Faça uma busca
|
Publicado em: 22 de agosto de 2019

Ações inspiradoras de quem pensa globalmente e age localmente

Julia Monsores
Última atualização: 20 de agosto de 2019
Por: Julia Monsores

Essas notícias vão melhorar o seu dia!

Ações inspiradoras de quem pensa globalmente e age localmente Imagem: Brothers91/iStock

“Pensar globalmente, agir localmente” era o que propunha o sociólogo Ulrich Beck. Isso implica em realizar pequenas ações que podem se tornar grandes ações. Se você está cansado de notícias trágicas, confira três ações inspiradoras de pessoas dispostas a mudar o mundo. 

Dublin oferece aos turistas um guia diferente 

Os dublinenses sem teto têm nova oportunidade de sair das ruas com um programa que os treina como guias turísticos. A empresa social My Streets Ireland visa dar a alguns moradores de rua da capital irlandesa novas habilidades e uma renda para mostrar a cidade aos turistas. Os treinandos escolhem um tema para o passeio e recebem ajuda para fazer a pesquisa e montar a apresentação. Os guias recebem metade da venda dos ingressos e o restante é reinvestido no projeto.

“Nunca sonhei que isso pudesse acontecer”, diz Eddie Dooner, de 27 anos, que morava numa barraca no Phoenix Park, em Dublin, mas agora tem seu próprio apartamento. “Quero mudar a opinião das pessoas. Não é por morar na rua que a pessoa não presta.” Há programas semelhantes em outras capitais europeias, como Berlim, Viena e Praga.

Aprendendo Braille brincando

A Lego revelou um projeto para que crianças cegas e deficientes visuais aprendam Braille de um “jeito envolvente e divertido” em meio à preocupação de que menos crianças estejam aprendendo o sistema por causa dos audiolivros e programas de computador. Os novos tijolinhos serão moldados com as mesmas marcas usadas para as letras e os números em Braille. Também terão caracteres impressos para permitir a leitura por quem enxerga.

Um lar mobiliado para cães de rua da Sicília

Além de vender móveis desmontados, a loja da Ikea em Catânia, na Sicília, oferece um serviço incomum. Ela recebe cães de rua, alimenta-os e deixa que se aconcheguem e cochilem entre os móveis de sala expostos na loja.

A prática é aprovada pelos fregueses, como a lojista local Giovanna Pecorino. “Conheço bem esses cachorros”, diz ela. “Adoro. Eles me dão uma sensação de paz.”

Os cães de rua recebem cuidados de um grupo local de bem-estar animal. Alguns já foram adotados por clientes e agora têm um lar permanente.

Compilado por James Hadley