Faça uma busca
|
Publicado em: 18 de fevereiro de 2022

12 coisas que o pediatra não te conta – mas nós sim!

Julia Monsores
Última atualização: 17 de fevereiro de 2022
Por: Julia Monsores

Confira alguns segredos revelados por uma pediatra.

12 coisas que o pediatra não te conta – mas nós sim! Imagem: didesign021/ Istock

Quem é mãe ou pai conhece bem a rotina de idas e voltas ao pediatra para garantir a boa saúde de seus filhos. No entanto, mesmo fazendo suas consultas com um bom profissional, sempre há mais dúvidas a serem tiradas. Isso é completamente natural. 

Além disso, existem algumas dicas que os esse médicos não vão te dar. Por isso, trouxemos 12 segredos revelados por uma pediatra, que outros pediatras normalmente não revelam.

Vá ao pediatra no meio da semana

Leia também: Refluxo em bebê é normal? Pediatra explica 

Quer evitar o tempo de espera? Marque a sua consulta para o meio da semana e peça para ser o primeiro da manhã ou o primeiro logo após o almoço.

Antibióticos nem sempre são necessários

Mesmo que os estudos mostrem que os antibióticos para infeções de ouvido são raramente melhores do que não os prescrever e fazer outro tipo de acompanhamento, em crianças com mais de 2 anos muitos de nós prescrevemos de qualquer forma. 

Amamente seu filho na hora de vaciná-lo

Quer tornar menos dolorosa a aplicação das vacinas? Pergunte se pode amamentar enquanto ministramos a dose de vacina. Ou, se tiver uma criança mais velha, pergunte se podemos usar spray frio ou um creme entorpecente para diminuir a dor.

Sem consulta marcada, sem atendimento

Se está na consulta com um filho, não pergunte se posso dar uma “checada” no irmão que não tem consulta marcada. Se a sua mãe fosse com você ao ginecologista, você nunca diria: “pode colocá-la na mesa e dar uma olhada rápida?” Cada paciente merece uma avaliação completa.

Peça ao pediatra por consultas mais longas

Por vezes, temos menos de 10 minutos por paciente. Então, aproveite ao máximo o seu tempo e pergunte sobre os problemas mais urgentes em primeiro lugar. Se tem um monte de perguntas para fazer, peça uma consulta mais longa.

O pediatra não sabe de tudo

Se eu lhe disser para deixar o seu bebé chorar até adormecer, quando for mais velho, não me pergunte se eu sempre segui esse conselho com os meus próprios filhos. Eu não sabia.

Enfermeiras são de grande ajuda

Se tem um assunto urgente e a recepcionista diz que a agenda está cheia, peça para falar com uma enfermeira e explique a sua situação. Muitas vezes, ela pode resolver o assunto, mesmo que não haja nenhuma vaga.

Comece o tratamento o quanto antes

Não atrase o tratamento do seu filho só porque quer que eu veja os sintomas. Há pessoas que fazem muito isso: “Eu não lhe dei um xarope porque queria que o visse antes disso” ou “Eu não usei o nebulizador porque queria que ouvisse o ruído”. Confie em mim. Eu acredito se me disser que a criança teve febre ou tem ruído. Atrasar o tratamento só faz o seu filho sofrer.

Seja prático

Assim que entra na consulta e diz “ele não gosta que lhe vejam os ouvidos”, você está lembrando o seu filho da última consulta e dando argumentos para mais um problema. Seja prático e ajude. Diga: “Está na hora de o doutor ver os seus ouvidos.”

Leia também: Covid-19 em crianças: quando procurar atendimento médico

Não há diferenças entre salas de espera

Temos uma sala de espera para “doentes” e outra para quem está bem. Agora, sério: não existem estudos que mostrem que esta separação faça a diferença. Os germes estão em toda a parte, e nós não podemos desinfetar as salas entre cada doente.

Especifique o tipo de consulta

Os planos de saúde não nos pagam para verificar problemas complexos numa consulta de rotina. Assim, se a sua criança tem se queixado de dores de cabeça durante meses, eu digo-lhe para marcar outra consulta. Não vou investigar esse problema na mesma consulta.

Seu pediatra ganha menos que outros médicos

Os pediatras estão entre os médicos mais mal pagos, ganhando metade do que ganham outros especialistas. Nós sujeitamo-nos a xixis, vômitos e às vezes pior. Mas nós adoramos ajudar crianças, e é por isso que o fazemos.

Por Michelle Crouch