Faça uma busca
Cultura & Lazer

O legado de Nichelle Nichols, a tenente Uhura de Star Trek

Nichelle Nichols viveu a personagem que protagonizou o primeiro beijo inter-racial na televisão americana.

Escrito por:

Brunna Cassales

Redator
Atriz Nichelle Nichols, de Jornada nas Estrelas, morre aos 89 anos.
Publicado em: Última atualização:

Atriz americana que marcou a história da televisão, Nichelle Nichols morreu no sábado (30) aos 89 anos. Ela fez parte do elenco original da série Star Trek (Jornada nas Estrelas), exibida entre 1966 e 1969, e também integrou outros filmes da icônica franquia de ficção científica.

Seu filho Kyle Johnson anunciou que a mãe faleceu de causas naturais.

“Lamento informar que uma grande luz no firmamento já não brilha para nós como fez durante tantos anos”, ele postou neste domingo (31) no perfil da atriz no Instagram. “Ontem à noite, minha mãe, Nichelle Nichols, sucumbiu a causas naturais e faleceu. Sua luz, no entanto, como as galáxias antigas que agora estão sendo vistas pela primeira vez, permanecerá para nós e as gerações futuras desfrutarmos, aprendermos e nos inspirarmos.”

Um marco na história da TV e da luta contra o racismo

Nichelle Nichols quebrou barreiras para as mulheres negras e entrou para a marcou a história da televisão.
(Imagem: Divulgação/Desilu Productions)

Nichelle nasceu em 28 de dezembro de 1932, no subúrbio de Chicago, com o nome de Grace Nichols. Ao viver a tenente Nyota Uhura, teve um papel tão representativo que abriu portas para outras atrizes negras em Hollywood. Na época, o protagonismo de sua personagem ia de encontro ao padrão de restringir a escalação de pessoas negras à atuação como prestadoras de serviços.

Junto ao ator William Shatner, intérprete do Capitão Kirk, a atriz encenou o primeiro beijo inter-racial na televisão americana. O momento foi ao ar no décimo episódio da terceira temporada, “Os herdeiros de Platão”, exibido em 1968. Inicialmente, os produtores do programa tiveram medo da reação de outras emissoras e quiseram filmar uma segunda versão em que o beijo não aparecesse. Mas William e Nichelle erraram suas falas de propósito para obrigá-los a usar a tomada original.

A cena em questão foi realizada no auge dos conflitos pelos direitos civis da década 1960. Atuante na luta antirracista, a atriz chegou a ouvir do próprio Dr. Martin Luther King que como a quarta no comando, estava mudando a mente das pessoas. Isso porque, pela primeira vez, pessoas negras podiam se reconhecer na TV e se enxergar como iguais. Depois de ouvir essas palavras, ela decidiu continuar a fazer sua personagem em vez de retornar aos palcos da Broadway.

Antes de começar sua carreira na TV e no cinema, ela também foi cantora e dançarina. Após seu papel de destaque como mulher negra no Espaço, fez uma travessia da ficção para a realidade e se tornou porta-voz da Nasa. Pioneira no recrutamento de mulheres e afro-americanos, era uma inspiração, influenciando e estimulando ativamente que tivessem lugar na formação de astronautas.

Despedida e legado

Amada por gerações de fãs, a eterna tenente Uhura sempre foi considerada uma lenda. No final de 2021, fez sua última aparição em uma turnê de despedida com muitas homenagens, fotos, autógrafos, dança e até mesmo uma festa antecipada de aniversário (que viria a ser o último). Na época, seu filho Kyle declarou: “uma vida bem vivida é recompensa suficiente, todos os dias, e minha mãe certamente teve uma vida bem vivida em muitos aspectos”. Em 2018, ela havia sido diagnosticada com demência.

“Meu coração está pesado, meus olhos brilhando como as estrelas entre as quais você agora descansa, minha querida amiga”, disse George Takei em um tweet, se despedindo da colega de elenco.

Nichelle conta sua história em um documentário filmado em uma réplica da USS Enterprise. Como seu legado, fica a tamanha relevância de ter mostrado ao público que os negros tinham lugar no futuro. Dessa forma, sua poderosa trajetória mostra que, assim como o aceno de Star Trek simboliza, ela teve uma vida longa e próspera.