Faça uma busca
Saúde & Bem-estar

Aprenda a ser uma pessoa mais resiliente e cuide do seu bem-estar

Qualidade de vida requer resiliência. Veja como encarar todos os dias como uma nova oportunidade de ser melhor, mais feliz e realizada.

Escrito por:

Thaís Garcez

Redator
planta verde saindo do solo rachado simbolizando resiliência
bodnarchuk/iStock
Publicado em: Última atualização:

Todo mundo tem dentro de si alguma resiliência. Ela é fundamental para conseguirmos enfrentar as dificuldades da vida. Se você está enfrentando um problema financeiro, por exemplo, o que te mantém firme é saber que você pode enfrentar essa situação; seja por já ter vivido algo semelhante ou por saber que terá forças para superar as adversidades.

Table Of Contents[ Hide ]

A resiliência entra em cena quando nos confrontamos com o estresse. Estudos descobriram que, se você tem resiliência, consegue se recuperar de uma situação estressante em menos tempo, reduzindo o impacto de prejuízos que surgem como consequência e se preparando para o próximo desafio. A seguir, entenda melhor o que é resiliência e como você pode desenvolvê-la.

O que é resiliência?

Resiliência não é “estar sempre olhando o lado bom das coisas”. Ser resiliente significa aceitar que a vida sempre terá desafios, e ser capaz de lidar com eles. Uma medida de resiliência é o que os psicólogos chamam de “senso de coerência”. Ou seja, ter capacidade de determinar que os acontecimentos sejam menos estressantes.

Leia também: Entenda qual a relação do estresse e da raiva com a dor

Somado a isso, é importante ter motivação para cooperar e capacidade de mobilizar recursos para lidar com problemas. Um forte senso de coerência está ligado à saúde física e mental, e pode até aumentar o tempo de vida.

Todo mundo tem alguma resiliência. Adultos mais velhos que, durante décadas, enfrentaram situações de desafios talvez possam ser os mais indicados para criar e manter uma postura de resiliência. Se você está enfrentando um problema financeiro, pode pensar em outra época na qual passou por uma situação semelhante. Então, extrair forças por saber que, se já conseguiu resolver a situação antes, pode resolvê-la agora.

Pessoas resilientes costumam ter algumas características. São elas:

  • Adaptam-se a mudanças facilmente;
  • Sentem-se no controle da própria vida;
  • Conseguem se recuperar em períodos difíceis;
  • Têm relacionamentos próximos e confiáveis;
  • Têm senso de humor diante do desafio;
  • Conseguem agir sob pressão;
  • Têm confiança em si mesmas;
  • Acreditam que tudo acontece por uma razão;
  • Conseguem lidar com a incerteza;
  • Sabem onde buscar ajuda;
  • Gostam de desafios;
  • Apreciam assumir a liderança.

Como ser mais resiliente

Até quem está no nível mais baixo da escala de resiliência pode dar passos para construir uma resiliência interior. As dicas abaixo propiciam um início, veja como você pode começar:

1. Sorria mais

Humor e resiliência são parecidos. Afinal, o que é o humor senão a capacidade de não levar a vida tão a sério? Rir faz com que você fique otimista, ajuda a lidar com os problemas, reduz o estresse e faz lembrar o que é importante na vida. Se você não tem senso de humor, agora é a hora de cuidar disso. Seja menos inflexível e mais brincalhão, converse sobre assuntos triviais, aprenda a arte da provocação sutil – e esteja aberto à ironia divertida como resposta. Na hora de dormir, reveja o dia e pense se riu o bastante. Mas um aviso: evite o sarcasmo, o escárnio e outras formas de humor que degradam ou magoam os outros.

2. Não dê lugar à raiva

Sejamos honestos: o que não falta são pessoas e coisas para nos irritar. Entretanto, em cada situação você pode escolher entre ficar irritado ou não. A raiva não resolve nada, mas arruína o humor, prejudica a saúde e impede reações construtivas. Pessoas resilientes evitam a raiva.

Leia também: Como controlar a raiva e o estresse com ajuda profissional

Se são capazes de controlar a situação, trabalham para melhorar essa capacidade. Contudo, se não podem controlá-la diretamente, encontram maneiras de lidar com esse sentimento. Assim, da próxima vez que a raiva começar a tomar conta de você, impeça-a de avançar. Sorria diante das frustrações da vida e ocupe o tempo consertando coisas.

3. Tenha empatia

A maioria das pessoas faz o que faz por escolha própria. Aquelas que ponderam o ponto de vista de outra pessoa quase sempre evitam a raiva e reagem de forma construtiva. Em vez de ficar irritado com o chefe, por exemplo, pare para refletir por que ele disse ou fez algo que o aborreceu. Na maioria dos casos, seu chefe está agindo em resposta às exigências de alguém.

4. Não entre em pânico

Quando a adversidade chegar, respire fundo e pense a respeito da situação. Em seguida, liste cinco coisas que você pode fazer sem desmoronar. Então, diga a si mesmo: “Em um futuro bem próximo, isso já estará resolvido, e as coisas vão melhorar”. O pensamento positivo é um grande aliado nessas horas.

mulher respirando fundo
Nas horas de dificuldade, respire fundo. (Imagem: max-kegfire/iStock)

5. Identifique algo positivo em cada situação

Não importa o quanto a situação seja desoladora, sempre haverá alguma coisa positiva a ser encontrada. Até mesmo para um casal que viu sua vida mudar drasticamente por causa de uma enchente, por exemplo. Perderam tudo o que tinham acumulado ao longo dos 40 anos de casamento. Mas ainda se tinham um ao outro. E, de fato, começar de novo é uma experiência bastante positiva. Veja aqui dicas incríveis para construir o pensamento positivo.

6. Faça as perguntas certas

Em geral, as pessoas deixam que as situações as controlem em vez de elas controlarem as situações. Muitas vezes, isso ocorre porque não se incomodaram em conseguir a informação de que precisam. Quando os problemas ocorrerem, faça perguntas. Muitas perguntas. Isso lhe oferecerá informação suficiente para desenvolver respostas alternativas, ao menos uma das quais o tornará capaz de se recuperar e controlar a situação.

7. Anote as novas conquistas

Pode soar piegas, mas reconhecer as tantas coisas que você tem a agradecer é um sinal de resiliência. Não deixe nada de lado. Se você se sente abençoado porque se mudou para uma casa maior, acrescente isso à lista. Faça cópias e coloque uma no quarto, na cozinha e no porta-luvas do carro. Toda vez que se sentir tentado a se lastimar, pegue a lista e se lembre de quanto você tem sorte.

Leia também: Descubra o incrível poder da gratidão e seja mais feliz

8. Liste o que você é capaz de fazer

Pode ser tudo, desde a capacidade de interagir com qualquer pessoa a qualquer momento até o talento para cozinhar. Não faça isso sozinho; peça ajuda a pessoas que o conhecem. Ter ciência do que se é capaz de fazer é como colocar dinheiro no banco da resiliência. Ao chegar a hora de um saque, você saberá quanto deve retirar.

9. Estabeleça metas diárias

Você precisa sentir-se realizado diariamente para fortalecer a crença em si mesmo. Então, poderia estabelecer pequenas metas. Por exemplo, visitar toda semana um vizinho que não sai mais de casa ou uma obra de caridade. Ou planejar metas que resultem em um empreendimento maior, como obter um outro diploma. E que tal fazer um trabalho voluntário? Aqui você encontra alguns projetos que estão sempre abertos para novos voluntários.

10. Controle as expectativas

Se espera que tudo corra perfeitamente quando viaja, você está se predispondo ao desapontamento. Em vez disso, previna-se contra atrasos longos e bagagem perdida. Leve algo para ler. E não coloque tudo o que é indispensável nas malas a serem despachadas. Assim, se nada de ruim acontecer, você estará no lucro. Esse tipo de pensamento também funciona para reuniões familiares, reformas da casa, consultas médicas… basicamente, qualquer atividade diária.

11. Compare-se apenas a si mesmo

Só porque algum conhecido perdeu o emprego não significa que isso vai lhe acontecer também. Só porque o seu vizinho teve muito mais sorte no último ano, não significa que você seja um fracassado. Focalize a sua situação no contexto da sua vida, não na de alguém ao seu redor. Acredite em si mesmo e se autovalorize.

12. Reconheça o que você pode ou não controlar

Muitas coisas na vida fogem ao nosso controle. Por exemplo, se você tem diabetes e está seguindo uma dieta saudável, tomando os remédios e se exercitando com frequência, e, mesmo assim, o nível de açúcar no sangue continua oscilando, reconheça que você está fazendo tudo o que está ao seu alcance para controlar a situação e talvez precise colocar o restante do problema nas mãos do médico.

13. Mude uma coisa a cada dia

Com o tempo, nós nos movemos em círculos menores, passando a ficar entrincheirados nas nossas rotinas que nem as percebemos mais. Então, quando algo acontece para transformar a rotina, perdemos a flexibilidade para lidar com essa nova situação. Para evitar que isso aconteça, tenha em vista mudar todo dia uma coisa relacionada à rotina. Experimente!

O importante é sempre se reinventar, olhar com novos olhos a vida que se tem pela frente. Não esmoreça e busque a resiliência todos os dias. Não é fácil, mas é possível!