Nada mais irritante do que um corte de papel no dedo. Para quem vê parece exagero, mas para quem sofre parece um talho com gilete. Igualmente veja outros pequenos acidentes que acontecem com frequência, que doem muito, e alguns segredos para reduzir a dor.

Corte de papel entre dedos

Experimente: Grudar os dedos.

Cortes feitos por folhas de papel saram mais depressa e com menos risco de infecção (as mãos têm germes!) se ficarem cobertos. “Mas curativos entre os dedos são complicados, com todos os movimentos da pele”, diz o Dr. Matthew Fink, professor de Neurologia Clínica do Weill Cornell Medical College, em Nova York. Entretanto, ele sugere a solução: Junte dois dedos com esparadrapo leve, que fixa sem apertar, até o corte sarar.

Dor causada por gelados

Experimente: Derreter na frente da boca.

Aquela súbita agonia depois de um gole de milk-shake é um tipo de enxaqueca provocado, sobretudo, quando coisas quentes ou frias demais estimulam o nervo vago na parte posterior da boca, explica o Dr. Fink. Ele recomenda dar goles pequenos e deixar o sorvete derreter na frente da boca antes de engolir.

Topada com o dedão

Experimente: Xingar.

As topadas com o dedão, principalmente, doem mais do que outros pequenos ferimentos. A princípio, para nossa segurança, o cérebro prioriza os sinais de dor nos pés, explica o Dr. Joshua T. Goldman, professor de Medicina Desportiva do campus de Los Angeles da Universidade da Califórnia. De fato, soltar um bom palavrão pode reduzir a dor, constatou uma pesquisa do Reino Unido. Acredita-se que praguejar libera analgésicos naturais no cérebro.

Boca queimada por comida

Experimente: Tomar leite frio.

O queijo derretido da pizza ou o recheio do pastel pode provocar queimaduras e bolhas. Tome leite frio para que alivie a dor, sugere a dentista Kim Harms, porta-voz da Associação Dental Americana. Dessa forma, a gordura do leite recobre a área queimada e cria uma barreira calmante que alivia bem mais do que a água fria.

 

POR SUNNY SEA GOLD