Faça uma busca


|
Publicado em: 27 de novembro de 2018

The Importance of Iron

A importância do ferro

Imagem: ratmaner/iStock

Ouça e leia este texto em inglês


The Importance of Iron

By Samantha Rideout

Tracing the connection between the mineral and our well-being

All life requires iron.

Humans use it to make, among other things, hemoglobin and myoglobin, proteins that help store and carry oxygen throughout our bodies.

Our iron supply needs to be continually replenished with food. Good sources include meat, fish, egg yolks, beans, nuts, and dark-green vegetables. You can boost your intake further by cooking in a cast iron pan. You’ll be eating microscopic pieces of your skillet along with your meal, but your body can use them. Iron supplements are another possibility; as their name suggests, they’re intended as an addition to the nutritious diet when necessary, not a substitute for it.

Types of iron

There are two main types of dietary iron: heme (from meat only) and non-heme (found in both animal and plant sources). “Heme iron is well absorbed by the body,” says Agnès de Sesmaisons-Lecarré, a member of the European Food Safety Authority’s nutrition unit. “But interactions with other meal components, for instance, the muscle tissue in meats or foods rich in vitamin C, such as oranges and tomatoes, can increase its absorption.”

Consequences of insufficient intake

The body keeps some iron in reserve. However, sustained low intake or low absorption can lead to anemia, which is a lack of healthy red blood cells for carrying oxygen. The possible symptoms include fatigue, shortness of breath, a feeling of being cold, headache, irritability, dizziness, or a paling of the skin. It’s important to address iron deficiency anemia (diagnosed through blood tests) because it can lead to heart problems in the long run.

Iron deficiency anemia can also be a sign of an underlying condition such as celiac disease, inflammatory bowel disease, or colorectal cancer. Because iron is shed with blood leaving the body, other people with a heightened risk include menstruating women and frequent blood donors.

And when you get too much iron?

Short of swallowing far more than the recommended dose of supplements, getting too much iron is unlikely. Unless you have hemochromatosis, a genetic disorder that affects up to one in 200 people of Northern European descent. It promotes excessive iron absorption, causing signs such as joint pain, belly pain, and fatigue. Left untreated, hemochromatosis may ultimately trigger serious heart or liver trouble. But when managed with a low-iron diet or regular blood removal, it need not become a problem.


Tradução…

Todas as formas de vida precisam de ferro

O ser humano o usa para produzir, entre outras coisas, hemoglobina e mioglobina, proteínas que ajudam a armazenar e transportar oxigênio pelo corpo.

Nosso suprimento de ferro precisa ser continuamente reposto pela alimentação. Entre as boas fontes estão carne, peixe, gema de ovo, feijão, nozes, castanhas e verduras escuras. É possível aumentar a ingestão cozinhando em panelas de ferro. Você vai comer pedacinhos microscópicos da panela, que podem ser aproveitados por seu organismo. Os suplementos de ferro são outra possibilidade; quando necessário, eles devem ser um acréscimo, e não um substituto da alimentação nutritiva.

Tipos de ferro

Há dois tipos principais de ferro na alimentação: o ferro heme (só da carne) e o não heme (de fontes animais e vegetais). “O ferro heme é bem absorvido pelo corpo”, diz Agnès de Sesmaisons-Lecarré, da Agência Europeia de Segurança Alimentar. “Mas interações com outros componentes da refeição, por exemplo, o tecido muscular das carnes ou os alimentos ricos em vitamina C, como laranja e tomate, aumentam a absorção.”

Consequências da ingestão insuficiente

O corpo mantém uma reserva de ferro. No entanto, a ingestão insuficiente prolongada ou a baixa absorção podem causar anemia – falta de hemácias saudáveis para transportar oxigênio. Os sintomas possíveis são fadiga, falta de ar, sensação de frio, dor de cabeça, irritabilidade, tontura e palidez. É importante tratar a anemia por deficiência de ferro porque, a longo prazo, ela pode provocar problemas cardíacos.

A anemia por deficiência de ferro também pode ser sintoma de algum problema subjacente, como doença celíaca, doença inflamatória intestinal e câncer colorretal. Como se perde ferro quando se perde sangue, outras pessoas com aumento do risco são as mulheres que menstruam e os doadores frequentes de sangue.

E quando você ingere ferro em excesso?

A ingestão excessiva de ferro é improvável, a menos que se tome uma dose de suplementos bem maior do que a recomendada ou que se tenha hemocromatose, transtorno genético que afeta até uma em cada 200 pessoas de ascendência norte-europeia. A doença promove a absorção excessiva de ferro, com sintomas como dor nas articulações, dor de barriga e fadiga.

Por Samantha Rideout


Teste seu QI médico

Antes de ir embora, que tal pôr à prova o seu conhecimento médico? Basta completar a frase abaixo com a opção correta!

[wp_quiz id=”21829″]

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados