Faça uma busca
|
Publicado em: 25 de julho de 2019

11 dicas de como perder a barriga sem perder a cabeça

Confira algumas dicas para reduzir a barriguinha e perder a gordura nociva nessa região.

Imagem: demaerre/iStock

Quando o assunto é perder medidas, muitas pessoas querem a fórmula mágica de como perder a barriga. Mas a verdade é que não existe uma solução única, e sim um conjunto de medidas que devem ser adotadas para alcançar o objetivo. E não se trata de uma questão exclusivamente estética. Embora não seja nenhuma novidade, nunca é demais repetir: a gordura acumulada na cintura é muito perigosa. Ela pode estar ligada a vários problemas de saúde.

Assim, é importante nos livrarmos dela. Com isso, damos uma força para a saúde e ainda ficamos mais elegantes.

Quer saber que medidas podem fazer você perder a barriga? Acompanhe a galeria a seguir!

Para mais dicas de como perder barriga, confira 5 dietas para prestar atenção

  • samael334/iStock

    1. Descubra do que o seu corpo precisa

    Experimente desistir de remodelar o seu corpo e aceitá-lo do jeito que ele é. Pode ser que você comece a comer direito e talvez até acabe perdendo peso. Pesquisadores da Ohio State University descobriram que as pessoas que, de maneira geral, se encontravam satisfeitas com o corpo estavam mais aptas a escolher uma alimentação equilibrada e sintonizada com suas necessidades do que as que estavam inconformadas com a própria aparência.


  • cindygoff/iStock

    2. Recorra à auto-hipnose

    Diversos estudos já mostraram que acrescentar a auto-hipnose a programas de emagrecimento é um apoio eficaz para perder a barriga. Todas as noites, pouco antes de dormir, repita quatro ou cinco vezes em voz alta: “Eu estou a um passo de me tornar cada vez mais magro.” Repita a frase por 30 noites seguidas e ela se transformará num pensamento subconsciente automático e você logo começará a ver os resultados.


  • nensuria/iStock

    3. Escolha a interatividade

    Se você vai fazer uma dieta, escolha uma que lhe ofereça conselhos semanais de um orientador ou terapeuta. Estudos demonstram que pessoas em dieta que receberam conselhos diretos e contínuos perderam três vezes mais peso no período de seis meses do que as que não tiveram feedback.

    Programas com objetivos preestabelecidos, baseados no desempenho individual, oferecem mais incentivos para o sucesso.

    Embora o aconselhamento face a face seja a melhor tática para alguns, você pode experimentar uma série de programas de dieta interativos disponíveis na internet. Para muitos, eles podem ser igualmente eficazes.


  • gpetric/iStock

    4. Desligue a televisão

    É possível que não haja maneira mais simples de perder peso do que dedicar menos horas à TV. Um estudo americano que envolveu 486 pessoas em Boston – das quais dois terços estavam acima do peso ou eram obesas – descobriu que cada hora na frente da televisão estava associada a 144 passos a menos dados.

    Pesquisadores calculam que o nível ideal de atividade diária encontra-se em torno de 10 mil passos, medidos com um podômetro. Assim, para cada hora diante da televisão, sua probabilidade de atingir a meta de 10 mil passos é 16% menor.

    Além disso, como assistir à TV encoraja o hábito de “beliscar”, você provavelmente consumirá menos calorias se limitar o tempo diante da telinha.

     


  • Milkos/iStock

    5. Cozinhe sem “beliscar”

    Mais ou menos uma hora antes de começar a preparar o jantar, sente-se e faça um lanche saudável – um pote de iogurte desnatado ou legumes crus. Muita gente consome tantas calorias enquanto prepara a refeição noturna quanto na hora do jantar proprimente dito.

    Se você estiver com fome e cansado antes de começar a cozinhar, estará muito mais propenso a beliscar o que estiver preparando. Chupar pastilhas de menta ou mascar chicletes antes de cozinhar também engana a fome.

     


  • Yobro10/iStock

    6. Caminhe antes do jantar

    Fazer uma pequena caminhada proporciona mais do que queima calórica. Como a maior parte dos exercícios, também diminui o apetite. E, se você caminhar logo antes da refeição noturna, não vai querer comer tanto quanto normalmente faria.

    Em um estudo realizado com dez mulheres obesas, na Universidade de Glasgow, 20 minutos de caminhada reduziram o apetite e aumentaram a saciedade da mesma forma que uma pequena refeição.

     


  • Wavebreakmedia/iStock

    7. Limite o número de horas de trabalho

    Se você trabalha mais de nove horas por dia (e a hora do almoço está incluída, quer você a passe trabalhando ou não), fica mais propenso à obesidade e a ser menos produtivo.

    É uma boa ideia começar a pensar num trabalho que lhe exija menos, pois estudos já mostraram que, quanto mais estressante é o trabalho, maior a tendência a comer petiscos e acumular quilos.

     


  • bernardbodo/iStock

    8. Prepare-se para dormir logo após o jantar (mas não vá para cama imediatamente)

    Você não precisa vestir o pijama, mas escove os dentes e tome logo o banho. Quando estiver se sentindo refrescado e limpo, pensará duas vezes antes de comer chocolate (ou outra guloseima) e perder aquele gostinho refrescante de menta na boca – ou ainda de mergulhar as mãos num saco gordurento de batatas fritas ou de amendoins.

     


  • michaeljung/iStock

    9. Durma oito boas horas de sono

    Há evidências de que dormir de sete a oito horas por noite pode prevenir a obesidade. Pesquisadores da Universidade de Warwick, na Inglaterra, analisaram a rotina de 15 mil adultos e descobriram que a falta de sono estava associada a um risco quase duas vezes maior de se tornar obeso. E que, quanto menos a pessoa dorme, maior é o seu índice de massa corporal e a circunferência da cintura ao longo dos anos. Isso acontece, provavelmente, em razão das mudanças hormonais produzidas pela privação de sono.

    Outros estudos mostram que a falta de horas de sono aumenta a produção de grelina (hormônio que estimula o apetite) e reduz a produção de leptina (hormônio que o suprime).

     


  • Martin Brigdale, Gus Filgate e William Lingwood

    10. Escolha ovos

    Se você está controlando o peso, ovos – pochés, mexidos ou cozidos – são uma ótima pedida no café da manhã. Pesquisas mostram que nos dias em que as pessoas comeram ovos no desjejum seu consumo calórico geral foi mais baixo.

    Se você tem colesterol alto, pergunte ao seu médico quantos ovos pode consumir por semana.

     


  • baibaz/iStock

    11. Não se deixe enganar pelas “barras energéticas

    Na linguagem da indústria alimentícia, “energia” é sinônimo de calorias. E é delas que as “barras energéticas” estão cheias. Pesquisadores afirmam que boa parte das barras contém ingredientes saudáveis como castanhas, frutas e aveia, mas esses costumam ser aglutinados por uma substância pegajosa e açucarada.

    Como lanche, essas barras ainda são preferíveis a batatinhas fritas com refrigerante, mas não tão saudáveis quanto uma maçã ou outra fruta. Se você acha que precisa de uma barra de cereal quando estiver se exercitando, certifique-se de que está queimando mais calorias durante a sessão do que ingerindo com a barra.

    E se você realmente estiver comendo essas barrinhas porque precisa da dose de energia, os especialistas aconselham comê-las lentamente: uma mordida a cada 10 minutos.

    Aprenda a fazer barrinhas de cereias em casa – mais saudáveis e saborosas!


Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados


close