Faça uma busca
|
Publicado em: 15 de outubro de 2020

Confira 5 mecanismos involuntários do nosso corpo

Você sabe de onde vem o suor? E a barriga por que ronca? Confira algumas curiosidades do corpo!

Imagem: jacoblund/Istock

Funções corporais imprescindíveis para a vida, como a respiração, os batimentos cardíacos, a digestão e a regulação da temperatura do corpo, ocorrem em nível inconsciente. Elas são controladas pelo chamado sistema nervoso vegetativo.

Um controle intencional desses processos, que precisam
ser mantidos continuamente ativos, não faria sentido. Alguns importantes reflexos também só acontecem de maneira rápida e segura por serem automáticos.

Por que o estômago ronca?

Quando já faz algum tempo desde a última refeição, o estômago fica vazio. Para ser mais exato, restam apenas suco gástrico e ar. A contração das paredes estomacais, em geral silenciosa, lenta e regular, aumenta, produzindo ruídos borbulhantes. Com a ingestão de alimentos, essas “contrações da fome” voltam a se normalizar. O intestino também produz ruídos semelhantes quando o bolo alimentar, com os gases nele contidos, é transportado adiante.

Como ocorre a sudorese?

O homem possui, distribuídas por toda a pele, de 2 a 3 milhões de glândulas sudoríparas. Sua função é secretar líquido refrigerante quando houver risco de superaquecimento. O suor é formado por água e sais, proteínas e uréia nela diluídas. Ao evaporar sobre a pele, obtém-se um efeito refrescante que ajuda a diminuir a temperatura do corpo. Quando o calor é muito, ou durante um grande esforço físico, produz-se mais de um litro de suor por hora.

Mas os alimentos muito condimentados também produzem uma sensação de calor e nos fazem suar. Situações de medo e estresse também estimulam a produção de suor por meio do sistema nervoso vegetativo, porque, para o estado de prontidão, em caso de perigo, mãos úmidas agarram melhor do que mãos secas.

A intensidade da sudorese é geneticamente determinada. Numa sudorese anômala, a produção de suor pode ser até cinco vezes maior.

Todas as partes do corpo têm a mesma temperatura?

O corpo humano apresenta uma regulação de temperatura própria cujo valor desejado está ajustado para 37°C. Entretanto, esta temperatura só é constante no cérebro e no interior do tronco.

De acordo com a temperatura externa e a atividade muscular, os braços e as pernas podem ficar alguns graus mais quentes ou mais frios que o valor desejado durante algum tempo. O ritmo sono-vigília diário também ocasiona leves oscilações da temperatura corporal. Ela cai conforme o sono vem chegando, e aumenta quando acordamos.

A capacidade de nadar e de andar são inatas?

Os recém-nascidos e os bebês com poucas semanas de vida apresentam diversos reflexos, alguns dos quais desaparecem logo em seguida. Entre eles, há o reflexo de marcha, assim como o reflexo natatório e o reflexo de bloqueio de glote. Imerso na água, o bebê reage fechando a boca e a traquéia, e realizando movimentos natatórios.

Após quatro a seis meses, essa reação reflexa desaparece. Para aprender a nadar, as crianças precisam ter no mínimo de três a quatro anos.

Os movimentos automáticos de marcha, apresentados pelo bebê quando segurado em posição vertical com seus pés tocando uma base plana, também se perdem após três meses.

Apenas bem mais tarde a musculatura das pernas e o senso de equilíbrio da criança se desenvolverão a ponto de ela conseguir ficar de pé e andar. Por outro lado, outras reações da primeira infância como a deglutição, a tosse ou o espirro se mantêm por toda a vida.

Por que enrubescemos quando ficamos constrangidos?

corpo

Nós enrubescemos quando os vasos sanguíneos da pele se dilatam. Isso ocorre, por um lado, após algum esforço físico, ou com temperaturas externas altas, porque, dessa maneira, o corpo consegue expelir calor.

Por outro lado, em situações de aborrecimento e de raiva, ou situações desagradáveis em que ficamos constrangidos, os hormônios do estresse aumentam a pressão sanguínea, intensificando a circulação do sangue na pele – visível para qualquer um no rosto e na região do pescoço.

Contudo, em geral, o enrubescimento por vergonha dura apenas poucos segundos e, por isso, muitas vezes mal é percebido. Em algumas pessoas, entretanto, a reação é mais intensa e o aumento da circulação sanguínea – por razões ainda inexplicadas – dura mais tempo.

O medo de enrubescer pode piorar ainda mais o problema. Este fenômeno, denominado eritrofobia pelos especialistas, pode ser tratado por meio do treinamento autogênico, psicoterapia ou ainda com a ajuda de medicamentos.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados


Cadastre-se GRÁTIS para continuar lendo


Você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos

Já tem cadastro? Faça login aqui.

Já sou assinante da Revista Impressa

close