Faça uma busca
Já tem cadastro? Faça login aqui.
Artigo exclusivo para assinantes!
Cadastre-se para continuar lendo!
É grátis e você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos
devices
Já sou assinante da Revista Impressa

Entendo que, respondendo a esta promoção, serei ingressado nos sorteios aqui oferecidos e passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, entre em contato com a nossa Central de Atendimento. Conheça também a nossa Política de Privacidade e Uso de Dados

Aproveite e assine o site seleções por apenas R$1,99 no primeiro mês. Clique aqui.
|
Publicado em: 2 de abril de 2021

Pele perfeita: dermatologista revela os segredos das asiáticas

Além de fatores genéticos, rotina de cuidados com a pele também faz toda a diferença

Imagem: iStock

De uns tempos para cá, principalmente com a popularização das produções cinematográficas no Ocidente, como os doramas, virou hype comentar sobre a beleza da pele asiática. Inclusive, a busca por dicas de como reproduzir a famosa maquiagem coreana, por exemplo, cresceu consideravelmente na Internet. Mas afinal, qual é o segredo dessas mulheres para terem a tão cobiçada “pele de pêssego”?

Tonificada, sem manchas, e com uma textura de dar inveja, a pele de coreanas, japonesas e chinesas sem dúvidas chama a atenção pela beleza. É claro que as origens étnicas influenciam a estrutura e aparência da nossa pele. No entanto, alguns hábitos de cuidados com a pele também exercem influência na aparência.

“A pele asiática é mais espessa e é composta por mais fibras de colágeno e elastina do que a pele caucasiana, então enruga menos e sofre menos com flacidez”, explica a dermatologista Dra. Bomi Hong, que é coreana e com formação e atuação há muitos anos no Brasil, depois de experiências na área de dermatologia na Ásia e na Itália. 

Os segredinhos da beleza da pele asiática revelados

beleza pele asiatica
Crédito: yacobchuk/iStock

Sem dúvidas, um dos fatores para a beleza da pele asiática é a alimentação. Rica em peixe, vegetais e chás, é uma dieta rica em antioxidantes, que previnem o envelhecimento celular da pele. Além de ser rica em proteínas e colágenos, que estimulam a renovação celular. (Confira aqui 7 alimentos ricos em colágeno para ter uma pele sempre jovem)

Mas não é só isso.

As asiáticas, geralmente, são também mais cuidadosas com a pele. E não apenas depois de adultas, mas ainda na infância, quando são estimuladas a cuidar da pele — principalmente por meio do uso diário de protetores solares, já que o sol é o principal agressor da pele.

Assim, elas costumam seguir uma rotina de skincare primorosa, respeitando todas as etapas dos produtos e usando com frequência. Ou seja, nada disso de usar apenas uma vez e esperar milagres. O segredo é a rotina, que a longo prazo traz os resultados desejados.

Além disso, elas também são mais rigorosas com a qualidade dos produtos. E checam bem os ingredientes para saber exatamente o que estão aplicando na pele.

Segundo a Dra. Bomi, “por conta desses fatores, muitas vezes a pele asiática pode começar os tratamentos de beleza e de rejuvenescimento um pouco mais tarde do que a pele caucasiana, porém a rotina de skincare deve ser iniciada desde a infância para todos os tipos de pele”.

A dermatologista explica que por volta dos 30 anos (claro que cada caso deve ser avaliado individualmente) “poderá ser indicado tratamento com toxina botulínica, bioestimuladores e laser“.

Mais suscetíveis às manchas

dicas aliviar olhos cansados
Imagem: iStock

No entanto, nem tudo são flores. Apesar de favorecidas pela genética, as asiáticas também têm mais tendência a desenvolver manchas na pele quando expostas ao sol.

“Em contrapartida, a pele asiática é mais sensível e mancha mais, pois tem mais melanina, assim como a pele negra”, detalha Dra. Bomi.

Mas felizmente, o problema tem solução.

“O tratamento vai depender do tipo da mancha. Para melanoses, por exemplo, pode ser aplicado luz pulsada; para melasma e hipercromia pós inflamatória pode ser realizado laser de nanossegundos ou laser de picossegundos.  Cabe avaliação de um dermatologista para personalizar cada tratamento”, explica a médica.  

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados