Há alguns anos, briguei com uma amiga por causa de um mal-entendido e a culpa foi toda minha. Tive medo de pedir desculpas e admitir que estava errada, e passamos anos sem nos falar. Aí nos encontramos por acaso e decidimos almoçar juntas. Foi tão agradável que continuamos nos vendo. Depois de duas ou três refeições, me senti obrigada a pedir desculpas por minha transgressão anos antes.

Minha experiência não é a única: muitas pessoas evitam pedir desculpas porque a ideia de admitir os próprios erros as deixa extremamente constrangidas.

“Todos gostamos de nos considerar pessoas boas, gentis, atenciosas e morais”, explica Ryan Fehr, professor da Escola Foster de Administração da Universidade de Washington.

“As desculpas nos forçam a admitir que nem sempre estamos à altura de nossos padrões. Também podemos temer que a vítima não aceite nosso pedido, comprometendo ainda mais a noção positiva de nosso eu. Por isso, pode ser dificílimo se desculpar.”

Para muitos, pedir desculpas é estressante, esquisito e constrangedor. Mas quando é sincero têm efeito positivo. A pesquisa mostra que elas podem melhorar nossa saúde mental, consertar relacionamentos rompidos e aumentar a autoestima. 

“Pedir desculpas é um sinal do caráter moral da pessoa”, diz Fehr. “Representa a separação entre o ofensor e a ofensa. O ofensor diz: ‘Reconheço que o que fiz foi prejudicial, mas essa ofensa não me representa como pessoa.'”

Você gostaria de pedir desculpa mas não sabe como? Especialistas dão alguns conselhos:

1. Construa o seu pedido de desculpas

Pesquisadores da Universidade do Estado de Ohio verificaram que os pedidos eficazes têm seus componentes: exprimir remorso, explicar o que deu errado, admitir a responsabilidade, declarar o arrependimento, oferecer-se para consertar a situação e pedir perdão. Os seis não são necessários em todas as ocasiões.

“Descobrimos que quanto mais componentes incluímos, maior a probabilidade de o pedido de desculpas ser signo de crédito”, revela Roy Lewicki, principal autor do estudo. “Admitir a responsabilidade é a parte mais importante, seguida pela explicação do que aconteceu e a declaração de arrependimento.”

Outra pesquisa mostrou que exprimir o remorso e admitir a responsabilidade são fundamentais. “Sem o remorso, o pedido é uma justificativa de nossas ações”, diz Fehr. “Sem a responsabilidade, é só um subterfúgio.”

2. Escolha bem o momento para o seu pedido de desculpas

Quando quisermos pedir perdão, devemos falar na hora? Ou esperar ainda mais quando o outro precisa de tempo para esfriar a cabeça? “Às vezes, o pedido de desculpas imediato é necessário”, diz Antony Manstead, professor de Psicologia da Universidade Cardiff, no País de Gales. “Mas, se o outro lado estiver zangado com o que considera um delito, talvez seja mais eficaz esperar, porque a raiva pode impedir a receptividade ao pedido.”

“A não desculpa é uma declaração do tipo ‘sinto muito se você se ofendeu com minha piada’.”

Esperar também pode trazer outros benefícios. “Algumas pesquisas indicam que a demora aumenta a eficácia do pedido por transmitir a ideia de que o transgressor teve tempo para refletir sobre seus atos”, diz Mara Olekalns, professora de Administração da Melbourne Business School. “Outras mostram que, quanto mais perto da transgressão, mais eficaz será o pedido, talvez por transmitir o remorso e o reconhecimento imediatos do ato errado.”

Esperar demais pode sair pela culatra, mas também pode ser eficaz. Levei dez anos para me desculpar com minha amiga, mas ela foi receptiva e se comoveu com minhas palavras. Quando seu irmão de 60 anos lhe pedir perdão por ter agredido você quando era criança, é provável que você fique contente.

E alguns governos conseguem pedir desculpas por crimes cometidos há séculos. “A melhor hora é quando nos sentimos prontos a pedi-las com sinceridade”, ressalta Etienne Mullet, diretor de pesquisas do laboratório de Ética e Trabalho do Instituto de Estudos Avançados, em Paris. “Nessas situações, não há nada pior do que desculpas insinceras.”

3. Escolha as palavras para o seu pedido de desculpas

pedido de desculpas

Evite estas armadilhas:

Inventar pretextos. “Como admitir o erro é doloroso e pode dar a sensação de que somos uma pessoa má, muita gente dilui o pedido de desculpas com pretextos, declarações que reduzem a responsabilidade no pedido para salvar as aparências”, diz Roger Giner-Sorolla, professor de Psicologia social da Universidade de Kent, na Inglaterra.

Menosprezar os sentimentos do outro. “Não insinue que o outro está errado por se sentir nervoso ou zangado”, alerta Olekalns. “Isso menospreza e invalida sua experiência.”

Apontar o dedo. “Entre os exemplos, temos ‘peço desculpas se ofendi alguém’ e ‘sinto muito, mas foi você quem começou'”, diz Fehr. “Isso é jogar a responsabilidade no outro por ser sensível demais ou por iniciar o ciclo de conflitos. O pedido deveria assumir de forma inequívoca a responsabilidade pela ofensa.”

Pedir não desculpas. “As não desculpas são declarações como: ‘Sinto muito se você se ofendeu com minha piada'”, diz Giner-Sorolla. “Tem o formato do pedido de desculpas (‘Sinto muito’), mas joga a responsabilidade sobre o ofendido, insinuando que é sensível demais.

4. Escolha o meio de comunicação

Os especialistas concordam que o pedido de desculpas cara a cara é melhor do que por telefone, e-mail ou carta manuscrita.

“Já se demonstrou que as expressões faciais, a postura do corpo e o tom de voz são canais importantes para transmitir a sinceridade quando exprimimos remorsos”, conta Giner-Sorolla.

“Qualquer um pode digitar ‘Estou muito envergonhado’, mas quando dizemos isso ao vivo fica óbvio se falamos a sério ou não.”

O telefonema é o segundo melhor meio: você transmitirá as emoções com a voz e receberá resposta imediata. O pedido por e-mail não é ideal por ser desprovido de dicas emocionais… e porque, depois que você o digitou, os destinatários podem repassá-lo a quem quiserem.

“É claro que a pessoa ofendida pode aproveitar o pedido de desculpas por escrito para prejudicar quem o enviou”, diz Mullet. “Ser vítima não transforma automaticamente alguém em boa pessoa. Portanto, quem pede deve ser prudente.

O alívio do perdão

pedido de desculpas como pedir desculpas

Depois do pedido de desculpas, talvez você sinta que tirou um fardo dos ombros. A pesquisa mostra que essa iniciativa alivia a consciência pesada, dá início ao processo de perdão entre as vítimas, aproxima as pessoas e aumenta a confiança, mesmo entre desconhecidos.

“O pedido de desculpas é uma ferramenta importante para reconstruir um relacionamento e torná-lo funcional outra vez”, esclarece Lewicki.

Mesmo que você tropece nas palavras, elas terão muito significado. “Em geral, as pessoas ofendidas gostam do pedido de desculpas”, diz Fehr. “O efeito sobre o relacionamento tem mais probabilidade de ser positivo do que negativo.”

Sei disso em primeira mão. Eu e minha amiga almoçamos recentemente, quinze anos depois de meu pedido de desculpas atrasado. Confessar que foi tudo culpa minha nos ajudou a superar a briga e curar nosso laço. Hoje, ambas apreciamos nossa amizade.

Por Lisa Fields

Gostou do relato? Então, confira aqui outra linda história sobre perdão.