Histórias engraçadas sobre os 30, 40, 50, 60… 80… e até mais. Você sabe: rir e coçar é só começar. Não perca!

Eu tinha acabado de fazer 50 anos e estava traumatizada com essa nova idade. Ao renovar minha carteira de motorista, uma mulher bastante ágil digitou meus dados, fez o exame de vista, tirou minha foto e me entregou a carteira.

– Quer dizer que vou ter de ficar com essa aparência pelos próximos quatro anos? – disse, brincando.

– Não se preocupe – retrucou ela. – Dentro de quatro anos, você vai achar essa foto ótima.

— Nancy Firestone

Após uma ida ao shopping, minha amiga Gina e eu paramos num bar para um drinque. Não estávamos sentadas há muito tempo quando ela se inclinou e disse que quatro homens na mesa ao lado estavam nos olhando. Como temos 30 e poucos anos, somos casadas e mães, achamos a situação lisonjeira. Tratamos de nos endireitar para tentar parecer mais magras e mais jovens. Em poucos minutos, um dos homens se levantou e veio até a nossa mesa.

– Com licença – disse. Então passou a mão por cima de nossas cabeças e aumentou o volume da televisão que exibia um jogo de beisebol.

— Sandra Lyons

– Comigo acontecem muitas coincidências. Nasci no dia 5 de maio, às 5 horas. Quando fiz 55 anos, apostei no número 55.555 e ganhei R$ 5 milhões. Peguei tudo e apostei no cavalo 5, no 5º páreo.

– Legal! E quanto você ganhou?

– Nada.

– Nada?

– O maldito chegou em quinto.

— Camila Gomes

Agora que tenho mais de 40 anos, companheiros de equipe mais jovens começaram a zombar da minha decadência como jogador de beisebol. Durante uma partida, eu estava na terceira base quando um rebatedor mandou uma bola por cima da minha cabeça. Pulei o mais alto que pude, mas a bola só tocou na beirada da luva e seguiu, livremente. Ao fim do jogo, eu me dirigia ao vestiário quando um companheiro chegou perto de mim.

– Foi isso aqui! – berrou, mostrando o polegar e o indicador quase próximos.

– Eu sei – retruquei. – Quase peguei.

– Não – disse ele. – Foi isso aqui o tanto que você saiu do chão.

— Randy Hawkins

Paul estava com 60 e poucos anos e acabara de se aposentar. Planejava cuidar do jardim e tentava conseguir pequenos arbustos ou árvores. Burleigh, um senhor de 90 anos que morava do outro lado da rua, ofereceu a Paul uns arbustos com cerca de 60 centímetros de altura. Paul perguntou:

– Quanto tempo levarão para crescer?

– Mais ou menos vinte anos – respondeu Burleigh.

– Então não me servem – disse Paul. – Não vou viver tanto.

O velho de 90 anos sacudiu a cabeça:

– Vamos sentir saudades!

— Clydene Savage

Tendo estado em guerra com a balança a maior parte de minha vida, descobri que a batalha piorava à medida que me aproximava da meia-idade. Uma tarde, após experimentar algumas calças que ficaram apertadas demais, disse para meu marido:

– Vou adorar quando formos avós. Afinal de contas, quem liga se uma avó é gorda?

Ele rebateu de imediato:

– O avô.

— Iris Cavin

Meu amigo Brad, cuja aparência jovem não corresponde à idade, pilotava voos fretados na Flórida. Certo dia, foi designado para levar uma senhora idosa de Everglades até Naples. Ela o examinou enquanto ele a ajudava com o cinto de segurança. Já no ar, sem nada além de água e pântanos abaixo, ela pigarreou e disse, um tanto apreensiva:

– Você parece muito jovem. Quanto tempo tem de voo?

Brad exibiu seu mais encantador sorriso.

– Contando com o de hoje? – respondeu ele.

— Bob White

Uma das vendedoras da papelaria perto de casa precisou ter bom humor para sobreviver a seu aniversário de 40 anos. Não apenas teve de tolerar duas grandes faixas que anunciavam: “Cathy faz 40 anos hoje!”, mas também teve de passar o dia ao lado de outras vendedoras que usavam crachás com os dizeres: “Eu não sou Cathy.”

— Helen Becouvarakis

– A senhora já tem uma “certa” idade, não tem? – perguntou a moça para quem eu havia acabado de doar umas roupas usadas.

Constrangida, disse:

– Tenho 30 anos.

E ela, mais do que depressa:

– Ah, logo vi. Mas a senhora está ótima, ninguém diz que tem essa idade. Eu mesma só notei por causa das rugas!

E saiu, certa de ter feito um grande elogio.

— Ligia Cristina Fascioni Correa

Meu marido e eu, casados há 13 anos, estávamos nos arrumando para uma festa. Eu tinha passado o dia inteiro no salão, cortando o cabelo e fazendo um permanente. Então, quando íamos sair de casa, nos encontramos no corredor e ele não disse nada. Reclamei, por ele não ter percebido nem o corte do cabelo.

– Você costumava prestar atenção a cada detalhe, agora não percebe nada! Você não me dá mais valor!

Meu marido ficou lá parado, passando a mão no rosto enquanto eu esbravejava. Foi quando, sem jeito, notei: ele havia raspado toda a barba e eu nem percebi…

— Melody Anderson

Para mais uma história de humor sobre os 40 anos, basta clicar e se divertir.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!