A amigdalite é um processo de inflamação e infecção das amígdalas que pode ter origem viral ou bacteriana. Para muitas pessoas, como para a digital influencer Bianca Andrade (Boca Rosa), internada desde segunda-feira (27), esse pode ser um problema recorrente.

Saiba mais agora sobre causas, sintomas e tratamentos para a amigdalite.


Para ter o diagnóstico correto dos seus sintomas e fazer um tratamento eficaz e seguro, procure orientações de um médico ou farmacêutico.


Causas da amigdalite

As amígdalas são duas estruturas situadas entre o céu da boca e a língua, e funcionam como um filtro de proteção. Seu objetivo é impedir a entrada de micro-organismos maléficos para a garganta. 

Assim, quando expostas, as amígdalas acionam um processo inflamatório, de modo a tentar impedir a entrada do vírus ou bactéria pela boca. 

Em crianças, que ainda não possuem imunidade muito bem desenvolvida, é mais comum a ocorrência de amigdalite do tipo viral. Já em jovens e adultos, a mais comum é a bacteriana ou a associação entre a viral e a bacteriana. 

A bacteriana é mais comumente causada por dois agentes invasores: estreptococos e os estafilococos. 

Sintomas da amigdalite

(Crédito: Remains)

Além do sintoma mais comum de desconforto nas amígdalas, outros também podem ser observados:

Presença de pus nas amígdalas (caso seja amigdalite bacteriana)

  • Dificuldade para engolir
  • Inchaço dos gânglios
  • Rouquidão

Observe bem os sintomas, pois eles podem se confundir com outras doenças, como a gripe.

Diagnóstico da amigdalite

(Crédito: studio_77-28)

O diagnóstico da amigdalite deve ser feito por um médico. Por isso, procure-o caso os sintomas durem mais de 4 dias. 

Embora a maior parte das amigdalites não seja grave, e tendam a regredir depois de pouco tempo, isso não significa que não mereçam atenção. Sobretudo se forem bacterianas.

As amigdalite bacteriana devem ser tratada com antibióticos específicos, durante todo o tempo recomendado por seu médico.

Não interrompa o tratamento na ausência dos sintomas, pois isso pode provocar outros problemas graves.

Para amigdalites crônicas, é crucial um exame detalhado para entender as origens da inflamação. E assim, pensar no melhor tratamento clínico para a amigdalite.

A remoção cirúrgica pode ser uma opção, sobretudo para quem tem mais de dois ou três casos por ano. 

Prevenção da amigdalite

prevenir doencas lavar as maos
(Crédito: AlexRaths)

Para prevenir-se é importante manter uma etiqueta de higiene. E o principal é lavar bem as mãos e com frequência.

Esse é um hábito crucial para livrar-se também de diversas doenças, como Covid-19, bronquite, terçol, gripe e outras.

Ao lavar as mãos, e os alimentos que ingere, você se mantém livre de vírus e bactérias que propiciam o surgimento de amigdalite.

Além disso, outras recomendações também são importantes:

  • Não fume e mantenha-se longe de fumantes;
  • Evite ambientes com ar-condicionado, pois ressecam a mucosa da garganta;
  • Mantenha-se sempre hidratado;
  • Evite compartilhar talheres e outros objetos de uso pessoal;

Leia mais: 10 erros comuns na hora de lavar as mãos