Para manter a vida sexual ativa, saudável e sem estresse, existem algumas estratégias. Se você tem uma boa saúde geral, não há motivo para não continuar desfrutando do sexo ao longo da vida e por muito tempo.

1 Resolva suas finanças

Um estudo de 2011 com casais britânicos revelou que a ansiedade com as finanças, o aumento das horas de trabalho e o estresse do malabarismo entre trabalho e filhos foram citados como razões para praticar menos sexo. As preocupações com dinheiro foram especificamente significativas na redução da libido masculina. Equilibrar as finanças – e as prioridades – pode impulsionar sua vida sexual.

2 O fascínio da cor facial

A maquiagem tende a imitar as mudanças sutis da aparência da mulher que ocorrem naturalmente durante a ovulação. Em outras palavras, nesse momento, quando a mulher está mais fértil, seus lábios se tornam maiores e mais cheios.

Eles ficam também mais vermelhos (como durante a excitação sexual), um efeito intensificado pelo batom vermelho. Outra mudança que ocorre durante a ovulação é que a pele ao redor dos olhos fica mais escura. Isso faz com que eles pareçam maiores, como quando se aplica maquiagem nos olhos.

E o blush imita a aparência das bochechas durante o sexo.

3 Apimente-a

Afrodisíacos foram usados durante séculos para incrementar o apetite e o prazer sexuais, sem prova científica de sua eficácia. Enfim, agora, alguns começam a passar no escrutínio das pesquisas do século XXI:

Café Uma xícara de café não apenas desperta como também aumenta os níveis de dopamina, o neurotransmissor que está associado aos sistemas de prazer no cérebro. Também amplia o prazer sexual ao aumentar o fluxo sanguíneo, essencial para levar homens e mulheres ao orgasmo.

Ginseng Há relatos de que a raiz de ginseng, um dos afrodisíacos mais antigos, melhora a função erétil. Peça opinião ao seu médico antes de tentar usá-lo.

Açafrão Supostamente usado por Cleópatra no banho, essa é a especiaria mais cara do mundo. Adicionada à comida, supostamente ajuda na disfunção erétil (DE) e pode impulsionar os níveis de estrogênio nas mulheres.

Ginkgo biloba Entre os efeitos dessa antiga espécie de árvore usada por fitoterapeutas está a melhora da circulação sanguínea. Esse efeito pode aumentar o fluxo de sangue para o pênis, o que pode ajudar a combater a disfunção erétil. Mas cuidado com os possíveis efeitos colaterais (diarreia ou irritabilidade).

4 Não se preocupe com o coração

Para a maioria das pessoas, ter um orgasmo não é mais suscetível de causar um ataque cardíaco, por exemplo, do que uma subida rápida de alguns lances de escada. Então tente não se preocupar demais em fazer sexo caso tenha uma condição cardíaca. O que é mais importante é estar em forma e ativo, para que possa fazer facilmente atividades extenuantes de todos os tipos – dentro e fora do quarto. E também há evidências de que o sexo regular pode beneficiar a saúde do coração.

5 Não se automedique

Não é aconselhável tomar remédio, tal como sildenafila, para tratar a disfunção erétil sem recomendação do médico. Assim, ele explicará como usar o medicamento de forma segura para minimizar os riscos.

6 Obtenha os produtos certos

Tenha certeza de escolher um lubrificante vaginal desenvolvido para isso. Produtos à base de óleo, como óleo de bebê ou vaselina, podem rapidamente deteriorar ou até dissolver o látex da camisinha do seu parceiro, tornando-a ineficaz.

7 Dê um abraço – se você for homem

Quando se trata de satisfação, ainda mais em relacionamentos longos, parece que, ao contrário das expectativas, o homem precisa de mais carinho que a mulher. Aliás, em um estudo com casais heterossexuais realizado nos EUA pelo Instituto Kinsey, os homens que descreveram beijos e carinhos frequentes com suas parceiras eram, em média, três vezes mais felizes com seus relacionamentos do que aqueles que não os faziam com frequência. Para as mulheres, aliás, o mais importante era um relacionamento longo, acompanhado de bom sexo.


Já leu nosso post sobre abraço e toque das mãos? 


8 Exercite-se quatro vezes por semana

O exercício não só ajuda a ficar em forma, mas pode também melhorar significativamente a vida sexual. Um estudo mostrou que entre as pessoas que se exercitam quatro ou cinco dias por semana 88% das mulheres e 69% dos homens relataram seu desempenho sexual como acima ou muito acima da média.

Não apenas isso: aqueles que se exercitavam mais faziam, na verdade, mais sexo. Para os homens, de fato, uma das principais vantagens do exercício é que ele aumenta o fluxo sanguíneo para o pênis, ajudando a prevenir a disfunção erétil.


Leia também o post sobre exercício.


9 Melhore sua vida sexual com ioga

A fim de continuar aproveitando sua vida sexual, considere fazer ioga. Um pequeno estudo com 40 mulheres saudáveis descobriu que um programa de 12 semanas de ioga melhorou a função sexual em seis áreas (desejo, excitação, lubrificação, orgasmo, dor e satisfação geral). E as mulheres com mais de 45 anos aproveitavam mais a vida sexual a partir dessa forma de exercício.


Que tal experimentar ioga? Saiba mais no link.


10 Tonifique o assoalho pélvico

Fortalecer os músculos pélvicos por meio dos exercícios de Kegel ou os do assoalho pélvico – contração e relaxamento alternados dos músculos perineais, originalmente contra incontinência urinária – pode melhorar a satisfação sexual, ajudando as mulheres a chegar ao orgasmo mais facilmente.

Saiba mais sobre os exercícios de Kegel no link.

ACREDITE SE QUISER!

O hormônio do amor ajuda a disfunção erétil Cientistas americanos estão investigando o potencial do hormônio ocitocina para combater problemas de ereção nos homens. O “hormônio do amor” é liberado por homens e mulheres durante o ato sexual e pelas mães no parto e na amamentação, e parece importante em promover sentimentos de afeto.

Assine a nossa newsletter e receba nosso conteudo em primeira mão!