A onda crescente de quarentenas e isolamentos por causa da pandemia de coronavírus aumenta os riscos de ataques de hackers, afirmou neste domingo (15) a Agência de Cybersegurança da União Europeia (Enisa).

Entre as recomendações básicas da Enisa para que o trabalho em casa não vire um pesadelo estão:

  • Só usar redes de wifi seguras;
  • Atualizar programas de antivírus, antimalwares e firewalls;
  • Executar varreduras contra vírus e malwares antes de começar o trabalho;
  • Fazer backups frequentes;
  • Bloquear o acesso ao computador se estiver trabalhando em lugar compartilhado;
  • Evitar entrar em sites não profissionais durante o trabalho;
  • Se possível, usar aparelhos diferentes para a navegação profissional e a pessoal.

Veja também: 15 coisas que os hackers não querem que você saiba!

As empresas também devem se precaver contra sequestro de dados e espionagem, baixando regras claras para o trabalho remoto.

Para os empregadores, a Enisa recomenda:

Informar claramente aos funcionários as regras de segurança para trabalhar remotamente, determinar quem deve ser acionado em casos de emergência e comunicar horários e contatos a todos, dar prioridade para a solução de casos de segurança, implantar programas de encriptação e assinaturas eletrônicas e, se possível, fornecer computadores exclusivamente para o trabalho, com os programas de segurança instalados.

Atenção às mensagens sobre o Coronavírus

A agência europeia também alertou para risco crescente de que mensagens sobre o coronavírus tenham programas maliciosos de furto de dados (phishing).

E-mails com anexos sobre a doença ou pedindo para atualizar senhas e outros dados são especialmente arriscados, e só devem ser acessados se a origem for segura e confirmada.

A agência recomenda não clicar em links nem abrir anexos sem confirmar antes por telefone ou pessoalmente que a requisição é válida e o procedimento é necessário.

Veja mais: App ‘Coronavírus – SUS’ tira dúvidas sobre a doença.

ANA ESTELA DE SOUSA PINTO (FOLHAPRESS)