Quase todo mundo já teve um episódio ocasional de acne – as famosas “espinhas”. A acne é mais comum em adolescentes, e aflige em algum grau 85% deles. No entanto, um número cada vez maior de adultos também têm acne; sobretudo mulheres na faixa dos 20 anos e, novamente, após a menopausa.

Acredita-se que os hormônios, incluindo a testosterona e a insulina, sejam responsáveis pela maioria dos casos de acne. Mas a conexão entre alimentos e espinhas não é uma lenda – pesquisas indicam que existe mesmo uma ligação. Confira abaixo como a sua alimentação pode afetar o surgimento de acne.

Mais especificamente, os laticínios elevam os níveis de testosterona, ao passo que o açúcar refinado provoca elevações súbitas da insulina. Em raros casos, a sensibilidade alimentar agrava um quadro prévio de acne. Kelp, um tipo de alga marinha, por exemplo, pode provocar acne cística grave, e o sal iodado pode desencadear episódios de acne. Se você acha que é sensível a determinados alimentos, tente eliminá-los da dieta durante algumas semanas para ver se a acne melhora.

Alguns casos de acne grave podem ser hereditários. Determinados medicamentos também provocam acne; os principais implicados são esteroides e outros hormônios, preparados à base de iodo, lítio e anticonvulsivantes. O estresse muitas vezes desencadeia um episódio de acne, provavelmente por alterar os níveis hormonais e estimular a compulsão por determinados alimentos.

Alimentos que favorecem o aparecimento de espinhas

  • Laticínios.
  • Alimentos com alto índice glicêmico, como batatas, refrigerantes, farinha de trigo e açúcar refinado.

Alimentos que dificultam o aparecimento

  • Brócolis
  • Repolho
  • Laranja
  • Frutos silvestres
  • Kiwi
  • Melão e melancia
  • Pimentas
  • Espinafre e outros vegetais de folhas verde-escuras
  • Peixe
  • Aves
  • Grãos integrais
  • Lentilha
  • Abacate
  • Batata
  • Banana
  • Ostras
  • Linhaça

Alimentos a limitar

  • Suplementos à base de kelp (algas)
  • Sal iodado
  • Altas doses de suplementos das vitaminas B6 e B12

Mito ou Verdade?

“Chocolate provoca acne.”

Um pouco dos dois: Não é o chocolate em si, mas os laticínios e o açúcar no chocolate que provocam a acne.

Como evitar o aparecimento de espinhas

Uma pele limpa e brilhante reflete um bom estado geral de saúde. Uma alimentação saudável e balanceada seguindo estas recomendações ajuda a prevenir a acne e a melhorar a qualidade da pele.

1 – Evite laticínios e alimentos com alto índice glicêmico

Diminua o consumo de leite se suspeitar que está provocando episódios de acne. Corte ou reduza também refrigerantes e alimentos feitos com farinha de trigo.

2 – Consuma alimentos ricos nas vitaminas A e C

Eles ajudam a formar e manter a pele saudável. Sebo, gordura e células epiteliais na secreção oleosa das glândulas sebáceas contribuem para a acne. O betacaroteno, que o corpo converte em vitamina A, pode reduzir a produção dessas células. A vitamina C é um poderoso antioxidante e ajuda a estimular o crescimento de novas células cutâneas. As melhores fontes alimentares de betacaroteno são frutas de cor laranja ou amarela e verduras de folhas verde-escuras. Frutas cítricas e silvestres, kiwi, melão e melancia, pimentas, brócolis e repolho são especialmente ricos em vitamina C.

3 – Coma alimentos ricos em vitamina B6

Encontrada em carne, peixes, aves, grãos integrais, feijão, lentilha, abacate, nozes e castanhas, batata, banana e verduras folhosas. A vitamina B6 reduz a acne ao regular os hormônios implicados em seu desenvolvimento.

4 – Coma alimentos ricos em zinco

Alguns estudos vinculam esse mineral a uma pele saudável e sugerem que ele pode melhorar a acne. O zinco promove o equilíbrio dos níveis hormonais e ajuda a cicatrização. Frutos do mar – especialmente ostras –, carne vermelha, aves e grãos integrais são ricos em zinco.

5 – Coma alimentos ricos em ômega-3

Os ácidos graxos ômega-3 ajudam a controlar a inflamação da acne. Peixes e linhaça são ricos nessas gorduras saudáveis.

6 – Não tente se automedicar com suplementos

Na maioria dos casos, o ideal é obter os nutrientes dos alimentos. Altas doses de vitaminas e minerais podem piorar o quadro. Alguns estudos mostram que altas doses das vitaminas B6 e B12 podem agravar a acne em vez de abrandá-la. Doses elevadas de vitamina A podem provocar ressecamento e descamação da pele e queda de cabelo, além de terem sido ligadas também ao risco de osteoporose (clique aqui e conheça 6 alimentos para fortalecer os ossos).

Além da dieta

Uma boa alimentação é a primeira linha de defesa, mas as medidas a seguir são úteis.

1- Exercício

O exercício regular melhora a circulação e o aspecto da pele.

2 – Evite o fumo

A nicotina provoca estreitamento dos vasos sanguíneos, prejudicando a circulação do sangue para a pele.

3 – Tente remédios de venda livre

A maioria dos casos leves a moderados de acne persistente pode ser controlada com cuidados tópicos, boa alimentação e medicamentos de venda livre, como gel, loção ou creme de peróxido de benzoíla de 2,5% a 10%.

Regra de ouro: Procure um dermatologista

A melhor opção quando temos qualquer problema é sempre procurar um especialista. No caso de problemas com a pele procure um dermatologista. Um dermatologista pode prescrever tretinoína, um medicamento tópico derivado da vitamina A. O uso da isotretinoína é restrito à acne cística grave. Em casos graves de acne hormonal, o dermatologista pode prescrever espironolactona, um antiandrogênico.

Texto extraído do livro Alimentos saudáveis, alimentos perigosos.