A polícia chegou à casa do ladrão quase antes dele.

Leia antes de usar

Em julho passado, pouco antes do jantar, um homem de 24 anos, com um colega de 17, decidiu roubar uma farmácia na cidade de Perth, na Austrália. Eles tiveram a ideia de neutralizar o balconista com spray de pimenta. O ladrão agitou a lata e lançou um jato de gás ardente. Mas o bico estava virado para trás, e o ladrão atingiu o próprio rosto. Enquanto isso, o cúmplice, armado com uma faca, se cortou.

Os bandidos fugiram, mas foram encontrados pouco depois pela polícia. Mais tarde, eles tiveram de explicar seus contratempos ao juiz do tribunal distrital.

Por quem os sinos dobram

Por volta das duas da madrugada, um ladrão invadiu uma igreja na cidade alemã de Mühlhausen. Em total escuridão, ele tateou atrás do interruptor. Achou uma caixa de passagem e experimentou vários botões. De repente, os sinos da igreja começaram a tocar. O homem, 32 anos, agarrou uma estatueta de madeira e fugiu… Mas foi preso pelo carro da polícia que fazia a ronda de rotina.

Volta imediata para o crime

Um alarme disparado de madrugada levou a polícia a um café na região de Flandres, na Bélgica, mas não antes que o ladrão fugisse com cerca de dois mil euros. As imagens capturadas pelas câmeras de segurança do Café De Gouden Vis (o Peixe Dourado) mostraram um ladrão com gesso na perna direita. Quando, desajeitado, ele fugiu de bicicleta, a polícia acompanhou seu avanço pelas câmeras de segurança da cidade até uma casa próxima.

Na semana anterior, o ladrão, que tinha roubado a bicicleta em Mechelen e fugido ao ser pego em flagrante, caíra de um telhado e quebrara o tornozelo.

Após detê-lo, a polícia o levou ao hospital, onde lhe puseram gesso. Ao ser posto sob custódia, ele roubou o café e foi preso de novo.

Me deixem sair!

Em Barcelona, na Espanha, quando um motorista saiu do carro para pagar o estacionamento, um ladrão aproveitou a oportunidade e pulou dentro do veículo. Mas aí o motorista trancou a porta do Audi enquanto se afastava. O ladrão ficou preso lá dentro.

Após quase quatro horas no carro quente, coberto de suor, desidratado e um tanto zonzo pela falta de oxigênio, o homem foi finalmente resgatado pela polícia, depois que pedestres notaram as janelas estranhamente embaçadas.

“Sorte sua que o dia estava nublado”, observou um policial depois de prender o ladrão. “Se estivesse sol, você teria morrido.”