Realizar o Caminho de Santiago de Compostela pode ser transformador. Muitos dizem que este é um caminho sem volta, ou seja, depois de fazê-lo você nunca mais será o mesmo. Alguns decidem fazer a caminhada por motivos religiosos, enquanto outros buscando o autoconhecimento. A única certeza é que o trajeto até a cidade espanhola é árduo, mas gratificante.

Não se sabe ao certo quando começaram as peregrinações, mas a motivação inicial foi a visita ao túmulo de São Tiago Maior. Tiago, um dos discípulos de Jesus, após a crucificação, seguiu para a península Ibérica afim de evangelizar a região. Anos após retornar à Palestina, foi decapitado por ordem do rei Herodes Agripa. Como manifestou em vida o desejo de ser enterrado na então região da Galícia, teve seus restos mortais levados até o local.

A princípio seu túmulo estava localizado no litoral da Galícia, no interior de uma capela em Finisterra. Após a invasão dos mouros, o rei das Astúrias Alfonso III, o Grande, ordenou que fosse construída uma igreja maior sobre o túmulo. Somente em 1211 foi construída a Catedral de Santiago de Compostela. Lá você pode encontrar as relíquias de São Tiago que estão expostas ao público.

Os caminhos que te levam até a cidade são vários, e os objetivos também. Então, antes de marcar a passagem, saiba um pouco mais sobre essa peregrinação incrível.

Como iniciar a jornada?

Placa indicando a direção do Caminho de Santiago de Compostela

Placa indicando a direção do Caminho de Santiago de Compostela na cidade de Comillas, Espanha. Arquivo pessoal.

Os caminhos oficiais até Santiago de Compostela são muitos. Mas, antes de decidir o seu trajeto, é importante buscar informações nas centrais de informação. Uma pesquisa rápida na internet te indicará o local oficial sobre a peregrinação mais perto da sua casa. Tendo os dados que precisa saber, vamos às opções de trajeto.

O caminho mais antigo tem início na cidade francesa de Saint-Jean-Pied-de-Port, próxima aos pirineus. Se você tem vontade de começar pela França, saiba que sua peregrinação poderá durar entre 28 e 35 dias. No total são 800 km até Santiago. Mas, não se preocupe, por ser um caminho bem popular, possui uma boa infraestrutura de albergues e locais para comer; além de boas sinalizações. Vale ressaltar apenas que, por passar por entre vales e montanhas, é um trajeto árduo e não é recomendado fazê-lo nas estações mais frias e chuvosas.

O caminho português é mais uma opção para realizar sua caminhada. Mais plano e mais curto, o percurso tem no total 250 km, saindo da cidade do Porto; de 7 a 11 dias. Também é possível realizá-lo saindo de Lisboa, mas a rota aumentará para 600 km; mais 25 dias. Este é o segundo trajeto mais percorrido, entretanto entre Lisboa e Porto não existem muitos albergues para peregrinos. Dessa forma, muitos optam por pernoitar em casas paroquiais, albergues da juventude ou até mesmo nos Bombeiros.

A terceira rota mais buscada é o caminho do norte, que sai da cidade de Irún – Espanha. Mesmo tendo início na Espanha, esse é o trajeto mais longo, 850 km até Santiago de Compostela. Ao todo você pode levar de 30 a 38 dias. Neste caminho alguns albergues ficam fechados na baixa temporada (de outubro a março), vale se informar melhor. A distância entre um e outro também pode ser um problema. Portanto, se durante o caminho se sentir muito cansado ou com dores musculares, pare um pouco e tente essas técnicas de automassagem.

Buen Camino!

Trajeto escolhido, mochila pronta, pé na estrada! Para realizar o Caminho de Santiago de Compostela é imprescindível levar somente o necessário. Além disso, fique atento à estação do ano. Em períodos frios e chuvosos, invista em botas confortáveis e impermeáveis, além de uma capa de chuva. Não esqueça de roupas térmicas e um bom casaco. Mas, se decidir ir no verão, leve protetor solar e repelentes. Itens de saúde, como remédios, não podem ser esquecidos. Leve sempre uma garrafa para encher de água pelos bebedouros públicos do caminho.

“O caminho é lindíssimo, com paisagens e sons maravilhosos, bosques, montanhas com neve em seus picos, pássaros cantando e rios correndo. E além de tudo isso, há o “Buen Camino!”, saudação que trocamos com cada pessoa que cruzamos. Muitas estão ávidas para contar suas histórias e outras muito dispostas a escutá-las, é uma troca deliciosa. A solidariedade está em cada centímetro do longo caminho que torna-se leve. Quando você o fizer, deixe-o fluir e o desfrute sem pressa de sentir seus resultados, eles chegarão na hora perfeita para você. Buen Camino!” (Lory Piffer – peregrina)

No decorrer da caminhada você perceberá que, entre uma paisagem incrível e outra, sempre terá alguém para te saudar: Buen Camino! Esta é a saudação aos peregrinos que seguem por entre as diversas trilhas, sempre guiados pelas setas amarelas. O percurso é cheio delas, em placas e sinalizadores. De acordo com a história, elas foram pintadas na década de 1980 pelo padre Elías Valiña e por Andrés Muñoz, presidente da Associação de Amigos do Caminho de Navarra; grandes promotores do Caminho. Desde então, realizar a peregrinação ficou muito mais fácil.

O caminho não acaba em Santiago

Dizem que o Caminho começa na porta da sua casa. E depois de tanto planejar, sonhar e caminhar, chegar à linda catedral de Santiago de Compostela será recompensador. O sentimento de ter cumprido uma meta e ter conseguido superar todos os percalços do caminho é libertador. E para atestar todo esse esforço, cada peregrino recebe a compostela; um certificado emitido pela Igreja Católica afirmando que foram completados pelo menos 100 km a pé ou 200 km de bicicleta. A compostela pode ser retirada na Oficina do Peregrino, ao lado da Catedral.

“O caminho não te leva a Santiago. Ele te leva a si mesmo. Por isso, por menor que ele seja, é sempre uma jornada grandiosa. É sobre encontrar a si mesmo.” (Lucão – Amores ao Sol)

Alguns peregrinos estendem sua caminhada até a cidade de Finisterra, onde São Tiago foi enterrado. Finisterra, ou fim da terra, é o ponto mais ao leste da Europa. Muitos encerram sua jornada lá, na costa espanhola, de frente para o mar. Quem opta por seguir caminhando até o farol de Finisterra, tem o costume de queimar as roupas que levou como forma de desapego e renovação. Contudo, o que ficará mesmo serão as lembranças e todas as mudanças que cada um passou internamente durante o Caminho. O Caminho de Santiago de Compostela pode ser revelador, pode trazer as respostas que tanto busca, ou apenas ser uma grande aventura. O fato é que você nunca voltará o mesmo.

Por Thaís Garcez