Tratar um ferimento imediata e adequadamente pode ter um grande efeito na recuperação. No entanto, ainda vemos muitos pacientes cuidado de ferimentos comuns da forma errada, em parte por “receitas da vovó” que as pessoas se recusam a abandonar e em parte por causa de recentes descobertas científicas na área do atendimento de emergência e primeiros socorros. Pedimos a alguns dos maiores especialistas em atendimento de emergência nos EUA que desmistificam enganos comuns.

1. Não tratar uma queimadura durante tempo suficiente

Esqueça a manteiga e o gelo. A melhor maneira de aliviar a pele queimada é com água gelada. Entretanto, poucos segundos, ou mesmo minutos, não bastam: são necessários de 10 a 20 minutos. É o que ensina o Dr. Jeffrey Pellegrino, da Cruz Vermelha dos Estados Unidos. “O calor da queimadura penetra fundo na pele, onde pode continuar a destruir os tecidos mesmo que você tenha esfriado a superfície”, afirma. “O frio também precisa penetrar para evitar mais danos.”

2. Inclinar a cabeça para trás durante sangramento nasal

Essa posição pode fazer o sangue escorrer para a garganta, provocando oclusão ou tosse e obstruindo a respiração. Em vez disso, aplique pressão direta apertando as narinas, mas mantenha a cabeça em posição neutra, com o queixo paralelo ao chão. Sente-se e relaxe.

3. Aplicar calor em uma entorse ou fratura

“Sempre aplique gelo inicialmente”, afirma William Gluckman, porta-voz da Associação Americana de Cuidados de Urgência. O gelo ajuda a diminuir o inchaço, enquanto o calor estimula o fluxo sanguíneo. Deixe o calor para problemas como contraturas musculares.

4. Tentar remover ciscos do olho

Mexer para tentar retirar o que estiver irritando o olho pode piorar a lesão e até causar danos permanentes. Em vez disso, proteja o olho (improvise um tapa-olho com um copinho de plástico e fita, se necessário, para que nada mais entre) e procure atendimento imediato. A única exceção é no caso de produtos químicos: lave em água corrente por cerca de 15 minutos.

5. Retirar a gaze de uma ferida ainda sangrando

Se a gaze grudar, não a puxe para trocá-la; cubra com outra nova, ensina o Dr. Chris Cebollero, chefe da Emergência do Hospital Cristão, em St. Louis, Missouri. A coagulação ocorre na superfície para interromper o sangramento. Tirar a gaze antiga pode remover a casca e fazer a ferida voltar a sangrar. Se isso acontecer, faça pressão no corte até o sangramento parar, ave a ferida (para evitar infecção), aplique uma pomada antibiótica (caso a pessoa não seja alérgica) e refaça o curativo.

6. Não ir ao hospital depois de um acidente de carro

Se seu carro foi muito danificado, procure atendimento, mesmo se você estiver se sentindo bem. “Seu reflexo de ‘luta ou fuga’, alimentado pela adrenalina, pode mascarar a dor”, afirma o Dr. Cebollero. “Pode levar de dez minutos a duas horas até você sentir algo.” A equipe de socorro no local do acidente nem sempre consegue descartar hemorragias cerebrais e fraturas.

7. Dificultar o trabalho da equipe de socorro

Digamos que você foi picado por uma abelha e teve uma reação alérgica grave. Primeiro, peça a alguém que chame uma ambulância. Depois, vá para a frente de casa. Engasgou no restaurante? Não corra para o banheiro. “As pessoas morrem no banheiro por não quererem incomodar os outros clientes. Elas desmaiam e ninguém sabe por quê”, afirma o Dr. Pellegrino. Passou mal? Permaneça em um lugar onde as pessoas possam ajudar.

 

Pelo Dr. Travis Stork