É fato que o brasileiro é adepto da automedicação. São os amigos, vizinhos, conhecidos, parentes e até o balconista bem-intencionado da farmácia, todos sempre muito prestativos na indicação de um “remedinho que é uma beleza” para acabar com o mal-estar. Mas o que é bom para um não é necessariamente bom para o outro. E […]

Já tem cadastro? Faça login aqui.
Artigo exclusivo para assinantes!
Cadastre-se para continuar lendo!
É grátis e você garante acesso a 3 conteúdos exclusivos
devices
Já sou assinante da Revista Impressa
Aproveite e assine o site seleções por apenas R$1,99 durante 3 meses. Clique aqui.