Ser escritor, definitivamente, não é para qualquer um. Anualmente, a Universidade de San José realiza o Concurso Bulwer-Lytton de ficção. Muito disputada, a competição reune inúmeros escritores entusiastas (e corajosos) que concorrem pelo prêmio de pior início de história. Veja a criatividade de alguns deles!

Enquanto despencava pelo escarpado penhasco gelado, Lewiston Creol ponderou sobre a palavra despencar, mas sua ponderação foi interrompida pela superfície da água, e nesse momento ele parou de despencar e começou a mergulhar.

Jason Chandler

Em pé na rua empoeirada diante do saloon, assando sob o sol ardente do Novo México, Arthur W. Fetterman Jr., gabaritado contador do Velho Oeste, passou a mão suada acima da coronha do revólver emprestado, deu mais um passo relutante na direção do famoso pistoleiro John Wesley Hardin e se perguntou, pela centésima vez, o que o fizera corrigir o uso de “sair para fora” durante o jogo de pôquer.

Bill White

Sven, que pedalava seu monociclo enquanto treinava para o biatlo, achava o Triceratops o mais majestoso dos dinossauros, se exercitava na quadra de seu prédio de apartamentos pertinho do Pentágono, cantava num sexteto, tinha desvio de septo, lutava no octógono para se divertir, parecia ter nove vidas e passou uma década morando com os aborígines, era o tipo de homem com quem a gente podia contar.

Jeff Green

Ela era o objeto mais desejado da sala. Como se fosse o último ovo recheado de maionese no almoço de Páscoa.

Christine Hamilton

O barco de Napoleão sacudiu e virou enquanto o imperador, escutando enquanto seus generais tagarelavam como sempre faziam, mergulhou nas tépidas águas de sua banheira.

John Doble

E aí, ficou inspirado? Então aprenda como escrever sobre amor!