A rotina estressante, os problemas do dia a dia, a idade… todos esses fatores vão impondo um desgaste ao seu cérebro. Mas, felizmente, medidas simples podem amenizar esse quadro. Pequenas mudanças na sua rotina permitem que você melhore e conserve seu cérebro ativo e ágil por muito mais tempo. Descubra quais são esses hábitos em sua agenda:

  • 1. Durma bem

    Organize a noite de maneira a estar pronto para dormir uma hora mais cedo do que o habitual. Faça uma refeição leve, sem álcool, no jantar, e um pequeno lanche de carboidratos antes de dormir. Escolha uma atividade tranquila como a última coisa a fazer à noite, sem telas ou luzes brilhantes, ou ruído alto.

    tommaso79/iStock
  • 2. Pratique um exercício

    O exercício aeróbico apropriado é importante para a saúde do corpo, e ainda traz benefícios significativos para o cérebro – de curto e de longo prazo. Prepare-se com antecedência para o exercício – isso torna mais fácil cumprir a agenda. Por exemplo, arrume a sacola de natação ou os apetrechos para a corrida na noite anterior, ou marque um encontro com um amigo para caminhar ou dançar.

    Lordn/iStock
  • 3. Exercite o cérebro

    Mantenha o cérebro em forma com palavras cruzadas, sudoku ou outros jogos mentais quando tiver algum tempo livre. Todas essas atividades estimulam o cérebro a aperfeiçoar o funcionamento de longo prazo.

    smphoto/iStock
  • 4. Verifique como anda a saúde

    Qual foi a última vez que você fez um check-up? Problemas como pressão alta, o tabagismo, o diabetes tipo 2 e as doenças cardíacas estão relacionados a uma diminuição da função cerebral, por isso é importante identificar cedo e tratar esses problemas.

    wutwhanfoto/iStock
  • 5. Seja sociável

    Convide os amigos para um jantar, telefone para um membro da família ou apenas leve o cachorro para passear e converse com outras pessoas passeando com seus pets. A oxitocina, hormônio gerado por sentimentos de afeição pelos outros, ajuda a reduzir o estresse e a inflamação. Afagar um bichinho durante dez minutos, por exemplo, pode aumentar de forma significativa os níveis de oxitocina, caso os seres humanos de suas relações não estiverem disponíveis.

    DGLimages/iStock
  • 6. Tenha experiências novas

    Tente uma nova receita, ou faça compras em um lugar diferente e adquira um ingrediente que você nunca usou. Como qualquer outra experiência nova, sabores não familiares estimulam a formação de neurônios novos e também é possível aproveitar essa oportunidade para escolher alimentos ricos em antioxidantes (que aumentam a capacidade mental), gorduras saudáveis e carboidratos não processados.

    Kerkez/iStock
  • 7. Tenha uma reserva de B12

    No caso das vitaminas do complexo B, o folato (vitamina B9) provavelmente é o estimulante do cérebro mais conhecido. Mas a vitamina B12, presente na carne, no peixe e no leite, também merece atenção. Ao estudarem imagens cerebrais de um grupo de idosos, pesquisadores da Universidade de Oxford, na Inglaterra, verificaram que a probabilidade de sofrer atrofia do cérebro relacionada à idade era seis vezes menor em quem tinha níveis mais altos de vitamina B12, se comparados aos que tinham nível mais baixo dessa vitamina no sangue. De acordo com Anna Vogiatzoglou, autora do estudo, é provável que o nível baixo de vitamina B12 seja um problema, principalmente entre idosos. “Ajustar a dieta para incluir mais alimentos ricos em B12 é algo fácil de fazer para prevenir a perda de volume cerebral e, assim, talvez salvar a memória.”

    dolgachov/iStock
  • 8. Aprenda outro idioma

    Sabe falar duas ou mais línguas? Então já tem a base de uma mente ágil. Ao examinarem a atividade cerebral de pessoas monoglotas e bilíngues, pesquisadores do Dartmouth College, nos EUA, verificaram que as mesmas áreas do cérebro eram usadas quando ambos os grupos falavam uma língua. Porém, quando os bilíngues trocavam de idioma, mais áreas do cérebro eram ativadas. O cérebro bilíngue funciona melhor, de acordo com a líder do estudo, professora Laura-Ann Petitto, cientista que estuda o bilinguismo e o desenvolvimento infantil. “Parece que dois idiomas envolvem uma parte maior da paisagem neural, e isso é ótimo.”

    AntonioGuillem/iStok
  • 9. Consuma alimentos com cobre

    O cobre é um oligoelemento essencial para a saúde do sistema nervoso central. No cérebro, os íons de cobre afetam os componentes responsáveis por tornar mais ou menos fortes as sinapses neurais – as junções que permitem a comunicação entre os nervos. Essa mudança de intensidade afeta a capacidade de aprender e recordar, de acordo com pesquisas feitas na Escola de Medicina da Universidade de Washington, nos EUA. Carne bovina, fígado de carneiro, ostra, cogumelos shiitake, tahine (pasta de gergelim), castanha de caju e pera são boas fontes de cobre.

    AnnaPustynnikova/iStock
  • 10. Relaxe e rejuvenesça

    Se você está sofrendo com o estresse, reserve um tempo para pensar sobre o que o está causando. Decida se existem ações a serem tomadas. Diga “não” às pessoas que estão pedindo demais, e reserve algum tempo para si próprio. É importante fazer isso porque o estresse crônico inibe o crescimento cerebral e sua plasticidade, favorecendo a inflamação no corpo. Passe um período relaxando todos os dias, concentrando-se em um livro ou passatempo tranquilo ou qualquer outra coisa que permita a reflexão e a calma. A meditação, a ioga ou um exercício de relaxamento podem ser úteis.

    noipornpan/iStock

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!