Comer a combinação perfeita de alimentos ecologicamente corretos não é apenas essencial para a saúde e vitalidade, mas também nos confere mais resistência para combater o estresse da vida moderna. Alimentos de origem animal, por exemplo – necessários para o crescimento e a conservação dos cabelos, da pele, dos músculos e dos ossos – contêm aminoácidos essenciais para compor a proteína.

Mas, tome cuidado: carnes gordurosas e processadas acrescentam gordura saturada e sal em excesso à dieta diária. O tipo e a quantidade de carne consumida são uma consideração importante para a manutenção da saúde. Em geral, comer menos proteína animal e mais alimentos frescos não processados é melhor para o nosso organismo.

1.

Coma carne vermelha magra três ou quatro vezes por semana. Inclua peixe e leguminosas várias vezes por semana e frango sem pele para variar. O consumo de grandes quantidades de proteína animal rica em gordura está ligado a doenças cardíacas, hipertensão, alguns tipos de câncer e doenças renais.

2.

Quando incluir carne no cardápio, opte por um pedaço de carne magra do tamanho da palma da mão e aumente as porções de legumes ou salada.

3.

Carnes gordurosas, muitas carnes processadas e pele de galinha são ricas em gordura saturada, que não é saudável para o coração. Evite pato e ganso, que são mais gordurosos, e escolha frango ou peru sem pele.

4.

Se mastigar a carne se tornou difícil com a idade, coma carne moída ou ensopada e acrescente à dieta outras fontes de proteína fáceis de mastigar, como ovos, leguminosas e produtos à base de soja.

5.

O pasto para a criação de animais em grande escala degrada o meio ambiente de muitas maneiras, inclusive com a aceleração da erosão do solo e da produção de metano, um gás do efeito estufa. Se for reduzir o consumo de carne, escolha produtos orgânicos. Sua produção envolve práticas menos intensivas e mais ecologicamente sustentáveis.