Faça uma busca


|
Publicado em: 7 de agosto de 2020

Covid-19: 10 lugares reabertos que talvez nunca sejam limpos o suficiente

Durante a pandemia da Covid-19, reabrir e manter locais e superfícies livres do novo coronavírus se tornará uma tarefa difícil

Imagem: ValterCunha/iStock

Com a sociedade reabrindo suas portas à medida que as restrições são afrouxadas durante a pandemia da Covid-19, pode ser um grande desafio identificar se um local público é realmente seguro. Apesar dos novos procedimentos de limpeza, mantenha-se atento à quantidade de interação humana e transmissão de germes no dia a dia

Leia também 11 sinais de que você já teve Covid-19.

Mesmo que haja qualidade no ar, o interior dos estabelecimentos é um fator de risco imenso durante essa crise sanitária; uma vez que se comprovou que a Covid-19 viaja através de gotículas. 

Depois de conversar com alguns especialistas em saúde pública, reunimos 10 lugares que talvez nunca fiquem limpos o suficiente.

  • Boris Jovanovic/iStock

    1. Escritórios

    Os escritórios são conhecidos pelo alto tráfego em um espaço restrito, e a maioria dos funcionários toca centenas de superfícies no escritório todos os dias.

    Embora as novas diretrizes exijam uma limpeza adequada de todas as áreas comuns, apenas uma pessoa portadora de coronavírus causará estragos em seu escritório.

    Apesar de a prática do trabalho remoto se tornar mais comum, os escritórios terão que garantir que, fora os serviços regulares de limpeza, as áreas como teclados, utensílios de cozinha, impressoras, mesas, maçanetas, etc. estejam sendo constantemente limpas com virucidas que são conhecidos por serem eficazes contra o coronavírus.

    Mas esse tipo de serviço de limpeza extra geralmente são caros e exigem serviços muito frequentes.


  • SbytovaMN/iStock

    2. Veículos públicos

    Mesmo barreiras de plástico entre o passageiro e o motorista em um Uber não serão suficientes para conter a propagação do vírus. Áreas como maçanetas, assentos e janelas que frequentemente entram em contato com indivíduos devem ser cuidadosamente limpas.

    Os produtos de limpeza e desinfecção são caros, especialmente nas quantidades necessárias para manter um ambiente limpo durante a pandemia. Também é improvável que o proprietário do veículo desinfete completamente o carro entre os passeios. O passageiro precisaria depositar toda a confiança no motorista, sem margem de erro.


  • Vergani_Fotografia/iStock

    3. Transporte público

    Com milhares de pessoas segurando as mesmas grades no transporte público, mesmo que os trens e ônibus sejam desinfetados no fim de cada dia, no fim da manhã eles estarão sujos ou contaminados novamente.

    Mesmo com os rigorosos procedimentos de limpeza, é impossível desinfetar o transporte público de pessoa para pessoa.


  • artursfoto/iStock

    4. Playgrounds

    À medida que a fita de isolamento é removida lentamente dos playgrounds, as crianças correm para os balanços e brinquedos; e todos sabemos que as crianças são potenciais portadores de germes.

    As superfícies do play precisariam ser limpas constantemente ao longo do dia e, com as crianças tendo tanta interação física umas com as outras, qualquer tipo de procedimento rigoroso de limpeza não seria sustentável.


  • .shock/iStock

    5. Restaurantes

    Infelizmente, para muitos restaurantes, trata-se de levar a comida o mais rápido possível para abrir espaço para novos clientes ao longo do dia.

    Mesmo quando as pessoas esperam para se sentar em um restaurante que permite apenas uma certa quantidade de pessoas lá dentro, elas ainda estão se reunindo em um só lugar. Os especialistas concordam que a comida para viagem durante a pandemia é uma opção melhor.


  • BrasilNut1/iStock

    6. Bares

    Já é difícil manter os restaurantes limpos e, com tempos de resposta apertados, é quase impossível tomar as precauções necessárias. Isso é ainda mais verdadeiro para os bares, onde pessoas se aglomeram ao redor do estabelecimento.

    Antes da pandemia, os bares podiam usar o mesmo conjunto de copos durante a noite, as mesmas tigelas para lanches e limpar rapidamente as superfícies à medida que os clientes saíam.

    Os procedimentos de limpeza são mais rígidos agora, mas a maioria dos bares não tem equipe extra para desinfetar os vidros e as superfícies.

    Especialmente com um fluxo constante de pessoas aguardando atendimento, não seria rentável para a empresa dedicar tempo à desinfecção adequada. É por isso que esses estabelecimentos são um dos locais com maior probabilidade de pegar coronavírus.


  • Drazen Zigic/iStock

    7. Academias

    Mesmo antes do coronavírus, era difícil ver a academia como um local bem higienizado, considerando a abundância de equipamentos compartilhados e fluidos corporais entrando em contato com estranhos. E é de conhecimento geral que o coronavírus pode ser transmitido através de gotículas. Além disso, durante o exercício, é comum tocar em nosso rosto para enxugar o suor.

    As superfícies da academia deverão ser completamente desinfetadas, e não apenas limpas, a fim de atender aos altos níveis de higienização necessários. Entre não ter uma equipe treinada em desinfecção, não ter recursos para limpar adequadamente e não ter tempo de parar para limpar, os níveis de limpeza esperados na academia são improváveis.

    Alguns lugares incentivam os frequentadores a limpar o equipamento após o uso, mas alguns podem esquecer ou não levar a sério. A equipe precisa limpar e desinfetar as superfícies de maneira meticulosa.


  • Bojanikus/iStock

    8. Bibliotecas e livrarias

    Todos pegam, olham e devolvem os livros às prateleiras. Não há como colocar em quarentena todos os livros que alguém manipula, muito menos na seção infantil.

    É improvável que os livros sejam colocados em quarentena depois que cada pessoa os devolver. Mesmo depois de limpar o livro, sem que todas as páginas sejam desinfetadas adequadamente, há pouca garantia de segurança.

     


  • Hussein Kassir/iStock

    9. Piscinas públicas

    Mesmo que os condomínios tenham suas piscinas devidamente limpas e mantidas com a química da água apropriada, ainda haverá muitas pessoas compartilhando esta água e o espaço ao redor.

    Para essas instalações, uma rotina de limpeza e manutenção muito rígida é necessária.


  • ValterCunha/iStock

    10. Igrejas

    Igrejas e outros locais de culto serão arriscados, considerando o grande número de pessoas condensadas em um espaço pequeno.

    Para especialistas em saúde pública, independentemente da quantidade de limpeza feita, uma área fechada onde muitas pessoas estão conversando e cantando pode produzir um spray de gotículas impossíveis de evitar.

    Se uma congregação inteira está cantando por minutos de cada vez, a ameaça de ser infectado por gotículas de aerossol pode ser extremamente provável. Quando combinado com o número de portadores assintomáticos do coronavírus, uma imagem muito clara é desenhada.

    Por Emma Taubenfeld


Assine a nossa newsletter e receba nosso conteúdo em primeira mão!

assine a nossa newsletter
Entendo que passarei a receber ofertas de produtos, serviços, informativos e presentes grátis, além de outras promoções de Seleções e de parceiros. Para mais informações, acesse nossa Política de Privacidade e Uso de Dados