Faça uma busca
|
Publicado em: 10 de maio de 2021

Colágeno: dermatologista explica para que serve e dose recomendada

A dermatologista Adriana Vilarinho esclarece dúvidas comuns sobre o colágeno.

Imagem: Yulia Lisitsa/iStock

O colágeno é uma proteína de extrema importância para a pele, é ela quem garante a sustentação, firmeza e elasticidade. Presente em alimentos, suplementos e dermocosméticos, é tido como um aliado por parte de quem está em busca da pele perfeita. 

Leia também: 7 cuidados diários para prevenir as linhas de expressão

Mas você sabe o que causa a queda da produção de colágeno no corpo, o que fazer para aumentar seus níveis e qual é a dose diária recomendada? Essas e outras questões foram respondidas aqui pela dermatologista Adriana Vilarinho*. Confira!

O que afeta a produção do colágeno da pele?

mulher jovem colágeno
Por volta dos 25 ou 30 anos, a produção de colágeno no corpo começa a diminuir. (Imagem: fizkes/iStock)

A partir dos 30 anos, é comum que a produção natural de colágeno comece a sofrer uma queda gradual. Anualmente, ela cai cerca de 1%, sendo intensificada, no caso da mulher, nas primeiras etapas da menopausa. Mas além disso, outros fatores influenciam os índices de sintetização desta proteína pelo corpo, como por exemplo:

Mas é possível estimular e/ou preservar a produção de colágeno da pele.

“A adoção de uma dieta mais saudável, o uso de suplementos alimentares e de dermocosméticos, além de procedimentos realizados em consultório, garantem os benefícios para pele, cabelos e unhas“, afirma a dermatologista Adriana Vilarinho.

“A consulta com o médico é fundamental para entender como introduzir esse tipo de suplementação nos cuidados da saúde”, acrescenta.

Como repor o colágeno

Embora ocorra uma queda natural na produção do colágeno ao longo dos anos, é possível repor essa proteína através de uma alimentação equilibrada e através de suplementos.

Alimentação rica em colágeno

A alimentação é fundamental para que a reposição do colágeno ocorra de maneira natural no corpo humano. Para além de ter uma alimentação balanceada no dia a dia, com muitas frutas, verduras e legumes e consumo de 2 litros de água, alguns alimentos em especial, como verduras de folhas verde escuras, frutas cítricas (ricas em vitamina C) e nuts como amêndoas, castanhas-do-Pará e castanhas de caju ajudam a dar aquele boost no nosso organismo.

Suplementos de colágeno

Estes suplementos podem ser encontrados em drogaria, lojas de produtos naturais, farmácias de manipulação e também online. Costumam vir em cápsulas ou em pó, devendo, no último caso ser tomado com água ou com suco de limão sem açúcar.

O consumo máximo indicado por dia é de 10g, sendo necessário que o tratamento dure o mínimo de 8 ou 9 meses para que o resultado possa ser sentido no organismo.

Entre mitos e verdades

Sobretudo depois de sua popularização, muitas pessoas passaram a questionar a veracidade das informações sobre os benefícios do colágeno, que, às vezes, surgem como sendo "milagrosos". Mas, de acordo com a Dra. Adriana, há muitas pesquisas que comprovam a eficácia da ingestão dessa proteína.

“Existem muitas informações incorretas e fatos que devem ser esclarecidos sobre o uso do colágeno”, ressalta a especialista. “O consumo da dose recomendada, de 6g a 10g por dia, não traz risco à saúde e, sim, benefícios. Porém, é sempre necessária a orientação médica”.

Outro benefício do colágeno é que ele auxilia o processo de renovação celular. E isso porque ele é sintetizado pelos fibroblastos, que agem na cicatrização e renovação das células.

Para que serve o colágeno e quando usar?

Pessoas de todas as idades podem se beneficiar dos suplementos de colágeno, especialmente a partir dos 25 anos. Estejam elas começando a notar sinais precoces e sutis de envelhecimento, ou querendo combater os sinais mais visíveis de envelhecimento.

Alguns sinais da necessidade de reposição desta proteína são o aparecimento de linhas de expressão e rugas leves, além de estrias e a sensação de uma pele mais "fina".

Para muitas pessoas jovens, o uso de colágeno funciona de maneira preventiva, para que possam evitar o envelhecimento precoce e manter uma pele saudável ao longo de toda a vida. A fim de obter o máximo benefício, você pode começar a tomar suplementos de colágeno por volta dos 25 anos e continuar o consumo pelo resto da vida adulta.

No entanto, ainda assim é preciso conversar com seu médico para avaliar por qual motivo deseja ou precisa consumir a proteína. Para pele, cabelos e unhas, os peptídeos de colágeno do tipo I são mais recomendados, devido a melhor absorção.

Tipos de colágeno: tem diferença?

colágeno em pó e em cápsula
É possível consumir o colágeno tanto em cápsulas quanto em pó. (Imagem: Yulia Lisitsa/iStock)

Você pode consumir os diferentes tipos de colágeno em qualquer hora do dia. Até mesmo no pré ou pós-treino, se pratica atividades físicas. Contudo, é aconselhável evitar o horário de grandes refeições (como almoço, por exemplo) para que a absorção seja mais rápida.

Se consumido em conjunto com alimentos ricos em vitamina C, a absorção pelo organismo é potencializada.

“O colágeno em pó faz o mesmo efeito que o colágeno em cápsulas”, destaca Adriana Vilarinho. O que varia de um tipo para o outro são as dosagens, pois algumas marcas dividem as doses em mais cápsulas. Mas, na verdade, o que irá determinar o tipo de colágeno mais adequado é a preferência e tolerância de cada pessoa, já que alguns tipos em pó possuem sabor.

Adriana Vilarinho é médica dermatologista - CRM78300-RQE27614

O colágeno é uma proteína de extrema importância para a pele, é ela quem garante a sustentação, firmeza e elasticidade. Presente em alimentos, suplementos e dermocosméticos, é tido como um aliado por parte de quem está em busca da pele perfeita. 

A partir dos 30 anos, é comum que a produção natural de colágeno comece a sofrer uma queda gradual. Anualmente, ela cai cerca de 1%, sendo intensificada, no caso da mulher, nas primeiras etapas da menopausa. Mas além disso, outros fatores como a exposição ao sol, poluição, tabagismo e uma alimentação com alto índice glicêmico, influenciam os índices de sintetização desta proteína pelo corpo.

Embora ocorra uma queda natural na produção do colágeno ao longo dos anos, é possível repor essa proteína através de uma alimentação equilibrada e através de suplementos.

“Existem muitas informações incorretas e fatos que devem ser esclarecidos sobre o uso do colágeno”, ressalta a dermatologista Adriana Vilarinho. “O consumo da dose recomendada, de 6g a 10g por dia, não traz risco à saúde e, sim, benefícios. Porém, é sempre necessária a orientação médica”.

O colágeno serve para prevenir sinais precoces e sutis de envelhecimento e para combater os sinais mais visíveis de envelhecimento. Alguns sinais da necessidade de reposição desta proteína são o aparecimento de linhas de expressão e rugas leves, além de estrias e a sensação de uma pele mais "fina". Para muitas pessoas jovens, o uso de colágeno funciona de maneira preventiva, para que possam evitar o envelhecimento precoce e manter uma pele saudável ao longo de toda a vida.

A fim de obter o máximo benefício, você pode começar a tomar suplementos de colágeno por volta dos 25 anos e continuar o consumo pelo resto da vida adulta.

“O colágeno em pó faz o mesmo efeito que o colágeno em cápsulas”, destaca Adriana Vilarinho. O que varia de um tipo para o outro são as dosagens, pois algumas marcas dividem as doses em mais cápsulas. Mas, na verdade, o que irá determinar o tipo de colágeno mais adequado é a preferência e tolerância de cada pessoa, já que alguns tipos em pó possuem sabor.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados


close