A medicina tradicional promoveu diversos avanços nos últimos anos. Ela trouxe tratamentos inéditos e curas para doenças que antes assolavam a humanidade. Entretanto, a medicina moderna também precisa reconhecer a sabedoria milenar. Muitos povos reconheceram a eficácia de plantas e ervas medicinais para o tratamento de uma infinidade de doenças.

Muitas dessas plantas e ervas medicinais são utilizadas em medicina caseira para tratar problemas como queimaduras leves, conjuntivites ou problemas no estômago. Alguns estudos, no entanto, vêm descobrindo que essas mesmas ervas também possuem aplicação em tratamentos de doenças mais sérias, como o câncer ou a úlcera gástrica, o que leva boas notícias a milhões de pessoas no mundo inteiro.

Conheça 23 das milhares de soluções naturais que podem oferecer alívio para vários problemas do dia a dia. Talvez você descubra que a cura para a dor de cabeça ou a enxaqueca está logo ali, no seu jardim.

  • 1. Bisnaga (Ammi visnaga)

    Pesquisas vêm revelando diversos usos para essa erva, cuja capacidade de relaxar músculos lisos, como os existentes nos pulmões e ureteres, tornou-a um remédio tradicional para a asma e cálculos renais.

    A bisnaga já foi largamente usada no norte da África, mas seu grave efeito colateral, a inflamação do fígado, a torna hoje muito perigosa para ser ingerida. No entanto, ela inspirou a criação de remédios para a asma e drogas utilizadas no tratamento de doenças cardíacas.

    firina/iStock
  • 2. Dedaleira (Digitalis purpurea)

    Se você é uma das pessoas que se beneficiam do remédio para o coração digoxina, então deve muito a dedaleira — e ao médico que descobriu suas propriedades. O Dr. William Withering descobriu em 1775 a cura para o que na época era conhecido como hidropsia, um acúmulo de líquido no tórax.

    A digoxina geralmente é prescrita em casos de insuficiência cardíaca congestiva ou arritmia cardíaca.

    PicturePartners/iStock
  • 3. Equinácea (Echinacea angustifolia)

    A equinácea já é usada há séculos como uma planta medicinal. Atualmente ela está ainda mais popular, especialmente como um medicamento capaz de prevenir ou curar o resfriado comum.

    Há muitas preparações à base de equinácea no mercado, porém pesquisadores da Universidade de Connecticut, Estados Unidos descobriram que um extrato líquido elaborado com partes frescas da espécie E. purpurea que ficam acima do solo reduzia consistentemente as chances de se apanhar um resfriado. Siga corretamente as instruções da embalagem e não use essa erva caso você seja alérgico a erva-de-santiago, crisântemo, cravo-de-defunto ou margarida.

    Werner Meidinger/iStock
  • 4. Erva-de-são-joão (Hypericum perforatum)

    Embora a empolgação que envolveu o uso dessa planta antidepressiva nos anos 1990 tenha diminuído, a erva-de-são-joão ainda oferece a algumas pessoas benefícios de estímulo mental.

    Quanto imersas em álcool, as flores amarelas da erva-de-são-joão liberam um extrato de tom bordô rico em hipericina, que alivia sintomas associados a ansiedade, depressão, tensão e dor muscular.

    AlexRaths/iStock
  • 5. Canela-de-velho (Miconia albicans)

    A canela-de-velho, ou Miconia albicans, é uma planta nascida em arbustos utilizada principalmente no tratamento de dores diversas. Um dos seus principais usos, por exemplo, está no combate a artrites e artroses, reumatismo entre outras doenças crônicas. As diversas pomadas fabricadas com esta planta são excelentes para aliviar as dores e são usadas junto com os tratamentos para essas doenças.

    Reprodução/Internet
  • 6. Petasite (Petasites hybridus)

    Tanto as pessoas que sofrem de enxaqueca quanto as que têm alergias sazonais estão encontrando alívio em uma erva de flores roxas que já foi utilizada como embalagem de manteiga. A petasite também é utilizada para tratamentos para eliminar a congestão causada por alergias respiratórias (pólen, mofo ou animais).

    ffaber53/iStock
  • 7. Valeriana (Valeriana officinalis)

    Se quiser experimentar a valeriana para aliviar uma insônia leve, tome 400 a 900 mg do extrato em comprimidos ou cápsulas ou 20 a 60 gotas de tintura de valeriana em água morna, de duas horas a meia hora antes de dormir. O chá de valeriana (2 a 3 g de valeriana seca em pó numa xícara de água recém-fervida) também pode ajudar.

    AndrisTkachenko/iStock
  • 8. Escutelária (Scutellaria galericulata)

    A escutelária ou flor-caveira ficou no primeiro lugar de uma pesquisa realizada na Universidade de Westminster, em Londres, que buscava ervas poderosas para tratar a ansiedade e estresse.

    shihina/iStock
  • 9. Boa-noite rosa (Catharanthus roseus)

    Valorizada na medicina popular como um remédio para uma série de doenças, essa planta ornamental de longa floração é a fonte de alguns dos mais eficazes medicamentos já descobertos contra o câncer.

    Como a vimblastina e a cincristina, os fármacos para câncer derivados do boa-noite são ministradas como quimioterápicos injetáveis para uma grande variedade de cânceres, elas podem tomar parte nesse tratamento. Pesquisadores na Índia, Nigéria e em outros países ainda estão explorando o potencial do boa-noite como tratamento para o diabetes e outras doenças.

    Jekaterina Voronina/iStock
  • 10. Efedra (Ephedra sinica)

    No interior do corpo, a efedra impulsiona a liberação de adrenalina, que promove a constrição dos vasos sanguíneos e o aumento de energia disponível. Em outras palavras, é um estimulante natural.

    Como a efedra tem efeitos poderosos, é de suma importância consultar um médico sobre a possibilidade de ingeri-la em suplementos alimentares, por exemplo.

    Frank Vincentz/Wikimedia
  • 11. Marcela do campo (Achyrocline satureioides)

    A macela ou marcela do campo é uma planta da flora brasileira, bastante utilizada por conta dos seus efeitos calmantes. Por se tratar de uma planta nascida aqui e por conta de seu uso, é costumeiramente chamada de camomila nacional. A marcela também é amplamente utilizada para aliviar cólicas intestinais e garantir o bom funcionamento do intestino.

     

    Waldemar Seehagen/iStock
  • 12. Boldo (Peumus boldus)

    A Peumus boldus, popularmente conhecida como boldo, é uma planta medicinal comumente utilizada para tratar de doenças ligadas ao fígado e estimular o funcionamento do sistema digestório.

    ribeirorocha/iStock
  • 13. Carqueja (Baccharis trimera)

    A carqueja é amplamente utilizada pela medicina caseira brasileira para tratar uma longa lista de problemas. Alguns estudos sugerem que a carqueja seja eficaz, por exemplo, no combate ao colesterol alto, bem como eliminar sintomas de gota. A carqueja também é usada como complemento para combater a anemia, tratar de infecções urinárias e gastrite.

    Mateus Hidalgo/Wikimedia
  • 14. Alecrim (Rosmarinus officinalis)

    O alecrim é utilizado tanto como erva natural medicinal como também como tempero de cozinha. Os usos como erva cobrem doenças que atacam o fígado e proteção do controle arterial.

    scisettialfio/iStock
  • 15. Tomilho (Thymus vulgaris)

    O tomilho também é uma erva amplamente utilizada na cozinha, mas com usos na medicina porque tem ação antioxidante e combate o envelhecimento precoce, além de possuir efeito antisséptico e combater doenças do trato respiratório.

    Duncan_Andison/iStock
  • 16. Alfazema (Lavandula angustifolia)

    A alfazema é uma das plantas medicinais mais antigas da humanidade. Sabe-se que os gregos antigos já a utilizavam para obter efeitos calmantes. A planta também é usada para tratar queimaduras, tosse, bronquite, enxaqueca e conjuntivite.

    Remedios/iStock
  • 17. Eufrásia (Euphrasia spp)

    Embora com pouco respaldo científico, as propriedades anti-inflamatórias desse grupo de 20 espécies relacionadas as tornam um tratamento útil e suave para pequenas infecções e irritações nos olhos.

    A eufrásia é vendida em tinturas, comprimidos, cápsulas e chás, muitas vezes em combinação com outras ervas consideradas para problemas respiratórios ou oculares.

    hekakoskinen/iStock
  • 18. Prímula-da-noite (Oenothera biennis)

    O óleo da prímula-da-noite pode ser obtido em lojas de produtos naturais. As sementes dessa flor produzem um óleo rico em gordura que pode ser uma boa notícia para quem sofre de mastalgia cíclica (sensibilidade nas mamas), eczema, danos nos nervos relacionados a diabetes e ressecamentos dos olhos.

    jordachelr/iStock
  • 19. Arnica (Arnica montana)

    A arnica é famosa por tratar de roxidão de machucados por contusão, sendo utilizada, nesses casos, em forma de pomada. Ela também é utilizada para tratar problemas de pele, como acne e furunculose, além de problemas reumáticos e tendinites.

    daniilphotos/iStock
  • 20. Ginseng (Panax ginseng)

    A reputação desse antigo elixir oriental da saúde de estimular a vitalidade e a memória o tornou uma planta que foi sucesso de vendas no século 20. Ele é usado principalmente em bebidas energéticas, pois age no corpo com efeitos revigorantes. Algumas pesquisas indicam até mesmo que o ginseng oferece benefícios para a memória.

    nunawwoofy/iStock
  • 21. Calêndula (Calendula officinalis)

    A calêndula, mais conhecida com mal-me-quer, possui um incrível poder cicatrizante. É também largamente utilizada para tratar fungos, escaras e aliviar queimaduras leves.

    HansJoachim/iStock
  • 22. Cáscara-sagrada (Rhamnus purshiana)

    Essa planta nativa do oeste dos EUA só pode ser utilizada mediante um processo de envelhecimento específico ou outros mais cuidadosos. Por isso, é importante comprar a planta já processada em lojas especializadas apenas. O chá de cáscara-sagrada também não pode ser tomado de forma contínua, pois ele pode prejudicar diversas terminações nervosas do fígado, levando-o à falência. O tratamento com cáscara-sagrada é ministrado em casos específicos de doenças do intestino.

    Reprodução/Internet
  • 23. Malva (Malva silvestris)

    A fama da malva surgiu na Itália como uma “cura para todos os males”. Ela é usada principalmente para tratar problemas de pele em compressas, e como hidratante de maneira geral. Muitos cremes dentais possuem malva em sua composição.

    Werner Meidinger/iStock