A depressão é uma doença séria, e, dessa forma,precisa de cuidados e atenção especiais. Ela não deve ser considerada “apenas tristeza”, mas sim diagnosticada e tratada com a ajuda de um especialista e das pessoas ao redor de quem sofre desse mal. É possível, entretanto, adotar pequenas práticas que podem fazer diferença no combate diário. Confira:

1. Faça um novo amigo

Pesquisas mostram que hoje as pessoas têm menos amigos do que há 30 anos. Estudos tam­bém revelam que tem havido um aumen­to considerável no nú­mero de casos de depres­são clínica; em 2007, só no Brasil, foram receitados cerca de 8 milhões dos três antidepressivos mais consumidos no país. Embora não haja provas conclusivas de que os dois fatores estejam relaciona­dos, é provável que haja uma ligação. Isso porque há muitas evidências de que rela­cionamentos que nos oferecem apoio – seja com amigos, seja com paren­tes – têm a capacidade de nos proteger da depres­são pro­funda. Mantendo um bom relacionamento com a família e amigos nos sentimos mais seguros.

Como, frequentemente, parentes também podem ser a fonte da depressão, fazer novos amigos resulta no melhor caminho. Mas como fazer novos amigos, especial­mente agora que você é um adulto mais velho? Matricular-se num curso noturno ou cadastrar-se num site dedicado à terceira idade (por exemplo, o www.portalterceiraidade.com.br) pode ser um bom começo. Ou experi­mente convidar um colega para almoçar ou tomar um drinque depois do trabalho.

2. Tenha um cachorro

Levar o cão para passear pode ser a chave da feli­cidade, segundo uma equipe de pes­qui­sadores da Universidade de Ports­mouth, que realizou um estudo com 65 donos de cachorros e descobriu que eles quase sempre se sentiam obri­ga­dos a levar seus bichinhos para passear, mesmo que estivessem desanimados e tivessem de enfrentar o frio ou a chuva. Uma vez na rua, normalmente sentiam-se melhor. O fato de terem de se exercitar também os mantinha em forma e pro­mo­via a intera­ção com pessoas em situações semelhan­tes, o que ajudava a afastar possíveis sentimentos de solidão e inutilidade.

Uma ótima opção pode ser adotar um bichinho de estimação!

3. Coma peixe

O motivo pelo qual tan­tos de nós se queixam de depressão pode estar no fato de não comermos
peixe suficiente. O elo, dizem os pesquisadores, encontra-se nos ácidos graxos ômega-3. Essas gorduras benéficas ajudam células nervosas, como as do cérebro, a se intercomunicarem com maior eficácia. Estudos realizados sobre a relação entre o consumo de peixe e o humor demonstraram que aqueles que incluíam em sua alimentação peixes gordurosos, como o salmão e o atum, duas ou três vezes por semana durante cinco anos, tinham – significativamente – menos estados de depressão e hostilidade do que um grupo similar que raramente con­sumia tais peixes. Assim, eleve o seu as­tral com uma dose diária de ômega-3. Se você não gosta de peixe, experimente to­mar 2 colheres (sopa) de óleo de li­nha­ça ou até três cápsulas de 1 g de óleo de peixe por dia.

4. Vá atrás do sol

No in­ver­no, nas regiões de clima muito frio, o mau tempo, a au­sência da luz do sol, o céu cinza – tudo isso parece cons­pirar para criar um estado de de­sânimo. Uma via­gem a luga­res mais enso­larados lhe dará uma dose de luz natural que poderá ajudar a me­lho­­rar o seu hu­mor. Visite os sites Portal do Turismo ou Brasil Turismo. Quan­do voltar, não só você se sentirá renovado e revitaliza­do, como também verá que faltarão apenas algu­mas semanas para a chegada da primavera.

5. Permita-se pequenos prazeres

Você vive economizando e fazendo tudo da forma menos onerosa possível. Posteriormente, segundo suas expectativas, você comprará casacos de cashmere e gastará com outros supérfluos. Entretanto, não espere tempo demais.

Dar presentes a si mesma não deve ser visto como um capricho.

Existem provas de que negar a si mesmo constantemente os pequenos prazeres da vida pode levar a uma séria sensação de pesar à medida que se envelhece. Conforme o tempo passa, esse sentimento piora, enquanto a culpa pela indulgência passa rapidamente.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!