Faça uma busca
Já tem cadastro? Faça login aqui.
Cadastre-se para continuar lendo!
Artigo exclusivo para assinantes!
É grátis e você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos
devices
Já sou assinante da Revista Impressa

Entendo que, respondendo a esta promoção, serei ingressado nos sorteios aqui oferecidos e passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, entre em contato com a nossa Central de Atendimento. Conheça também a nossa Política de Privacidade e Uso de Dados

Aproveite e assine o site seleções por apenas R$1,99 no primeiro mês. Clique aqui.
|
Publicado em: 4 de abril de 2019

“Enxuga essa lágrima” – 3 poemas de Paulo Leminski para se emocionar

Na noite de ontem, o ator José Loreto compartilhou em seu Instagram um trecho do poema de Paulo Leminski que emocionou muita gente...

Imagem: Anastasiia_Guseva/ Istock

Não é só José Loreto que se emociona com poemas. O ator, que está envolvido em rumores sobre uma possível reconciliação com sua ex-esposa, Débora Nascimento, compartilhou em seu Instagram um trecho do poema do escritor Paulo Leminski. 

Confira esse e outros trechos de poemas do escritor que, até os dias de hoje, é considerado um dos maiores nomes brasileiros. 


“Enxuga aí
vê se enxerga
essa lágrima
eu deixei cair
examina
examina bem
vê se não é água da pedra
ouro da mina
essa gota d’água
minha obra-prima”

– Caprichos & Relaxos

“Escrevo. E pronto.
Escrevo porque preciso,
preciso porque estou tonto.
Ninguém tem nada com isso.
Escrevo porque amanhece,
E as estrelas lá no céu
Lembram letras no papel,
Quando o poema me anoitece.
A aranha tece teias.
O peixe beija e morde o que vê.
Eu escrevo apenas.
Tem que ter por quê?”

– Razão de ser

“No fundo, no fundo,
bem lá no fundo,
a gente gostaria
de ver nossos problemas
resolvidos por decreto

a partir desta data,
aquela mágoa sem remédio
é considerada nula
e sobre ela — silêncio perpétuo

extinto por lei todo o remorso,
maldito seja quem olhar pra trás,
lá pra trás não há nada,
e nada mais

mas problemas não se resolvem,
problemas têm família grande,
e aos domingos
saem todos a passear
o problema, sua senhora
e outros pequenos probleminhas.”

– Bem no fundo

Leia também: momento de poesia

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados